Obituário: O Triste Fim de Dom Policarpo na Quaresma

/
3 Comentários
Eu não vim falar de César,

    eu vim enterrar César,

     porque o mal que um homem faz

     permanece após sua morte,

    mas o bem é enterrado consigo.



Assim escreveu Shakespeare, colocando estas palavras na boca de Marco Antonio, lugar-tenente de César. O leitor deste blog sabe que sempre cito estes versos quando morre alguém que deve-se silenciar por piedade e respeito com os mortos, dos quais não se fala mal.

Morreu o cardeal Dom José Policarpo, antigo patriarca de Lisboa.

Foi inimigo implacável do Rito Extraordinário e colocou tantas regras para a execução do Summorum Pontificum de Bento XVI que seria mais fácil fazer um sacrifício de touros de acordo com o Levítico que celebrar uma Missa Tridentina em Portugal. Tanto que nunca ouvi notícias do rito extraordinário sendo celebrado lá nas nossas terras ancestrais.

O parlamento português aprovou uma nota de pesar pelo passamento de Dom Policarpo que se fosse eu o defunto, ressuscitaria só de desgosto: "Homem aberto ao Mundo (SIC)", "para si, nenhum obstáculo teológico fundamental existia ao sacerdócio feminino (SIC)", "protagonista da renovação cultural da Igreja Católica (SIC)". Enfim, o dia em que morrer dispenso tais elogios da Câmara Lusa, aliás, tais elogios fúnebres mais me causariam problema no juízo particular que benefícios...

Mas eu não vim falar de Dom Policarpo, eu vim enterrar Dom Policarpo...

Resquiescat in pace...



Você também pode gostar

3 comentários:

  1. IMAGINEMOS SE FALECESSE AQUI UM À LA PE FABIO MELO DA VIDA, HEM?
    Quanta lamuria, decretos de luto oficial, pessoas rasgando as vestes inconsoláveis, a mídia geral em pranto absoluto, quase como uma reedição da morte do "democrático" bruxista Mandela, o qual fez um "bem" imenso á humanidade e poderia pertencer à legião pobrista da TL de tanto "amor" que devota aos pobres...
    A nota do governo português foi muito coerente com os princípios que adota - por outro lado, não temos inveja - por aqui possuirmos um idem governo que se solidariza com os muitos similares Policarpos existentes aqui!

    ResponderExcluir
  2. Manuel de Portugal16 de março de 2014 00:08

    E há mais: quando do "referendo" sobre o aborto, este homem - Paz à sua alma - ficou mudo e quedo, deixando os leigos católicos sozinhos, na luta contra essa lei (veio a ser aprovada e, agora, é a miséria que se conhece...) perversa ! Sempre ao lado dos ricos e dos poderosos ! Medroso, é figura que - ao contrário do que a mídia oficial proclama - não concita nenhuma admiração por parte da maioria dos Portugueses !
    Manuel - Portugal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações amigo luso! Estamos tão ocupados com o festival de besteiras da CNBB que assolam o catolicismo que nem conseguimos muitas notícias ai da amada Terrinha!

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.