O Celibato e o Secador

/
4 Comentários
Uma senhora estava em um avião vindo dos Estados Unidos. Vendo que estava sentada ao lado de um padre de batina, perguntou:

- Desculpe-me, padre, posso lhe pedir um favor?

- Claro, minha filha, o que posso fazer por você?

- É que eu comprei um novo secador de cabelo sofisticado, muito caro. Eu realmente ultrapassei os limites da quinhentos dólares e estou preocupada com a alfândega se vão me multar. Será que o Senhor poderia levá-lo debaixo de sua batina?

- Claro que posso, minha filha, mas você deve saber que eu não posso mentir!

- Ah, Padre, que estou certa que eles não lhe farão nenhuma pergunta. E lhe deu o secador.

O avião chegou a seu destino. Quando foram passar na alfândega, o padre caiu na fiscalização. E o fiscal perguntou:

- Algo a declarar, padre?

O padre respondeu:

- Do alto da minha cabeça até a faixa na minha cintura, não tenho nada a declarar, meu filho.

Achando a resposta estranha, o fiscal perguntou:

- Hum... E da cintura para baixo, o que o senhor tem?

- Eu tenho um equipamento maravilhoso, destinado ao uso doméstico, em especial para as mulheres, mas que nunca foi usado.

Segurando a risada, o fiscal disse:

- Pode passar, Padre! Sua benção. 



Você também pode gostar

4 comentários:

  1. ACHEI ESSE SUPOSTO PADRE meio fraco - só poderia ser da TL - ao aceitar uma ilegalidade; concordaria, a não ser que viesse para o Brasil para não gerar impostos a mais para o PT para ajudar a Cuba do Fidel...
    Outra: temos de cuidar para não objetivamente imaginar como positivo o alguém tenha dito pelo que ele subtendeu - teríamos feito mau juízo pelas aparências das palavras; mas a verdade era outra...

    ResponderExcluir
  2. Está certo, um pouco de bom humor, não faz mal a ninguém.

    ResponderExcluir
  3. Uai, o padre fez um bem... pensem bem, pra quê mais imposto do que a gente já paga?

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.