A falsa educação de apologetas de fancaria

/
0 Comentários
Gente, vou pedir um favor: Sem educação forçada.

É assim, o cara está escrevendo um texto cheio de mentiras contra você e fica com aquela educação fingida. Primeiro que quem faz isso é burro, porque um dos elementos de um texto de denúncia é o modo patético, isto é, emocional (sentido original de patético). Bastam ver as Catilinárias de Cícero, como o cônsul coloca habilmente o modo emocional no discurso para surtir seu efeito.

É por isso que querer "debulhar alguém em público" sendo educado soa artificial e fraco. Percebe-se que quem escreve não tem a "paixão". Vejam os textos dos grandes apologetas cristãos, como eram apaixonadamente mordazes e duros.

Aliás, há quem diga que apenas a humilhação causada pelo efeito emocional do texto surte efeito para cortar as máscaras dos autênticos hipócritas. Os "palavrões" e "falta de educação" fazem as vezes de munição perfuradora anti-tanque: como o tanque é reforçado com sua blindagem, a bala tem de perfurar primeiro para explodir lá dentro. Assim é a tal "falta de educação", ela perfura as camadas de hipocrisia e insensibilidade e explode lá dentro do ego do farsante intelectual, porque é só isso com que ele se importa. Um autêntico farsante não está nem ai para seus argumentos lógicos.

Então, francamente, se você se deu ao trabalho de supostamente "mostrar a fraude que sou", faça-me o favor, chame-me de filha da puta. Ou seja, se quer me estuprar (intelectualmente), venha pelo menos com o pau duro (na linguagem) e sem pedir licença (nem vênia intelectual).


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.