A idade litúrgica do latão

/
3 Comentários

Ouro: Nunca serão, jamais serão!
Veja - (...) Apesar do gigantismo da basílica e do tom solene que a cerimônia chegou a ter em alguns momentos, os objetos litúrgicos usados por Francisco eram simples, feitos de latão. (...)

Nota do Frei: Lixo puro o que vai acima. Como "apesar do"??? Quero ver se quando os funcionários da Editora Abril se reúnem eles vão num amplo auditório ou se ensardinham esmagados numa saleta. Quer o quê, que a basílica seja pequena se é uma basílica, se é um prédio para reuniões?  

"Apesar do (...) tom solene" - Que bobagem é esta? Quer missa não-solene? E missa do papa não solene? Façamos então cerimônias "não-solenes" com o presidente da República. Façamos "não-solene" com um juiz, ou com o big boss da Editora Abril. 

"Objetos litúrgicos simples feitos de latão" - é verdade que um cálice de latão, uma liga de ferro e estanho, é canonicamente mais correto que um de vidro ou porcelana. Mas que diabos de inversão de valores é esta? Que pobrismo é este?

No tabernáculo do deserno, uma tenda móvel, Deus fez questão que tudo fosse recoberto de ouro, até as madeiras finas. O Templo de Salomão era coberto de ouro, e o que não era de ouro dado a evidente utilidade (nem para tudo se presta o ouro) era de prata ou de bronze, ou de ferro banhado (tenazes de cinzas e grelhas, por exemplo, você não fará de ouro). Que se irritem os pobristas, mas Deus ama revestimento de ouro, senão não teria pedido que revestissem o Tabernáculo, a Arca da Aliança e o Templo com ele. Aliás, um dos epítetos da Virgem Maria não é "Casa de Ouro"?
Quando o rei Baltasar da Babilônia profanou os vasos sagrados, Deus decretou a sua queda
Um dos sinais da decadência do reino de Israel foi quando o faraó Necao atacou Jerusalém e tomou os escudos de ouro que decoravam o Templo de Salomão e o rei Roboão os substituiu por escudos de bronze.

Diz o livro do profeta Daniel que um dos estopins da ira de Deus para a queda de Babilônia foi quando o rei caldeu profanou os objetos de ouro do templo, que Nabucodonosor saqueara. 

Mesmo o Templo reconstruído, muito mais simples que o de Salomão, tinha objetos a ouro e os judeus, seja sob os persas, seja sob os selêucidas ou romanos, forcejavam por ter objetos dignos do Altíssimo no Templo do Senhor. 

Cristo alguma vez reclamou do ouro do Templo? Nunca! Muito pelo contrário, quis purificar o templo dos cambistas! Reclamava de quem jurava em vão sobre o altar do Templo! Elogiou a viúva que depositou dois centavos no cofre do Templo. Lamentou que não ficaria pedra sobre pedra daquilo. E pagou zelosamente o imposto do Templo, a didracma, no episódio que manda Pedro ir pescar e recolher a moeda na boca do peixe. 

As Igrejas barrocas tentavam ser folheadas de ouro em pó. Ainda que fosse ouro vagabundo, era uma tentativa dos antigos mostrarem o valor que davam à casa do Senhor. 

Eu pergunto, Deus mudou???

Que tempos são estes que é chique ter torneiras folheadas a ouro (lembram da casa da Dinda?) e não é chique ter cálices santos a serviço do Senhor de ouro?

No mais, os metais tem significado! Então não acuse os que ficam tristes ao ver a cruz peitoral de ouro trocada pela cruz peitoral de "alguma coisa prateada" de Francisco (sei lá se é prata, aço inox ou cromada!)

O menino Jesus ganhou de presente de um rei-mago um pote de ouro.  Diz a tradição que foi a venda dos presentes dos magos e o trabalho de São José que sustentaram a Sagrada Família exilada no Egito. Ora, o ouro foi dado a Cristo por significar sua realeza. Eu pergunto se o sábio mago daria para Jesus umas dez toneladas de lingotes de ferro mesmo que valessem mais que o pote de ouro já que era para ajudar, não? Nada disso, o ouro tem significado!

O sonho de Nabucodonosor
Quando Nabucodonosor, o que saqueou o templo de Jerusalém, sonhou, viu uma Estátua de cabeça de ouro, peito de prata, barriga de bronze, pernas de ferro e pés de ferro e barro. Daniel, homem santo, interpretou o sonho que seria uma sucessão de Impérios em progressiva decadência após a Babilônia, o império de ouro. Estes impérios, a História mostrou, eram o Medo, de prata; o Persa, de bronze; o Macedônico de ferro, e os sucessores de Alexandre, o ferro e barro que não se misturavam, respectivamente os reinos helenísticos rivais formados após a morte de Alexandre por seus generais, a Bactria, a Macedônia, a Síria e o Egito, que mantinham ora a força do ferro mas misturados à fraqueza do barro.. 

Aliás, alguns dizem que o império persa seria o de prata, o de Alexandre seria o de bronze, o Império Romano seria o de ferro e o ferro-barro são os reinos europeus formados das províncias romanas. Esta interpretação não leva em conta os helenísticos, e parece bem longe da época da compilação do livro de Daniel. O Império romano não se esfarelou como o de Alexandre, mas as províncias se transformaram, e legalmente ainda havia o Sagrado Império Romano-Germânico carolíngio até quase a época Napoleônica. Para uma mentalidade tipicamente oriental, o Império Romano não era parte da região. A européia Roma ficou muito pouco tempo na Mesopotâmia para que o rei da Babilônia se importasse com ela. Para uma visão Babilonio-cêntrica de Nabucodonosor, mas adequado seria o Império Parto (que era a Bactria) ou a Pérsia Sassânida, ou quiçá o Império Mongol ou Otomano, muito mais resilientes! Procurando imagens na internet, vejo que esta interpretação da Roma-ferro é popular, mas é o típico erro grotesco protestante que não leva em conta a época terrível da opressão dos macabeus sob os seulêucidas, um dos Impérios de ferro-barro. Algumas interpretações mais "viajantes" dizem que os impérios de ferro-barro seria até - pasmem! - a União Européia sem contar os 2300 anos de governos após a queda dos persas!!! Convenhamos,  se fosse a União Européia, a estátua teria pés de fezes, não ferro-barro! 

Da Bibilônia a Atenas, os pagãos gregos, no seu entendimento mitológico do pecado original, diziam que ao ser criada a humanidade estava na Idade de Ouro. Conforme o mal avançava no mundo, a Idade foi de Prata, Bronze e que agora vivíamos na Idade do Ferro. 

Nos jogos olímpicos, o melhor vai para a medalha de ouro, né? Depois prata e bronze.

Mesmo no prosaico mercado financeiro, o quilo do ouro é mais caro que o prata. Mesmo havendo metais mais raros e de propriedades químicas mais versáteis que o ouro, o mundo corre para comprar ouro em época de crise econômica. Sim, um quilo de rutílio, molibdênio, platina valem mais que ouro, mas garanto que na recessão o preço do rutílio cai e do ouro sobe.

A cruz de ferro, símbolo dos cavaleiros teutônicos da Idade Média (mais tarde absorvida pelo patriotismo prussiano e alemão), era justamente para reforçar o espírito de simplicidade e luta que a ordem tinha. 

Dizem que na Ilíada, o metal usado para as armas, aeneos, na verdade não era bronze, mas latão ou "arame". É que seria ruim para o poeta traduzir que Aquiles enfrentava Heitor usando latão ou arame. Bronze, mesmo em armas, ainda é melhor. A armadura de Aquiles, feita por Vulcano, não seria de folha de Flandres como uma lata de pêssego em calda, né?

Os metais tem significado! Assim como os sacramentais da água benta, do sal, do óleo, das palmas, das cinzas, os objetos litúrgicos são - em certo sentido - matéria a serviço do sobrenatural. Tem significado. Assim como a pedra do altar, as cruzes de consagração, o linho do pálio do arcebispo, a madeira da cruz, o presbitério em degrau elevado, os tetos decorados e os pisos irregulares... 

No fundo, no fundo, tudo isto é sinal da idade litúrgica do latão. Sim, os metais tem significado! 


Você também pode gostar

3 comentários:

  1. Frei, apenas uma constatação sobre a JMJ e a visita do Papa. Palavras a respeito sobre problemas sociais, as pencas. Contra o aborto, nada!

    ResponderExcluir
  2. ACREDITO QUE A DEUS DEVEMOS OFERECER SEMPRE OS MELHORES FRUTOS!
    O ornamento externo do S Padre e o uso de metais preciosos como para o Cálice e a Patena e outros objetos do culto em nada significaria que a Igreja é apegada às riquezas; são-no os que apregoam defender os pobres mas montam "industrias de os fabricarem" para se enriquecerem cada vez mais, estando aí o PT e outros partidos comunistas para prová-las.
    Não é que o Dragão tentou se aproveitar da oportunidade de tentar montar dessa industria - ainda bem, de novo quebraram o focinho pela recusa do Vaticano - ainda acrescentando que desejavam transformar a visita do Papa Francisco em de "Chefe de Estado" e, ao retorno, despedir-se de Dilma em Brasilia...
    Que vontade de fazê-lo de trampolim para se manterem no poder, combalidos o PT e ela do jeito como estão, hem?
    Querendo escoras? Procure-as num bom centro espírita a que sempre os comunistas recorrem nos apertos; o diabo lá sempre de plantão e dará um "jeito"!

    ResponderExcluir
  3. Judas, o traidor era pobrista igual Francisco, a mídia e o PT. São néscios que confundem a glória devida a Deus nos objetos de ouro para liturgia com ausência das mesmas para um suposto amor pelos pobres ou seria idolatria pelos e ateísmo disfarçado?

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.