Meditações na Páscoa - III Política é tudo

/
0 Comentários
Meditações na Páscoa - III

Política é tudo



Os sacerdotes queriam condenar a Jesus, mas não tinham poder para isto, precisavam dos romanos. Pilatos não queria condenar a Jesus. Ai numa firula jurisdicional passou a uma segunda instância, Herodes. Por mais corrupto que fosse, Herodes não viu no que condenar a Jesus, apesar dos sacerdotes quererem. Eis uma lição terrível, sacerdotes corruptos podem ser piores que os Herodes da vida! 

Herodes devolveu Jesus a Pilatos, e fizeram as pazes. Pilatos, como terceira instância, não queria condenar a Jesus ainda, mesmo sua mulher o alertava para não o fazer. Finalmente os sacerdotes lançaram a cartada política, a cartada que amarra as mãos da Justiça, ameaçaram o procurador de o denunciar a César, significando o fim da carreira de Pôncio Pilatos.

A cartada política é poderosa. Os sacerdotes condenaram a Jesus com o nome de César, a personificação do gigantesco estado romano. O nome de César venceu ao nome de Jesus naquela corte, um covarde Pilatos concedeu a condenação. Política é tudo. O Jesus que o direito salvaria era condenado pela política e pelas ameaças junto a um poderoso.

Outra lição é que não importam as instâncias do julgamento, se Pilatos, Herodes ou Pilatos de novo. os que querem condenar ou absolver usam o nome de César, e ai do juiz que irá contra César.

Sacerdotes venais conseguiam em aliança com César a morte do verdadeiro Deus, tripudiando do processo legal. Eis na Paixão de Cristo uma lição poderosa para nosso iludido século.


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.