Celso de Melo é o zagueiro de toga

/
1 Comentários
Augusto Nunes - Imagine um zagueiro que, aos 45 minutos do segundo tempo, ignora as advertências dos companheiros e faz o gol contra que leva à prorrogação. No intervalo, o dono da bola aproveita a saída involuntária de um craque do time que dominava a partida para substituí-lo por um novato disposto a ajudar o adversário. O truque não impede a derrota da equipe credenciada pelo apreço ao jogo sujo a conquistar a taça do campeonato dos presidiários. Mas a vitória fica com cara de empate. Em vez de envergonhar-se da jogada irresponsável que mudara o rumo da partida, o zagueiro trapalhão usa os segundos finais para caprichar em embaixadas, passes de trivela e outras firulas inúteis.

O ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, primeiro condenou com singular veemência os quadrilheiros do mensalão. Em seguida, resolveu socorrê-los com a aceitação de embargos infringentes de aplicação tão duvidosa que foram rejeitados por cinco ministros. O voto de Celso de Mello forçou um segundo julgamento. Graças a mudanças espertas na composição do Supremo Tribunal Federal, os culpados já se haviam livrado da acusação por formação de quadrilha quando Celso de Mello começou a ler o seu palavrório. Sem aparentar remorso, voltou a afirmar que os corruptos juramentados são também quadrilheiros. Merecem, portanto, ficar um bom tempo na cadeia da qual logo sairão graças à vaidade e à teimosia do decano.

Celso de Mello é o zagueiro de toga.


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. O que reduz a nada os príncipes, e torna em coisa vã os juízes da terra.
    Is 40:23.
    Celso de Mello infelizmente renegou-se, tornou-se réu de si mesmo, não merece respeito pois reverteu anterior sentença muito bem fundamentada de diversas acusações; de repente, sem mais nem menos dá uma reviravolta similar a alguém que fala descompromissadamente, depois desdiz-se e fica nisso mesmo!
    Antes existia uma quadrilha; depois num passe de mágica foi extinta; dessa forma, tendo em vista os fatos, nem mais existiria quadrilha ou bando noutros julgamentos e teria sido equívoco dos legisladores; fôra ficção.
    O STF ou STP(politico) mais se parece cumpridor das ordens desse governo corrupto que está se impondo no Brasil.
    Graças aos eleitores, evidentemente, os comparsas!
    Embora também tenhamos que considerar que, salvas as exceções, o povo comporta-se em geral muito mal - mais se parece do ventre para baixo - e esse idem STF não passaria do que sucede cá no atoleiro.
    Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto. Lc 6:43.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.