A religião verde quer vir me cobrar dízimo...

/
1 Comentários
Acabei de receber um email avisando que - pasmem! - um blog, uma publicação virtual produz gases num feito alquimístico de criação de matéria ex nihilo!

"E por conta disso gostaria de lhe contar uma coisa: Você sabia que um blog produz quase 3,6 kg de dióxido de carbono por ano?" (SIC)

Sinto muito, mas esta conta está errada. Se eu almoçar repolho ou ovos, produzo muito mais que 3,6kg de gás...

Lógico que trata-se de picaretagem e dízimo da religião verde... Eles fazem contas duvidosas e te culpam por emissão de CO2, como se o CO2 não fosse o gás da vida. Ai você, sentindo-se culpado, deve pagar o dízimo para os pastores verdes em troca de árvores duvidosas que nunca se vê...


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. ELE À DIREITA.
    ELA À ESQUERDA!
    Em 2011 o papa Bento XVI enviou uma mensagem à CNBB-bispos diferindo profundamente da visão deles como pastores da Igreja concernente ao meio ambiente, adorado pela Marina-melancia, e chamo isso atualmente de ecoterrorismo; ele ressalta a defesa da vida e da família superiores ao ambientalismo, eis uns trechinhos:
    “Ou seja, sem uma clara defesa da vida humana, desde sua concepção até a morte natural; sem uma defesa da família baseada no matrimônio entre um homem e uma mulher; sem uma verdadeira defesa daqueles que são excluídos e marginalizados pela sociedade, sem esquecer, neste contexto, daqueles que perderam tudo, vítimas de desastres naturais, nunca se poderá falar de uma autêntica defesa do meio-ambiente.”
    Termina recordando que “o dever de cuidar do meio-ambiente é um imperativo que nasce da consciência de que Deus confia a Sua criação ao homem não para que este exerça sobre ela um domínio arbitrário, mas que a conserve e cuide como um filho cuida da herança de seu pai, e uma grande herança Deus confiou aos brasileiros”.
    A linguagem da CNBB é outra; adota estilo "Nova Era” na defesa dos mitos ambientalistas desacreditados nos meios científicos: “Mudanças climáticas e aquecimento global". Essas são as duas colunas que sustentam o debate sobre a “vida no planeta”, proposto pela CNBB às comunidades católicas e à sociedade brasileira, por meio da Campanha da Fraternidade, que começou na Quarta-Feira de Cinzas.”
    Dom Dimas Lara Barbosa Secretário Geral da CNBB termina o artigo quase “divinizando” a terra: “Nossa mãe Terra, Senhor, geme de dor noite e dia. Será de parto essa dor ou simplesmente agonia? Vai depender só de nós!”.
    Esse tipo de mentalidade e outros similares geram cobranças de "Impostos verdes", mas se destinam aos "Vermelhos"!...

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.