WHO LEFT THE DOGS OUT?????

/
1 Comentários
(É left mesmo, não let. Faz toda a diferença!)

Hoje fizeram uma manifestação na Avenida Paulista em apoio a invasão do Royal. Ah, sim, disseram que era contra a "crueldade", mas sabecuméquié, em 178 cachorros não acharam nenhum mutilado para mostrar.

Bem, fizerem uma manifestação na Paulista em favor dos animais.

Número de cães de rua removidos, vacinados e adotados por estes valentes hoje: ZERO

Who let the dogs out is the same who left the dogs out...

Minha abordagem com a caridade aos animais é a mesma com a caridade humana. Quanto alguém fica soltando suspiros e perdigotos de compaixão pelos pobres, pergunto quantos pobres aquele orador já ajudou no dia.


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. V DUVIDA QUE EM CASA OU NO RESTAURANTE OS INTRÉPIDOS "DEFENSORES" DOS CÃES NÃO TRUCIDAM UM FRANGO OU UMA PICANHA ASSADA?
    Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados. Mateus 12:12
    Misantropia disfarçada de amor aos animais, pois quem subestima a humanidade atesta que se odeia, ou então seria arrogância de que é muito melhor que todos os seres humanos; tem me parecido que os que condenam toda a humanidade a nível de animais ou abaixo está com a mente deturpada por uma das niilistas ideologias, como as dos dementes satano-comunistas que animalizam o ser humano à sua imagem e semelhança.
    Admite-se que parte da humanidade consegue ser muito pior que muitos animais, justamente por ter consciência de seus atos bárbaros, como os adeptos de certas religiões pagãs, os muçulmanos, cujo deus desconhecido, inacessível e irascibilíssimo desde sua fundação até ao presente momento mantém sem treguas uma luta fratricida com muitos milhões de mortos entre facções rivais.
    Se alguns homens são capazes de coisas terríveis, muitos mais outros repudiam tais ações, tanto que aqueles merecem o título de de “psicopatas”.
    Assim, a escolha entre o uso de cães em pesquisas, assumindo que não são vítimas de maus tratos (o que já é proibido), ou não ter um novo tratamento importante contra o câncer, qual seria a escolha mais ideal? Quando colocamos dessa forma mais direta, a nobreza dos supostos defensores dos animais fica em xeque, para não os tachar de “dementes”.
    V duvidaria que esses “defensores” dos animais - em detrimento dos pobres - de viés marxista não estão em casa ou no restaurante TRUCIDANDO SEM DÓ, PIEDADE, MISERICORDIA E SEM COMPLACENCIA ALGUMA um frango assado ou numa picanha, por ex.?

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.