Dilma, que compra médicos de Cuba, elogia campanha da CNBB contra o tráfico de pessoas. Ou: Vender gente, para Cuba, é mais lucrativo e seguro do que vender droga

/
1 Comentários
Reinaldo Azevedo - A equipe que cuida do Twitter da presidente Dilma decidiu que ela deveria fazer algumas considerações sobre a Campanha da Fraternidade de 2014 da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Neste ano, a Igreja Católica no Brasil decidiu denunciar o tráfico de pessoas.

A marquetagem de Dilma então recorreu ao Twitter: “Saúdo a decisão da @CNBBNacional de se lançar na luta contra o #traficodepessoas”. A pessoa que escreveu em nome da presidente observou ainda que esse é um “crime difícil de combater”. Nem diga! Tanto é verdade que o governo do Brasil está diretamente envolvido com a maior operação de tráfico de pessoas de que se tem notícia no mundo hoje em dia. O Brasil é o comprador, e Cuba é o país fornecedor. É evidente que me refiro aos médicos oriundos da ilha comunista. Acaba de chegar uma nova leva de 4 mil.
 
Já são 11.400 os cubanos que aqui trabalham nas condições que conhecemos: seus familiares não os acompanham; o salário é repassado ao governo, que transfere apenas uma pequena parcela aos profissionais, que estão impedidos de deixar o programa porque não têm autorização para exercer a medicina fora dele. Cada um recebe hoje apena  US$ 400. Generosa, Dilma quer que seu amiguinho Raúl Castro eleve esse valor para US$ 1 mil.



 O ghost writer da presidente ainda filosofou sobre o tráfico de pessoas: “Suas vítimas têm medo e vergonha de denunciar a prática. Por isto, é decisiva a participação da sociedade por meio de campanhas como esta”. Bidu! No caso dos cubanos, há principalmente o medo, já que podem sofrer represálias do governo ditatorial.


Uma das características do tráfico de pessoas é o trabalho análogo à escravidão. A vítima tem dificuldades de romper os vínculos que a ligam aos agressores. É precisamente esse o caso dos médicos cubanos,  que podem ser devolvidos a Cuba a qualquer momento.

O texto oficialista do Twitter afirma ainda: “Desde 2006 o Brasil tem uma política nacional para combater esse crime que atinge, principalmente, as mulheres jovens”. Dilma se refere à exploração sexual. Ocorre que essa é apenas uma das modalidades do tráfico de pessoas, segundo a campanha da CNBB. A entidade lembra que há outras, como a extração de órgãos, a doação irregular de crianças e, atenção!, os “trabalhos forçados”. Eis aí. Esse é precisamente o caso dos cubanos.

E deixo claro que, ao associar a forma como o Brasil contrata os cubanos ao tráfico de pessoas, não estou tentando ser irônico ou recorrendo a um exagero apenas para chamar a atenção para o fato. Trata-se literalmente disso. Como sabem, gosto de números. Cada cubano custa ao país R$ 10 mil por mês; no total, então, R$ 114 milhões — ou R$ 1,368 bilhão por ano. Convertido esse dinheiro em dólares, na cotação de hoje, chegamos a US$ 589.401.120. A cada médico, Cuba paga apenas U$ 400, ou R$ 928,4. Mensalmente, o desembolso da ilha será US$ 4.560.000 — ou US$ 54.720.000 anuais. Atenção! A operação rende à ditadura cubana US$ 534.681.120 — na nossa moeda: R$ 1.240.994.879,52. Ainda que a ditadura aceite a proposta de Dilma, de elevar o ganho de cada médico US$ 1 mil, o lucro de Raúl Castro com o tráfico de pessoas será de US$ 452.601.120 — R$ 1.050.487.199,52.

Nem o tráfico de drogas rende tanto, não é mesmo? E, como se sabe, o comércio de pessoas, nesse caso, é bem mais seguro para quem compra — Dilma — e para quem vende: Raúl Castro. No caso de Cuba, rende a fama de país exportador de mão de obra humanitária; no caso do Brasil, rende votos. 


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. ELA FOI A ÚNICA CRIATURA QUE CONSEGUIU AMOLECER MEU CORAÇÃO DE PEDRA; MAS, ELA MORREU, E COM ELA, TODOS OS MEUS SENTIMENTOS DE AMOR À HUMANIDADE - Stálin, o carniceiro.
    Quando me deparo com os arquiinimigos da Igreja sob todos os âmbitos elogiando procedimentos de seus membros, sei que existiria algo de conluio desses, pois são extremamente satânicos para apreciarem alguém que se paute sob as leis de Deus, daí que os comunistas, "pestes mortais" segundo o papa Leão XIII, defendendo a mui suspeita CNBB a tornaria algo conivente, não sendo a primeira e única vez de demonstração de afinidades, sinalizando evidente pacto com seus planos.
    Não é de hoje, desde D Hélder, D Arns, D Casaldáliga, D Balduíno e a trinca da velha guarda ainda remanescente, além dos religiosos mais jovens sucessores agregados a essa instituição que não representaria os bispos - são autônomos- se posta lado a lado do governo, e Dilma foi eleita graças a vários comunistas como D Eccel, D Demetrio e vários mais, religiosos traidores de Cristo e da Igreja, inclusive do deformador de opiniões, o socialista Pe Fabio de Melo; acresçam-se M Rossi que foi elogiadíssimo no "dilmanarede".e outros.
    A abordagem do tráfico humano unilateralmente seria para escamotear o caso dos cubanos perante a opinião pública, desmerecendo as denuncias que rolam pela net há muito que são pessoas traficados sob condições escravagistas?
    Mexeram na caixa de marimbondos; antes se mantivessem calados nesse sentido, arranjando outro tema.
    A JUSTIÇA SELETIVA É A MAIS INFAME DAS INJUSTIÇAS!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.