Contabilidade da Petrobrás para leigos

/
1 Comentários
É bom ter amigos de todas as áreas. Um contador teve a paciência evangélica de me explicar o imbróglio com a Petrobrás, então ei-la aqui. É interessante ressaltar que o pai da contabilidade moderna foi um frade, então está tudo em casa.

Ativo é tudo que a uma empresa tem. Passivo é tudo que uma empresa deve. Como qualquer pessoa, os ativos devem ser maiores que o passivo. Se o passivo fica maior que o ativo e não diminui, é uma questão de tempo para a empresa falir. Quanto menor o passivo em relação ao ativo mais saudável é uma empresa. 

Patrimônio líquido é ativo menos passivo. Se a empresa fechasse e vendesse tudo, pagando suas dívidas, era o quanto sobrava para os sócios ou acionistas.

Se uma empresa tem $100.000 de ativo e $60.000 de passivo e vai ao banco pedir $20.000 emprestado, a conta simples é que 100.000-60.000=$40.000 de patrimônio líquido. É o que o banqueiro pensa para emprestar: "Se a empresa acabar hoje sobram $40.000 então eles podem me pagar os $20.000 que me devem. Empresto".

Porém quem vai acreditar que os$ 100.000 valem $100.000??? Com a palavra do empresário?  Ai entra os auditores contábeis, que atestam que a demonstração contábil está livre de distorções. 

Demonstrações contábeis valem dez centavos a dúzia sem a chancela de uma auditor independente. E o mercado confia e obriga a haver a auditoria. Em outras palavras, uma demonstração contábil é como uma xerox de documento e a auditoria é a autenticação do cartório: O cartório independente atesta que aquela cópia é fiel ao original. A auditoria externa e independente atesta que a demosntração é livre de distorção. Os 100.000 com a auditoria externa dando parecer realmente vale 100.000. 

Qual o problema da Petrobrás? É que noves fora, o que ela diz ser $100.000 eventualmente pode valer apenas 10.000. Não que ela não tenha gasto $100.000, mas é que tanto foi gasto em roubo e corrupção para o PT que na hora do "vamo vê" de vender as coisas só vale $10.000 . É como a refinaria de Pasadena, não vale o que foi pago. Contabilmente se registra o que foi pago e a auditoria testa se o valor pago pode ser recuperado. Se não valer, a contabilidade precisa reduzir. A empresa "empobrece" de volta à realidade.

Refinaria de Pasadena

Explicando de novo, se eu pago por um gol o valor de R$ 120.000 eu não posso dizer que tenho um ativo de 120.000. Devo testar a valor de mercado. Ou seja, tenho um carro de R$ 30.000; que é o quanto me pagariam por ele. E a diferença? Evaporou-se num mau negócio. 

E a demonstração sem auditoria? Vale nada! É como se seu tentasse fazer algum negócio com uma cópia de documento sem autenticação, vale nada!

Ninguém sabe exatamante o quanto foi roubado e superfaturado da Petrobrás. Ninguém sabe o quanto a Petrobrás vale hoje, ninguém sabe o quanto a Petrobrás tem! E a auditoria externa? A auditoria externa pulou fora de auditar as contas da Petrobrás, ela não é besta de meter a mão naquele vespeiro. Eles simplesmente disseram "Não consigo atestar o que está ai, não posso fazer o serviço", o que para bom entendedor é "roubaram até não poder mais e está uma zona essa empresa".

Este é o resumo da ópera... e ópera bufa. 


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. Frei,

    O nobre colega contador explicou muito bem!!! É isso mesmo os ativos da Petrobrás não conseguem pagar a divída gigante da empresa... O Frei Luca Pacioli foi quem escreveu acerca do método que utilizamos atualmente para registrar todas as operações nas entidades.

    Att.

    Emanoel

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.