Cui bono, Gogóglio?

/
0 Comentários


Em toda ação política você não deve ver apenas o valor de face, aquilo que é dito, mas aquilo que realmente é feito e a quem favorece.

Aplique isso a TUDO. Preste pouca atenção a discursos e mais aos atos. Pergunte sempre "cui bono?" A quem favorece? Ai você tira o glacê de palavras e começa a ver a realidade por baixo.

Faça sempre isto, até mesmo com o papa, que é uma figura política também. Aliás, muito política no tabuleiro mundial. Ai você tem corretos juízos de valores sobre o pontificado. Cui bono, a quem favorece? Se a resposta a esta pergunta, aplicada a um pontificado, for diferente de "Igreja católica" temos ai um pontificado desastroso, potencialmente traidor. O mínimo que se espera do pontífice romano é que fortaleça a Igreja e suas crenças.

E quem quer reduzir as preocupações com o atual pontificado a "não gostar do papa" ou pior ainda "ser inimigo do papa", aplique o Cui Bono também. A quem interessa calar a preocupação com o bem da Igreja?


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.