A burrice ataca inclusive a quem fala dela

/
1 Comentários
J. R. Guzzo ia escrevendo um texto muito bom sobre a burrice nacional na Veja impressa. E soltando justos petardos na burrice do sistema petista. 

Até dizer a asnada que "A inquisição da Santa Madre Igreja" dizia "converte ou morre". Para ser mais exato: ""crê ou morre", como insistia a Inquisição da Santa Madre Igreja." (SIC). O que é um atestado de estupidez "magna cum laude" porque qualquer historiador sério hoje em dia não dá crédito, só fábulas bolivarianas do MEC para emburrecer nossa juventude. A inquisição nunca disse isto. 

Ai aprendemos que a burrice é tão contagiosa que afeta até quem fala dela. Faltou um espelho a JR Guzzo para enxergar a própria burrice.


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. CHAME OS OUTROS DO QUE V É;
    ACUSE OS OUTROS DO QUE V FAZ! (Lênin).
    Quase 200 000 000 milhões de pessoas foram mortas por regimes comunistas só no século XX; alguns exemplos, citemos o genocídio de Holodomor na Ucrânia e também do extermínio em massa em Camboja, liderado pelo secretário-geral do PC cambojano, Gal Pol Pot, que matou mais de 1,8 milhão de pessoas, sem mencionarmos os nomes de ditadores genocidas como Mao Tsé-Tung, Josef Stálin ou Adolf Hitler - nazismo e comunismo são irmãos gêmeos.
    Estima-se que, juntos, os três tenham exrterminado aproximadamente 100 milhões de pessoas.
    Além disso, é preciso sempre analisar a situação em seu contexto pois a Inquisição se deu durante a Idade Média cuja mentalidade popular moldara-se pelo pensamento religioso e na fortíssima ligação entre o Estado civil e a Igreja -ambos se irmanavam.
    Encontramos na doutrina de São Tomás de Aquino alguns ensinamentos importantes para compreendermos esse assunto. P. ex., na Suma Teológica (II-II, questão 11, art. 3), lemos: “É muito mais grave corromper a fé, que é a vida da alma, do que falsificar a moeda, que é o meio de prover à vida temporal”. Ora, continua S. Tomás, “se (…) os falsificadores de moedas e outros malfeitores são (…) condenados à morte pelos príncipes seculares, com muito mais razão os hereges, desde que sejam comprovados tais, podem não somente ser excomungados, mas também em toda justiça ser condenados à morte”.
    Durante o tempo da Inquisição, havia uma geral aceitação do rigor. Durante a prosperidade dos regimes comunistas, no entanto, houve sempre muitos protestos contra os crimes perpetrados em nome da revolução, seja por líderes de direita seja por representantes mesmo de dentroda ala esquerdista menos radicais e durante o tempo da Inquisição, os hereges eram condenados ou inocentados após uma criteriosa investigação; se comprovados que eles verdadeiramente se obstinavam em defender um modo de vida muitas vezes ameaçador à própria sociedade cristã daquele tempo, eram entregues ao braço secular e, por fim, executados; isso quando ainda não eram liberados pelo Tribunal com brandas penitencias.
    Tudo contra a Igreja e a Inquisição a partir dos comunistas resume-se no título acima.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.