Muçulmanos sem o saberem

/
0 Comentários

É tentador construir formas lógicas que justifiquem que toda a violação da lei dos homens é pecado. Mas não é. Pecado é violar as leis de Deus. E entre as leis dos homens e as leis de Deus há a distância da terra aos Céus.

Numa época em que as leis dos homens querem fazer legais (e bonitas) a sodomia, o aborto, a ideologia de gênero e tantas outras patifarias discutir se "excesso de velocidade é pecado", se "colar na escola é pecado", se "estacionamento proibido é pecado", se "falar palavrão é pecado" é uma discussão digna de mentes desprovidas de qualquer senso de proporção. Afinal, Cristo criticava aos fariseus que coavam um mosquito... mas engoliam um camelo. É uma discussão digna de muçulmanos, que querem submeter tudo a sua Sharia, sua suposta Lei Divina.

A César o que é de César, a Deus o que é de Deus. Se Cristo, sendo Filho de Deus, estava isento do imposto ao Templo e ainda assim pagou o imposto para evitar as questiúnculas, quanto mais nós não devemos parar de olhar os mosquitos enquanto engolimos camelos. O Cristianismo estabeleceu muito bem a diferença entre a Cidade de Deus e a Cidade dos Homens, se "de minimis non curat praetor", muito menos "curat sacerdos". E francamente, quem bate no peito em excesso de zelo por estas questões pequenas frequentemente faz para demonstrar bom mocismo. Tamanha excelência espiritual eu veria e aceitaria num São Francisco vivo, num Santo Antão vivo, não num comentário de internet.

Lembrem-se que algo pode não ser correto sem ser pecado. Quem iguala isso talvez não entenda direito o conceito de pecado, nem sua gravidade. Eu não entro nestes espinheiros. Nada me irrita mais com que discutir se colar na prova é pecado. Dá vontade de perguntar se tomar mamadeira depois de adulto é pecado, ou fazer xixi na cama é pecado.

Lógico que quem tem pouca formação humana vê a heterogeneidade das instituições humanas e procura na lei de Deus a ordem que falta. Infelizmente o Cristianismo não foi feito para estas questões legais menores, Jesus irritantemente deixou em aberto questões como do "imposto a César". Se você, incapaz de pensar como cidadão, quer que a Lei de Deus te dê pronta e acabada, ou pense que te dará pronta e acabada, a lei divina para agir entre os homens, supresa: "Allha hu akbar" é sua religião. Saia do armário, TU ÉS MUÇULMANO! 


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.