Do Padre Pio e do episódio do tapa na cara

/
0 Comentários
RESPEITE O SUMO SACERDOTE!!! PLASH NA CARA!

O episodio do Padre Pio e do tapa virou a "lei de Godwin" ao falar da hierarquia e seus problemas. O Padre Pio nunca disse que alguém é automaticamente bom e competente apenas por ser padre ou bispo. Ele, que foi tão perseguido, sentiu mesmo na carne os males dos mercenários ordenados como pastores. No episódio do tapa, ele condenou a fofoca, coisa abominável. Se o Padre Pio realmente julgasse que por força de um cargo havia licença para fazer qualquer coisa com aprovação automática, ele deveria ter se dessantificado para agradar aos clérigos que o condenaram. 

Cargo não santifica ninguém. O sumo-sacerdote Caifás, sacerdote legal da ordem de Aarão e conforme a lei de Moisés, não me deixa mentir. E os maus bispos tem seu patrono, o apóstolo Judas Iscariotes. Será que São João, que não confiava em Judas e suspeitava que ele roubava, merecia um tapa na cara por perceber a Verdade? Será que São Paulo merecia um tapa por ser contra a bagunça na diocese de Corinto causada pelos seus líderes? Será que Jesus merecia um tapa na cara por chamar o papa São Pedro de Satanás quando este falou o mal? De fato, Jesus levou um tapa na cara, mas dado por quem defendia o corrupto sacerdote Caifás. 

Jesus prometeu que as portas do Inferno não prevaleceriam contra a Igreja como um todo, não que seríamos uma congregação acabada de santos, nem que seu clero seria inerrante e imaculado.  É grave o dever moral dos fiéis o combate aos mercenários disfarçados de pastores. Assim faziam os grande santos do passado. Ainda que cumprindo a profecia de Isaías do servo silencioso injustamente condenado, Jesus não disse Amém às patifarias de Caifás.


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.