Tolo é quem pensa estar a Teologia da Libertação morta

/
10 Comentários
Buscar a definição da Teologia da Libertação (TdL) entre seus adeptos tem a mesma utilidade de buscar as propriedades reais de certo produto em sua campanha publicitária. Atire no lixo os livros-texto de seminário (se é que os seminaristas de hoje em dia ainda sabem ler!). É mais fácil definir o que a TdL não é. 

O que ela não é? Ela não é cristianismo, ela não é catolicismo, ela não é sadia, ela não vem de Deus, ela não fez bem a nenhuma igreja que corrói e destrói sistematicamente.

Diz um ditado chinês que quando um tolo joga uma pedra num buraco, nem mil sábios não conseguem retirá-la. A TdL tem objetivo duplo, em um primeiro objetivo ela é uma atrapalhação para os católicos ortodoxos, que dentro dos rigores da contestação seriam ocupados a contestando. Neste fenômeno vemos porque as condenações brilhantes da TdL por Ratzinger e João Paulo II tiveram na prática efeito inverso à sua qualidade, na prática foram inócuas: a mentira é ágil e matreira, a verdade é longa e tediosa, ninguém a quer ouvir. A TdL já faria seu dano à Igreja se ocupasse o tempo dos pregadores em refutá-la. É como o sistema imunológico de um organismo que ocupado em derrotar a tuberculose sucumbe a alguma infeccção aproveitadora. Ah, sim, a TdL está cheia de furos, mas quem se importa com sua coerência? Ela foi plantada para nos atrapalhar, quiçá destruir. Quando um exército lança um míssil no inimigo, alguém se importa se o obus está mal-polido ou mal-pintado? O Inimigo se importava por acaso com a qualidade das sementes de joio lançadas se elas germinassem e sufocassem o trigo? Se a TdL colasse, colou. E como colou! 
No segundo objetivo, se deixada livre  a TdL inverte e corrompe totalmente a mensagem cristã, invertendo o sentido de todo o evangelho para eliminar dele o componente sobrenatural e transformá-lo numa rasteira luta de classes marxista, tirando todo o seu componente sobrenatural. Este fenômeno no século XX não afetou apenas a doutrina cristã, mas quase tudo pelas maquinações da famigerada Escola de Frankfurt. Vemos isto no Direito pátrio o tempo todo. Você não precisa mudar a lei, mas pode mudar o sentido das palavras até os juízes darem jurisprudência diversa do que foi originalmente aprovado. Vejamos os exemplos recentes: De repente, por uma canetada do Conselho Nacional de Justiça, a família composta por homem e mulher da letra da lei é família também de homem com homem e mulher com mulher. De repente, por uma esperteza no Supremo Tribunal Federal, o direito à vida desde a concepção se enche de "poréns" de jurisprudência: "...porém não em caso de estupro", "... porém não em caso de anencefalia", "... porém não em caso da mãe não ter condições psicológicas", de porém em porém temos uma lei para otários que defende a vida desde a concepção, porém aceita o aborto. Cumpre-se assim a profecia de Isaías que diz "Ai dos que transformam bem em mal, o mal em bem; as revas em luz, as luzes em trevas; o doce em amargo, o amargo em doce" (Is 5,20). A laranja não cai longe da laranjeira: A Constituição stalinista da URSS foi o mais belo documento em defesa das liberdades individuais que jamais teriam o menor apoio para serem exercidas. 

Assim pela TdL a História de Israel não é mais a aliança de Deus e seu povo, com sua fidelidade e pecados, é sim uma luta de camponeses contra opressores imperialistas egípcios, cananeus e babilônios: politics as usual!!! Jesus não é mais verdadeiro homem e verdadeiro Deus, o Verbo, Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, Senhor e redentor, é apenas um revolucionário, um Che Guevara palestino contra os opressores romanos e saduceus. A Paixão de Cristo não é mais o delicado mistério da redenção, é apenas um assassinato político, um martírio político habilmente manipulado. O Reino de Deus não é mais a intervenção divina na História através da Igreja e implantado na Segunda Vinda de Cristo, o Reino de Deus é "A Revolução" que deve leninisticamente ser adiantada pelos revolucionários. A TdL é tanto mais depravada porque não nega abertamente estas verdades da fé, o que possibilitaria a punição por apostasia de seus infectadores, mas tira toda a importância das verdades da fé na prática, elas viram fósseis de um passado maldito da Igreja do que se força a exconjuração sistemática. 

Não se ataca mais o pecado, e o pecado vira "O Sistema". O pecado, não mais sendo individual, não é mais combatível individualmente, a redenção é combater "o Sistema" no "movimento".  Temos então "combatentes de sistema" que enquanto buscam na Terra o Paraíso se tornam mil vezes mais merecedores do Inferno no Reino de Deus (Mt 23,15). Estes combatentes para serem santos não precisam de nada, exceto serem combatentes. Quem quiser ver como a justificação da luta transforma supostamente religiosos em demônios pode verificar nos combatentes do Estado Islâmico: Enquanto supostamente lutam por Deus em sua guerra santa, onde tudo estaria justificado, individualmente queimam e decapitam homens desarmados, estupram mulheres, traficam órgãos, destróem antiguidades, são viciados em drogas e pornografia. Esta psique (ou melhor, psicose) é análoga ao que vemos nos revolucionários esquerdistas... ou sua versão incruenta cancerosa, os adeptos da Teologia da Libertação na Igreja. 

A Teologia da Libertação, contudo, é poderosa, e como a décima-cabeça da Besta do Apocalipse, que estava morrendo mas foi revivida (Ap 13,3), ameaça dar as caras no pontificado de Francisco. Hoje em dia a Igreja no Brasil e América Latina está tão infectada pela Teologia da Libertação que qualquer vocacionado que ousar não se ajoelhar diante deste bezerro de ouro será fatalmente excluído dos seminários e casas de formação. Mesmo bispos não estão a salvo: O bispo Livieres, de Ciudad del Este, também foi defenestrado de sua diocese por suposta falta de colegialidade com o episcopado paraguaio, um episcopado tão TdL que deu um ex-bispo, exímio reprodutor de fazer inveja ao cardeal Bórgia, como presidente e lugar-tenente do Foro de São Paulo no pobre Paraguai.

O Cardeal Ratzinger também pagou caro ter ousado quebrar as tábuas diante dos bezerros de ouro da Teologia da Libertação: Perseguido implacavelmente pela imprensa esquerdopata (em resumo: quase toda imprensa) como se fosse um inquisitor dos velhos tempos e rottweiller de Deus, renunciou ao pontificado após anos de desgaste sendo acusado de encobrir pedófilos e no calor num suposto escândalo, os Vatileaks, que misteriosamente sumiu dos jornais mal era anunciado seu sucessor... e nunca mais se falou do tal escândalo.

Tolo é quem pensa estar a TdL morta: a maior astúcia do Capeta é parecer que não existe, já dizia Schopenhauer. Todo católico de bem tem o dever de combater a Teologia da Libertação pelo que ela realmente é: o vômito do Dragão no final dos tempos destinado a afogar a Igreja (Ap 12,5)... MESMO que com isso compre briga com as lideranças da Igreja. Afinal, diz a História Sagrada (1 Rs 12,29 ; Am 7,12), os bezerros de ouro em Betel e Dã tinham seus sacerdotes, levitas e subvenção estatal...



Você também pode gostar

10 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Explicar a TDL é uma forma muito eficiente de combatê-la.

    ResponderExcluir
  4. Quando vc fala Teologia da Libertação vc já a define como teologia, admite que é algo legítimo e válido, portanto não sei porque ficar com o seu mi mi mi de sempre: mostre o valor da sua teologia conservadora e convença do que ela é. Vc está parecendo criança ciumenta. E parece-me que na verdade há muito mais de uma permanente dinâmica edípica narcísica do que propriamente de teológico. vá fazer terapia....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://www.freirojao.com.br/2015/03/porque-o-filho-bastardo-de-narciso-e.html

      Excluir
    2. Como os adeptos da "teologia" (ideologia) da libertação, permanecem longe de Deus. Não estudam Deus, mas estudam meramente as coisas materiais, e criaram um Jesus político, nunca ensinado pela Igreja ao longo desses 2000 anos. São verdadeiros protestantes, vestidos(com vestes vermelhas) de católicos.

      Excluir
    3. Era uma vez uma iena mav-pt-cebs-tdl que apareceu numa reunião de leões, começou a ulular como louca achando que era a última bolacha do pacote, foi então que os leões deram-lhe uma mordida nas ancas e puseram-na pra correr.
      teologia da libertação tem este nome porque justamente os seus idealizadores deram a ela este nome, mesmo que não passe de ideologia marxista. Não é porque tem o nome de teologia que venha a ser válida, pois tem o nome de teologia da prosperidade aquela que os pastadores protestantes usam pra arrancar dinheiro dos trouxas fiéis e por ter o teologia no meio da coisa a torna verdadeira? Não. Quanto a teologia da Igreja Católica, que já fazem seus 2000 anos e seguindo não precisa ser provada, pois foi por meio dela que reergueu o império romano, fundou a Europa, pacificou os bárbaros, fez Átila o Uno recuar, cristianizou o mundo e fez nascer o mundo ocidental com liberdade, prosperidade, desenvolvido cientificamente e todo o mais, mais algo? Acho que não. Mas vamos as provas da teologia da libertação o que ela foi capaz, como ela é um disfarce do comunismo, ela foi responsável por fazer mais de 1 milhão de ucranianos morrerem de fome, ela foi responsável por mais de 200 milhões de mortes (não adianta fazer mi mi mi que quem fez o livro negro do comunismo, pesquisou tudo e lançou no mercado são comunistas. Gente que é louvada por Leonardo Bode e Frei Bé). Todo o resto de sua retórica marxista é bla bla bla comunista, retórica ad hominem.

      Excluir
  5. Mas esses comunistinhas ainda aparecem ?? Pensei que o pão com mortadela tinha acabado!

    ResponderExcluir
  6. isso é a pura verdade...participei da Semana Social Brasileira, e o encontro se dava em um seminario desativado que foi transformado em clinica... lá pelo fim do encontro uma irmanzinha começa a pedir oração pro Frei Beto e pro Leonardo Boff...quase não me segurei, mas minha vontade era de ter perguntado se o Frei Beto não era aquele que imaginou um filho entre Santa Tereza de Avila e Che Guevara... mas eu estava no meio de um monte de gente declaradamente comunistas que queriam um estado grande ( inchado).. e um monte de feministas que não dava pra dizer nada que elas já olhavam de atravessado...foi tenebroso , mas muito elucidativo sobre o atual estado de aparelhamento ideologico comunista dentro da igreja... por fim rezei sozinho num canto pedindo a Deus pra livrar a minha igreja do comunismo...

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.