Castigo de Deus? Só que não...

/
0 Comentários
Não fiquem com paranóia achando que qualquer coisa de mal que ocorre em suas vidas é porque fizeram esse ou aquele pecado. Deus não costuma nos punir pelos nossos pecados nesta vida, e quando faz é algo excepcional para um eleito, digno de um herói da História Sagrada ou de um grande santo. Até porque se ele começasse a punir não sobraria pedra sobre pedra. É como disse o salmista: "Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir?". É como ensina Jesus: "Como o devedor não tivesse como pagar, foi atirado à prisão". Se Deus resolvesse realmente prestar contas nesta vida das indenizações "por perdas e danos" do mal que fizemos, não teríamos nem como começar, nossas vidas não teriam nem o que nos retirar para sermos punidos o suficiente. Um homem não tem como prestar contas a Deus de um único de seus pecados, tamanha é a gravidade daquilo que ofende ao Deus infinito. Se não fosse a Cruz estaríamos perdidos.

Portanto sem essa de "perdi o emprego porque faltei à missa" ou "estou com câncer porque trai minha esposa" ou "meu filho foi assassinado porque roubei a firma" ou "se tivesse dado dízimo não estaria pobre". São os charlatões que tentam te culpar disso. Vejam a história de Jó, coisas ruins acontecem com pessoas boas. E acontecem com pessoas ruins também, acontecem com todo mundo, faz parte do Mal no Mundo causado pelo pecado original. Se acontece coisas boas com todos, acontecem coisas ruins também.

Aliás, uma das conseqüências do pecado original em nossas vidas é a perversão do senso moral: sentimos culpa daquilo que não precisamos, enquanto não sentimos remorso daquilo que deveríamos!!!

A questão é muito matemática aqui: Se Deus fosse nos castigar, tamanha é a gravidade do pecado que não teríamos como pagar (é a parabola dos 10000 talentos perdoados). Sendo assim as contrariedades da vida não são castigo s mesquinhos de Deus...


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.