Possessão: A lógica do sequestrador

/
3 Comentários
Ora, na sinagoga deles achava-se um homem possesso de um espírito imundo, que gritou: "Que tens tu conosco, Jesus de Nazaré? Vieste perder-nos? Sei quem és: o Santo de Deus! Mas Jesus intimou-o, dizendo: "Cala-te, sai deste homem!" O espírito imundo agitou-o violentamente e, dando um grande grito, saiu. Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros: "Que é isto? Eis um ensinamento novo, e feito com autoridade; além disso, ele manda até nos espíritos imundos e lhe obedecem!"
São Marcos 1, 23-27

É evidente que há diversos fenômenos de doenças mentais que podem, a primeira vista, parecerem possessão diabólica. Porém eu lembro que a Igreja, como mãe e mestra da Verdade e patrona das Ciências, antes de proceder a um exorcismo exige as mais rigorosas avaliações que não se trata de uma doença mental, e que há componentes sobrenaturais na conduta do possesso. Os exorcistas famosos são claros ao dizer que 90-95% do que parece ser possessão no fundo é desordem psicológica. O problema são os 5-10% que são realmente sobrenaturais e que devem apelar ao milagre do exorcismo. O exorcismo sempre é um milagre, um poder dado por Jesus aos apóstolos como dom especial (Mc 16).

Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados.
São Marcos 16,17s

Um teste simples costuma ser se o possesso detecta sacramentais ocultos. Evidente que um Demônio sente na pele a aproximação de água benta e que diferencia a água benta da comum tanto quando diferenciamos petróleo de leite. Se você anunciar que a água é benta, até que algum maníaco por efeito de sugestão pode reagir como se fosse (com interessantes efeitos diagnósticos se não for efetivamente benta!). Lógico que não é um teste isolado, um demônio muito espertamente pode tentar "se controlar" ao perceber a aproximação de um sacramental. Da mesma maneira, ao ser anunciado água comum como benta ele pode se fingir de incomodado para parecer um maníaco, não um possesso. Estamosa lidando com seres incomensuravelmente mais espertos e maliciosos que nós, e apenas a força bruta divina consegue vencê-los.

Alguém dirá que se dermos um "sossega Leão" ao possesso ele vai acalmar. Logicamente! O corpo humano permanece sujeito às leis da matéria. Se eu dopar o corpo, o demônio vai estar num corpo dopado, quando a droga se for, tudo volta. Mas em sentido análogo se eu der um tiro na cabeça de um possesso evidentemente eu mato o corpo por mais que o demônio ache frustrante. É óbvio que ai se opera na lógica do sequestro, o sequestrador sabe que não desejamos ferir os sequestrados, e usa isso de chantagem. Luta-se contra uma possessão para libertar a vítima, não para incomodar um demônio. Da mesma maneira não se dopa de maneira danosa um possesso assim como não se mata ele para o livrar do demônio que o sequestrou. A lógica é auto-evidente.

E logicamente a possessão é um fenômeno extremo, de causas desconhecidas. A possessão em certo sentido é contraproducente para Satanás, porque demonstra sua existência e ele consegue enganar mais fingindo que não existe. Mais comuns e sutis são as influências demoníacas chamadas de infestação e obssessão. Estas demoram para ser detectadas e raramente são demonstráveis, mas tem efeitos devastadores nas vidas.

Se a possessão diabólica não existiu, Jesus mentiu.
E Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida, enquanto o Inimigo é o mentiroso.
Simples assim. E qualquer afirmação contrária vem do Pai da Mentira.


Você também pode gostar

3 comentários:

  1. Esse artigo lembra muito o livro do Pe Fábio de Melo Quem me rouboude mim; um sequestro da ssubjetividade. Parabéns Frei... e se tiver se inspirado no livro Parabéns duas vezes.

    ResponderExcluir
  2. Em tempos tao carentes de caridade, de respeito ao próximo, de amar como Jesus amou... ver um religioso falando de possessão demoníaca... " o demônio sente na pele". Antropomorfismo de quinta... se esse assunto fosse tratado assim pela Igreja porque então nao vemos mais exorcistas, mais debates sobre. E porque senão o demônio ouve? Ele deve ter ouvidos também não é? Em momento algum Jesus pediu para que seus discípulos pregassem sobre o inimigo, mas pediu: amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei. E me desculpe anônimo das 12.04 esse artigo nao merece Parabéns. Retrocesso teologico pastoral. Isso e opinião sectaria de um religioso e nao a verdade da igreja. E nem padre Fábio de Melo merece Parabéns. É enganador igual o autor desse artigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon; das 13,16: vá pregar doutrina desse naipe no Terreiro de Salomão de pai Edir, nos terreiros evangélicos pentecostais as centenas por aí nas esquinasou no centro de umbanda , candomblé, etc. lá v fará sucesso absoluto. é de casa!
      Anon Henoc

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.