Fatwas de desrespeito

/
0 Comentários
É um desrespeito com o bem respeitar o mal. Mesmo que esse respeito seja por temor ao mundo, ao que as pessoas vão falar, a um senso transviado de obediência a cargos, a normas de polidez, a timidez, enfim, são muitas as escadas que levam à recepção do Inferno.

Não se esqueçam, conforme narra São João, Cristo levou um tapa na cara por "desrespeitar" o sumo sacerdote, homem indigno, homem usurpador, mercenário, sacerdote da Sinagoga de Satanás e não do Templo do Senhor. Cristo não jurou lealdade e respeitos a quem formalmente ocupava o trono de Aarão, apenas respondeu no que ele havia mentido para levar um tapa. Observem os grandes Santos da Igreja, que ao mesmo tempo em que eles juravam e recomendavam lealdade à liderança da Igreja e sua doutrina, era ligeiros em dar de ombros, denunciar e ignorar os maus padres e bispos. E havia maus, muitos, o Cisma de Avignon e a Reforma Protestante não ocorreram sem muita ajuda de mau exemplo do nosso lado. Nas obras de Santa Teresa, por exemplo, a vemos a todo momento louvando os sacerdotes, mas sempre reclamando dos maus e fugindo deles. É porque estes santos não viviam numa época de confusão mental atual, eram muito claras as palavras de Nosso Senhor sobre os mercenários que entrariam disfarçados de pastor, do joio no meio do trigo, do Iscariotes em meio aos apóstolos. Era óbvio que as ovelhas reconhecem os verdadeiros pastores.

Era óbvio.

Era.

Hoje em dia, em que a doutrina é trocada por ideologia, desde o livro da catequese até os textos da CNBB, nada mais é óbvio. Ai fica essa confusão mental cheia de leigos metidos a doutores da lei de facebook espumando indignações e soltando acusações de blasfêmia e desrespeitos, verdadeiras fatwas, colocações mais islâmicas que católicas.


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.