O Cardeal e o Dia da Marmota pastoral

/
2 Comentários

"Com certeza o importante de fato é o exemplo dele (o papa) e a palavra dele. Temos a impressão de que ele faz e depois, ilumina com a palavra, seus gestos e atitudes. Já conhecíamos pouco a pouco como atuava em Buenos Aires, como ele atuava, sobretudo, em meio aos pobres junto com um grande grupo de padres. Ele veio aqui como Papa e começou imediatamente estes gestos de aproximar-se dos mais sofridos, dos doentes, dos mais pobres. Ele fez isto tantas vezes. Depois, começou cada vez mais a insistir que a Igreja deve ir para as periferias, aos pobres; encontrar os pobres e ajudar para que sejam incluídos, pois eles são tipicamente excluídos. Francisco insiste que a Igreja deve dar o exemplo de incluir, dando o exemplo a toda a sociedade para que também nos países, nos povos, as políticas de inclusão sejam mais eficazes e mais bem elaboradas...".  (...) "É muito interessante que se aprende muito mais com os gestos e com a forma como ele faz. Ele vai à frente...".

"Os Bispos, os Cardeais, os Padres, os cristãos no mundo... como estão reagindo? Eu acho que, em primeiro lugar, isto nos interpela todos muito fortemente. Claro, existem pessoas que não se deixam interpelar por nada. Normalmente, todos os que têm abertura e querem, de fato, seguir Jesus Cristo e levar a Sua luz ao mudo através da Igreja estão atentos e se deixam interpelar. Não é tão fácil mudar estilo de vida, programa, ação; isto exige muitas coisas, e às vezes, até certo tempo, creio que muitos já começaram a mudar e a caminhar. Mas isto significa também programas, como o Papa diz no documento "A Alegria do Evangelho", precisamos de uma transformação da Igreja para ser uma Igreja missionária. Diz que ser missionário significa em primeiro lugar ir aos pobres, e não somente acolher os pobres aqueles que vêm a nós. Isto significa também reformular nossas programações, e sabemos que a Igreja católica é muito grande, mundial; e que as programações muitas vezes são feitas a médio e curto prazo, às vezes até em longo prazo. Mudar isto de repente, levando em conta a interpelação do Papa: às vezes não acontece como deveria acontecer". 

***


Nota do Frei: Vou dizer um "Então tá...", 

Que que eu vou dizer, leitor? O que eu vou dizer? Tenho ouvido este discurso nos últimos quarenta anos... É o Dia da Marmota pastoral, como no filme do Bill Murray ("Groundhog Day"), que fica se repetindo e repetindo enquanto não se aprende a lição. 

O leitor mais novo provavelmente não conheceu as velhas vitrolas, quando havia disco arranhado que pulavam sempre para a frente da música e ficava tocando o mesmo trecho, como se na maldição de Eco... Dom Cláudio não precisava de estar em Roma e ter o papa advogando pelos pobres, em volta de sua antiga cátedra, na Praça da Sé paulistana, pobres era o que não faltava para suprir sua demanda de caridade por eles! Ah, se cada discurso sobre a pobreza valesse um pão com manteiga ou uma peça de roupa!  O problema agora ainda está mais grave, depois que o prefeito petista Fernando Haddad (amigão do Padre Júlio Lancelotti, aquele que dá Land Rovers para rapagões de dezessete anos) estatizou a Cracolândia e ela se ampliou virando território sem lei. Os pobres do centro não são mais pobres, são zumbis viciados em crack com o patrocínio petista. Ah, Eminência, estes são os pobres mais pobres, porque são pobres que nem todo o dinheiro bastaria para os tirar da pobreza que é levada pelo vício.



Que Deus abençoe sua Eminência e o tire da Maldição do Dia da Marmota!!!

Só para registro, Dom Cláudio Hummes queimando incenso para um pobre de patrimônio estimado em 20 milhões de dólares


Você também pode gostar

2 comentários:

  1. HÁ TEMPOS, E HOJE JÁ É LEI ENTRONIZAR O TAL "POBRISMO"!
    DIZ-SE DEFENSOR DOS POBRES E SE ALIA A COMUNISTAS, D HUMMES?
    A Igreja há 2000 cultiva uma predileção pelos pobres e deserdados e não é doravante que as ideologias, pior ainda satanistas, quererão dar à Igreja lições nisso, pois antes desses demagogos "amarem" os pobres - dissimulação, fraude, utilitarismo - querem é usar os incautos-pobres para seus planos de poder, e o PT é expert nisso.!
    Essa maravilha de foto acima - já vi o Cardeal Hummes aos abraços com o Lula, uma velha amizade, já o defendeu como católico em contraposição ao grande D Eugenio - deve simpatizar-se e muito por esse pobrista profissional, a partir do "bom exemplo" pessoal, sendo citado até no ranking na "Forbes" com fortuna de mais de U$ 2,000,000,000,00...
    Se os comunistas ao menos de leve dessem bola aos pobres como propagam, em 12 anos de PT o país estaria noutro patamar e, muito menos permitiria grassar a outra miséria pior ainda, a ético-moral..
    Bem que o Lula disse que após o PT o Brasil seria outro: acertou; com seu PT transforma gradativamente em réplica do calabouço Cuba!

    ResponderExcluir
  2. Esta praga... esta velharia petista que se aninha nos bastidores do poder e se perpetua.... Não percebem os sinais dos tempos! Valeu Rojão!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.