O demérito da canonização por méritos ou ''Dom Luciano quem?'' ou ''Show me the miracles''

/
11 Comentários
Digo com muita sinceridade, é mais fácil um camelo nascer de uma figueira que haver um milagre atribuído a Dom Helder Câmara. Quem quer que analise de maneira fria sua vida verá que o homem estava longe da tradicional santidade cristã. Infelizmente fui obrigado a por tradicional na frente. Nos elásticos critérios hodiernos causados por anos de descristianização até mesmo dentro do clero, um homem como São Vicente de Paula seria atacado como alienado e alienador, que não combatia as "estruturas injustas". São Domingos de Gusmão então seria um bitolado fideísta repressor das expressões da Igreja popular. E São Francisco Bórgia seria chamado de cortesão e amigos dos poderosos. 

Chama-me a atenção que após a canonização sem milagres - por méritos - de São José de Anchieta, tenham pipocado as notícias do processo de Dom Luciano e Dom Hélder Câmara, ainda que o último esteja na fase de eructação diocesana e não deva ser levado muito a sério. Francamente, São José de Anchieta não precisava ter sido canonizado por méritos, ele só não fez um milagre claro e inequívoco com pura falta de devoção nossa que entrasse nos rígidos (e precisam ser!) critérios da Congregação da Causa dos Santos. Tenho a firme fé devota que todo dia no céu nosso Beato Anchieta fazia centenas de milagres e intercessões, somos nós aqui embaixo que desperdiçamos energia em não olhar (nem confiar) nas coisas do alto. Garanto que se nosso clero gastasse na oração  e devoção 10% da energia que gasta em bobagens como Campanha da Fraternidade, Grito dos Excluídos e outras politicagens, não teríamos milagres para canonizar apenas Anchieta, mas para canonizar o Padre Vieira, Padre Cícero, Dom Bergonzini, o Cardeal Arcoverde, Padre Reus, o Cardeal Sales e tantos outros grandes homens que militaram por Cristo nesta terra cuja multidão não se pode contar nem de cabeça posso lembrar. A Europa não canoniza mais porque está mais perto do papa, e sim porque reza mais. É simples assim. 

Como Anchieta foi canonizado (desnecessariamente) pelo jeitinho, é pelo jeitinho que se tenta por Dom Luciano e Dom Hélder. Eu não tiro da minha cabeça que foi isso que encorajou estas especulações proto-canonizatórias destes medalhões de uma geração envelhecida do episcopado, que eles sejam canonizados "por méritos" a frente de suas igrejas (ainda que os fatos da evolução da população catolicamente ativa no Brasil desmintam que haja méritos pastorais na vida destes dois). Tenho uma firme convicção que será difícil arranjarem milagres pela intercessão destes dois. Quero milagres. Mostrem-me os milagres. Milagres de grande quilate, que até os magos do Faraó (e quantos existem!) digam que foi o Dedo de Deus. Que Dom Hélder cure uma leucemia avançada, mas que seja ele apenas, não Dom Hélder e Santo Expedito (o que invalida o milagre para a causa, pois no caso foi o "proven-in-use" Santo Expedito o intercessor). E quem será o fiel que vai se confiar apenas a este homem? Quem será tão devoto de Dom Luciano Mendes de Almeira que coloque seu câncer em suas mãos exclusivas, sendo que nem do já comprovado beato Anchieta o fizeram? Aliás, em termos de "sensus fidei", quem é o católico hoje em dia que se lembra de Dom Luciano? "Dom Luciano quem???" Mais fácil rezarem pela intercessão do Padre Marcelo Rossi, no caso eventual de seu triste passamento.

Bento XI
Já houve na história da Igreja canonizações para marcar posição política. Clemente V, para marcar posição contra o partido de Bonifácio VIII, canonizou respectivamente seu antecessor que renunciou por pressão de Bonifácio enquanto cardeal (Santo Celestino V) e canonizou o sucessor (o Beato Bento XI) que desfez algumas das medidas de Bonifácio e pavimentou o caminho da eleição do próprio Clemente V em seguida. E foram canonizações "por mérito" feitas pelo poder do pontífice romano (Não havia o rigoroso processo de hoje). Ou seja, foram canonizações para a chancela política do partido anti-Bonifácio. Mas porque falo do distante século XIV? As canonizações de João XXIII e a vindoura beatificação de Paulo VI são a chancela política do Concílio Vaticano II. Não precisava. O Sacrossanto Concílio precisa de penetração teológica, de pureza da hermenêutica da continuidade, não obrigação por força política. Eis más práticas medievais que mereciam ficar enterradas na Idade Média mesmo! Da Idade Média esquecemos todas as virtudes, mas emulamos os vícios. Na minha humilde, dispensável e irrisória opinião, uma bola fora do papa Francisco. 

Só acredito vendo!!!
Sendo assim, se no Mundo é "Show me the money" com as canonizações é "Show me the miracles". É como disse São Tiago, "com minhas obras eu te mostrarei minha fé", e com suas obras os santos mostram sua salvação e a glória de Cristo que refletiram em vida e refletem junto a Deus. Neste ponto, precisamos pedir a salutar intercessão de São Tomé para ficarmos desconfiados. É verdade que São Tomé teve contra si o fato de duvidar de São Pedro, mas o que Tomé possivelmente fez por ciúmes (por não ter visto o Ressuscitado) e desconfiança (dos colegas), que o façamos por virtude da Prudência, sabendo que muitas vezes a Santa Sé pode ser tão apolítica quanto o Congresso Nacional.

E não me venham rebatendo com hipocrisia repetindo "esta geração má me pede um prodígio mas só receberá o sinal de Jonas". Aquela geração má estava falando do Filho de Deus em pessoa, que curava e fazia milagres a torto e a direito. Era má se não acreditasse em uma única cura de Jesus, quanto mais às centenas de milagres que ele fazia todos os dias para quem quisesse ver... Quanto à nós, estamos falando de homens polêmicos mortos, incensados pelos respectivos partidos e completamente anônimos para os fiéís. 

São Hélder Câmara?
São Luciano Mendes de Almeira?
Show me the miracles!!!

Eu acho que será bem difícil obtê-los... 


Você também pode gostar

11 comentários:

  1. Você é reprimido sexualmente, não é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha que é isso Frei!

      Excluir
    2. rsrsrsrsrs - esse é o famoso coice certeiro auiuaiuaiuaiua - boa Frei ! abs

      Marcelo

      Excluir
    3. será que o Leo finalmente encontrou seu papai? vai ser o quinquagésimo exame de DNA...

      Excluir
  2. D HELDER FEZ MILAGRES!
    Comprovado: transformou a Arquidiocese de Olinda e Recife num antro comunista e, para desmanchar todo o seu poder taumaturgo, quem sofreu foi D José Cardoso, a ponto de que teria mandado tirar todas as as fotos no seminários, sacristias etc. para apagar-lhe a soturna memoria, sem contar a luta para recristianizar o clero, tão vermelho estava, mais se parecendo roxo!
    D Luciano? Além do IMPRIMATUR à "BIBLIA. EDIÇÃO PASTORAL" da Editora (Socialista) Paulus, reprovada por D Estêvão Bettencourt com textos e mais ainda em notas de rodapé socializados, que se sabe, manteve-se no patamar socialista; confiram a clamorosa carta que o saudoso D Manuel Pestana lhe enviou interpelando-o como presidente da CNBB!
    Acaso algum dos dois se insurgiu contra o marxismo que celeremente adentrava o Brasil, hoje quase no clímax, falta pouco, se o povo cometer a sandice de reeleger o PT - que atuação anti marxista teve a CNBB até então?
    D Hélder, em particular, exímio combatente da DITADURA MILITAR, mas assentia com a futura, muito pior, DITADURA COMUNISTA!
    Se não é que a CNBB tenha sido coadjuvante com marxistas - está infiltrada deles - ainda que por silencio ou conluio; pelo menos, nunca se insurgiu de forma incisiva como fazem Olavo de Carvalho, o grande Pe Paulo Ricardo, supondo eu que sozinho vale mais que ela, e mesmo sr frei Rojão, que não lhe dão tréguas!
    Seria uma nova estirpe de ex "agentes de transformação socialistas", nos futuros "santos católicos socialistas"?

    ResponderExcluir
  3. Frei. Temo que estão tentando transformar o processo de beatificação numa loja de 1,99.

    ResponderExcluir
  4. Esperneie, frei, esperneie! A Igreja ou o modelo de Igreja de seus sonhos romântico-tradicionalistas afundou desde a renúncia de Bento XVI. Um futuro torturante lhe aguarda.

    ResponderExcluir
  5. Eu sou a favor que alguém seja reconhecido santo por fazer milagres e não porque alguém disse.

    ResponderExcluir
  6. Frei Rojão, o senhor esqueceu de mencionar o queridíssimo FREI DAMIÃO, o terror dos hereges aqui no Nordeste. O pessoal até hoje fala mal dele, acho que é por isso que ele exarava santidade por onde passava. Os mais antigos, que acompanhavam suas missões, até hoje contam com perplexidade os prodígios que o Capuchinho realizava em prol da evangelização.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.