Et in pluribus unum

/
1 Comentários
Temos como objetivo salvar o Brasil e a Igreja do veneno esquerdopata. 

Todas as contradições entre os adversários da esquerda podem ser trabalhadas depois dentro do amplo espectro de aliança que deve ser formado. Isso para nós católicos deveria ser fácil porque temos de fato apenas um pequeno núcleo de crenças inegociáveis, fora delas a doutrina dá ampla liberdade. Não só isso, como na vida civil nos permite trabalhar pelo bem comum com gente dos mais diversos campos. Não é a toa que São Pedro pedia que se rezasse pelo Imperador, e o imperador era Nero. Ou seja, o príncipe dos apóstolos sabia que a autoridade do cargo tinha méritos ainda que o ocupante dele fosse um degenerado. Nero era ruim, mas tal era o estado de coisas no mundo que deveria haver o imperador para governar a república.

Portanto não deveríamos nos atacar mutuamente, discordâncias em temas diversos sempre haverão, mesmo entre os doze apóstolo as houve, e São Paulo gasta um tempo imenso de suas cartas apaziguando as primeiras igrejas nestes pontos. Quem tem a ilusão perigosa de que sua alta missão na vida é "denunciar todos os erros" que tenha prioridade: primeiro com a trave esquerdopata já no poder, depois com os ciscos de quem os combate. Não se medica a unha encravada e se deixa de lado a leucemia.


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. Puxa vida Frei. É exatamente o que penso. Mas não sei porque não dá certo. Precisariamos de alguém que pudesse fazer estas intermediações. Recentemente o Prof. Hermes Rodrigues este em Curitiba para uma reunião. Acompanho constantemente os blogs católicos e de direito, não vi qualquer menção do assunto. Ou seja, cada um se reune com os seus e ponto. O restante que se vire. Tentei contato com inúmeras pessoas para tentar combater a ideologia de gênero em Curitiba, conversei com deputados e vereadores, quando fomos para a votação só encontrei eu, 3 guerreiros do ipco e um grupo de protestantes. O bispo estava pedido manifestações e só isto aconteceu. Graças a Deus tinhamos bons vereadores e deputados que trabalharam para excluir a ideologia de gênero. Então, concordo plenamente contigo, mas só vejo esta viabilidade se tivermos uma figura que possa realizar a intermediação entre os grupos. Figura esta que não temos até o momento.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.