E viva el Paraguay!!! No hay Paragay!!!

/
5 Comentários
Frei: Recebi este texto do mailing list do CitizenGO. Transcrevo que vale a pena


CitizenGO: Escrevo para lhe contar um pouco como foi a 44a Assembléia Geral da OEA, que tive a oportunidade de presenciar. O texto é um pouco longo, mas vale a pena lê-lo até o final! O relato foi redigido por meu amigo Luis Losada, nosso diretor de campanhas para língua espanhola.  

***

A Organização de Estados Americanos (OEA) vinha há seis anos aplicando a agenda gay em suas assembléias gerais. Não obstante, na 44ª Assembléia Geral realizada entre os dias 3 e 5 Junho em Assunção (Paraguai) o lobby LGBT sofreu a primeira freada.

O secretário geral da OEA, José Miguel Insulza, reconheceu que impor a agenda LGBT "só acrescenta mais atrito". O mesmo disse em relação ao aborto. Por isso recomendou que cada país se defina conforme os seus próprios critérios a respeito desses temas mais polêmicos...

Onze países mostraram suas reservas em relação à resolução proposta por Brasil, Uruguai e Argentina. É verdade que o texto não mencionava explicitamente o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo e a adoção, mas isso estava implícito. Concretamente, pedia-se o seguinte aos governos:

"Eliminar as barreiras que os homossexuais, bissexuais e transexuais enfrentam no acesso equitativo à participação política e outros âmbitos da vida pública, assim como evitar inferências em sua vida privada".

Muitas delegações mostraram seu temor de que se fosse aprovada a resolução impulsionada por Brasil, Argentina e Uruguai, os países que não legalizassem o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo seriam penalizados.

O representante da Guatemala esclareceu o seguinte:
"O meu país declara que promove e defende os direitos humanos e, com relação às disposições desta resolução, não discrimina por qualquer razão, por motivos de raça, credo, sexo, etc. Não obstante, Guatemala considera que legalmente não reconhece o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo, e isso não constitui uma prática discriminatória.

O representante do Equador manifestou-se na mesma linha. Jamaica, por sua vez, advertiu que a proposta do lobby LGBT é "ambígua e impõe um sistema de valores sobre outro". O Suriname também encontrou "certos problemas" no texto. São Vicente e Granadinas manifestou-se contrário ao termo "expressão de gênero".

Até os Estados Unidos mostraram reservas! O país considera que a aprovação de resolução colocaria sob suspeita o sistema universal de Direitos Humanos. Além disso, assinalou suas reticências com relação à estratégia da OEA de tratar de impor a agenda LGBT aos Estados membros.

"Este país tem se oposto constantemente à negociação de novos instrumentos legalmente vinculantes. Reiteramos a nossa preocupação há muito tempo com esse exercício dentro da OEA e as convenções resultantes".

Estes foram os países que mostraram as suas reservas: Paraguai, Equador, Guatemala, Honduras, São Vicente e Granadinas, Belize, Guiana, Trinidad e Tobago, Suriname e Barbados. Só Brasil, Uruguai e Argentina asseguraram que ratificarão o texto na convenção.

Trata-se de um verdadeiro revés para os lobbies LGBT e abortista, que há seis anos vinha impondo sua agenda na OEA. Nunca uma resposta tão clara e numerosa havia sido dada.

CitizenGO colaborou com essa vitória por meio de uma campanha que contou com mais de 46.000 assinaturas dos países de língua espanhola, gerando mais de um milhão e meio de comunicações enviadas aos embaixadores.  A mudança também foi possível graças a organizações pan-americanas como Human Life International, Observatório Interamericano de Biopolítica Alliance Defending Freedom, Population Research Institute, Observatório Católico, Alianza Latino-americana de Família, Generaciójn Pro-vida e tantas outras, como o World Congress of Families, que se mobilizaram em defesa do matrimônio, da vida e da família. (...)

Mas sem dúvida alguma, tudo isso não teria sido possível sem a participação ativa do Paraguai. Os movimentos pró-vida e pró-família desse país foram os grandes motores dessa mobilização, que levou também mais de 20.000 pessoas às ruas em plenas segunda e terça-feira! A Igreja Católica e os evangélicos também mobilizaram os seus membros para defenderem a vida e a família. O Parlamento e o Senado mostraram claramente seu rechaço à resolução brasileira.

O fato de o país anfitrião da Assembléia Geral ter sido contra a agenda abortista e LGBT foi fundamental para que, pela primeira vez, os lobbies LGBT e abortista fossem freados e impedidos de impor seus privilégios e seu modelo de sociedade. Obrigado Paraguai!

***

Logo mais escreverei para falar sobre algumas das nossas petições mais recentes.

Obrigado por seu apoio e sua atenção, Clemente. 
Um forte abraço.
Guilherme Ferreira e toda a equipe de CitizenGO.


Você também pode gostar

5 comentários:

  1. E enquanto isso a revista Vida Pastoral, no seu número mais recente, dá a sua contribuição.

    ResponderExcluir
  2. !Que verguenza, Brasil, Argentina y Uruguay!
    E também para os eleitores desses países esquerdistas que votaram nesses comunistas, promotores das aberrações pansexuais, o maldito "Politicamente Correto"!
    Quem elege os comunistas que são antes de mais nada uns psicopatas está por detrás, de hoje no Brasil não estarmos com um governo que primasse pelos procedimentos ético-morais e não privilegiasse apenas bandalheiras e a bandidagem.
    Depois que os comunistas entraram na Venezuela, noticias recentes, além das gôndolas vazias, um absurdo a mais, falta até caixão nas funerarias!
    Creio que tirando o PT do poder pode suceder de uma nova onda de moralidade ressurgir; pelo menos a pressão seria mais atenuada e as reações populares seriam mais levadas em conta.
    Até a Globo tem sentido o drama, ainda que timidamente dado guinadas para a direita, via pressão contra ela de ser capacho do PT!

    ResponderExcluir
  3. "Carta enviada por Fidel Castro ao Presidente Hugo Chávez de como implantar o comunismo na Venezuela" e depois repassada a outros presidentes socialistas latino-americanos.
    PRIMEIRA ETAPA. Os pobres são maioria e têm pouca memória. Injete-lhes esperança e acuse o passado à democracia como causadora de todos os males. Mantenha-se em contato permanente com o povo. Identifique-se com eles. Seu discurso deve ser simples; isso é muito bom, é o tempero que faz falta . Emocione-os com gestos, leve-os em consideração. Aprenda a manipular os ignorantes. Seja sempre inflamado, de autoridade e poder; não se preocupe com os ricos e a classe média, mas com os 80% de pobres necessários. Os ricos saem correndo se lhes faz qualquer ameaça: “Buu!!!”
    Os católicos adoram menções da Bíblia ou de Cristo. Os católicos, em que pese ser a grande maioria na Venezuela, não fazem nada. Rezar, sem ações, não resolve nada; são uns bobalhões. Enquanto a Igreja cochila, aproveite. Quando decidirem mover-se, já estará instalado. Lembre-se que a Igreja é “escorregadia” e a mantenha sob forte pressão.
    Os católicos sem liderança nada valem. Nenhum padreco reagirá. Há dois ou três que se rebelarem, seus superiores os encurralarão. Qualquer padreco alvoroçado, compre-o, ganhe-o; se o povo cristão se rebelar, esse será teu último dia… porém, dificilmente esse dia virá. Os judeus na Venezuela não contam, os Evangélicos são também uns idiotas, coitados, e as mais religiões não contam ponto. Cite o Cristo sempre, fale em seu nome, vá às cerimônias, finja-se religioso; lembre-se que isso me deu excelentes resultados.
    Inclua bandeiras e Simón Bolívar quando possível, gere um novo nacionalismo. Desperte o ódio, divida os venezuelanos.
    Esta etapa lhe dará bons dividendos… Se eliminarão uns aos outros, a violência o ajudará a instalar-se mais tarde à força. Entretanto, insista, fale-lhes de democracia. V está com dinheiro, compre a fidelidade enquanto cumpre os objetivos. Ao conseguir o desejado pise nos opositores ou conselheiros. Envie-os a embaixadas, dá-lhes dinheiro para se calarem ou tire-os do país para a imprensa não os utilizar. Aos opositores, encha-so de falso delitos, isso os desqualifica para sempre. Por todos os meios mantenha a maioria na Assembléia. Mantenha a seu lado no mínimo a Procuradoria e o Tribunal. Compre todos os militares com comando de tropa e equipamentos. Ponha-os-os onde há bastante dinheiro. Compre banqueiros. Grandes comerciantes e construtores . Dê-lhes contratos, trabalhos e facilidades para essa primeira etapa.
    Anônimo Henoc

    ResponderExcluir
  4. Cont.:
    SEGUNDA ETAPA. Para a segunda etapa terá de formar Comitês de Defesa da Revolução chamados de “Bolivarianos”. Faça trabalho comunitário com eles para o defenderem agradecidos. Pague-os para irem a marchas e concentrações. Dos comitês selecione os mais agressivos para uma força de choque armada que pode necessitar se a coisa piorar. Controle a Polícia e a destrua, mostrando suas truculências contra o indefeso povo mais pobre. Ponha-na à sua disposição. Na segunda etapa terá de aprofundar a visão da Revolução, pois mencionar muito a palavra “revolução” emociona e muito os pobres.
    Agora é hora de fraturar as uniões de trabalhadores e de empresários opositores. Aqui temos de conseguir que filiem a uma central paralela. Com dinheiro se consegue. Assim como armar uma central de empresários paralela. Ataque os outros empresários. Acuse-os de famintos, fascistas e particularmente acuse-os de golpistas; faça-se de fraco, vítima deles assim como seus defendidos, os pobres.
    A mente dos homens se situa no mais fraco e na injustiça. Se não puder comprá-los, feche os meios de comunicação de rádio, imprensa e televisões. Sua indústria petrolífera bancará todo o projeto. Ponha uma Junta Diretora Revolucionária. Demita os técnicos e acabe com a meritocracia.
    TERCEIRA ETAPA.Supõe-se tudo anteriormente resolvido. Agora já pode violar a Constituição pois ninguém impedirá. Ordene invasões. Distribua armas, drogas e dinheiro. Acuse-os opositores de espiões e corruptos.
    Desprestigie-os. Prenda os jornalistas, empresários, líderes trabalhistas reacionários. Os demais escaparão do país ou serão punidos.
    Reestruture o Gabinete e já pode despachar seus colaboradores. A alguns premiar, outros desprezar pois já não há oposição. Tem que instalar camaradas subservientes, capachos. Estabeleça o chamado constitucionalmente Estado de Exceção; suspenda garantias. Lançe o toque de recolher. Apareça como herói do povo, olhe se o povo o está apreciando. Feche todos os meios de comunicação. Destrua Prefeitos e Governadores da oposição.
    Anuncie a reestruturação de todas as áreas do Estado e a elaboração de uma nova Constituição. Forme um Conselho de Governo com 500 membros. No Conselho Assessor do Governo estarei eu. Fuzilar os opositores que não aprendem, isso os silencia e é mais econômico.
    Nunca deixe que se organizem, nem deixe conhecerem suas intenções. Seremos respeitados novamente com o Marxismo-Leninismo. Brasil, Equador, Venezuela e Cuba a passos largos rumo ao socialismo; depois os outros os seguirão.
    Se notar que algo não vai bem, retroceda, realinhe e volte ao ataque oportunamente; podem me matar os militares, mas não desistimos!
    Anônimo Henoc

    ResponderExcluir
  5. Que notícia frei! Valeu!
    Tinha que ser o povo paraguaio. Não sei se tenho apenas admiração por este povo, ou se o que sinto por eles, é uma mistura de inveja e admiração. Não se renderam (o seu parlamento) aos bolivarianos na hora que estes tentaram empurrar a Venezuela goela abaixo no mercosul. Os bolivarianos os puniram na primeira oportunidade quando, dentro da lei, depuseram o Lugo. Para mim eles saíram honrados deste episódio de punição.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.