Missionários em cinco séculos

/
1 Comentários
Símbolo dos missionários do século XVI: IHS - o anagrama de Jesus Salvador dos Homens em bom latim. A Santa Cruz no centro. Três cravos abaixo da cruz para lembrar da Paixão de Cristo. O resplendor da glória de Deus em volta. A mensagem: Jesus, Salvador, Cruz, Paixão, Glória

Símbolo dos missionários do século XXI: Um arco e flecha torto que cuja geometria não permite um tiro nem de brincadeira. Num fundo cuja cor é indisfarçavelmente o vermelho do comunismo amenizado com um tom de marrom de fezes. Sem cruz. Sem Salvador. Sem Jesus. Sem Paixão. Sem Glória. A mensagem: Inominável.

O CIMI, o Conselho indígena Missionário, é uma obra do Anticristo, definitivamente. Bem-aventurado José de Anchieta, intercedei junto a Deus para que o cálice de sua ira caia nestes apóstatas que não batizam uma alma, e os bispos vendidos que os apoiam. Que tenham o destino de Sodoma, do Egito, da Assíria, de Moab e da Babilônia. Que sejam arrastados ao Inferno junto com as almas que ajudam a perder. Nem o veneno dos Bórgia, nem a cobiça dos Colonna, nem as divisões dos cismáticos prejudicaram tanto a Igreja quanto estes demônios que se fingem de presbíteros. Estes sim são os fariseus que correm mares e terras para converter uma alma e a fazem duplamente merecedora do Inferno, como Cristo profetizou, ainda que esteja sendo indulgente por dizer que "correm". Na verdade eles se sentam nos cartórios da Funai e adoram beijar a sola de um sapato de ministro do governo. Seu prazer, sua tara é violarem o sétimo mandamento e roubarem fazendas de agricultores. No século XVIII os jesuítas eram acusados de criar seu império índigena no Paraguai. O CIMI criou seu Império indígena foi na Funai!

"O Anticristo saiu de nós mas não era dos nossos", disse o Apóstolo João em sua carta. Glorioso evangelista tão amado por Jesus, que definição precisa destes padres de hoje em dia, que estão na Igreja mas não são da Igreja. 

Acordai, Senhor, por que dormes? Estão pisando na vossa herança! Estão nos dando a comer o pão das lágrimas, e para beber pranto copioso. Ponha-se de pé e disperse seus inimigos! E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus, dai-nos a vida e louvaremos vosso nome.



Você também pode gostar

Um comentário:

  1. A FLEXA APONTADA ASSASSINANDO E O VERMELHO O SANGUE DOS ADVERSARIOS!
    A BANDA PODRE DA CNBB E A VIA MARXISTA CIMI QUEBRARAM A CARA!
    Os índios MATAM-SE ENTRE SI mas o marxista CIMI da CNBB diz outra, atestando o cinismo do Conselho Indigenista Missionario com a cumplicidade de certa Imprensa que quer transformar produtores rurais, donos legítimos das suas terras em assassinos de índios, SENDO FALSO. Há um antropólogo desejando denunciar o Brasil por genocídio, ameaçando sob pseudos dados, como: o agronegócio quer mais terra, mas os fazendeiros apenas lutam na Justiça para manterem as propriedades legítimas, muitas delas tituladas na época da Guerra do Paraguai.
    A Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso do Sul comprova que a grande maioria dos assassinatos decorrem de desavenças, brigas e violência entre si e, sempre sob muito uso de álcool, os índios exterminam-se mutuamente por querelas étnicas, bens, mulher etc., não por produtores rurais, mas a midia amestrada prefere mesmo são as conveniências do CIMI-CNBB.
    Abaixo, notícia de 2006, quando os conflitos ainda não estavam nas manchetes e números de relatório elaborado pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública do MS comprovando inexistir genocídio de povos indígenas, via farsas montadas no MS pelo CIMI, mas que 99% das mortes ocorreram dentro das aldeias de índios atacando-se mutuamente.
    Em 2006 foram 7 homicídios de índios e em 5 deles os autores foram índios.
    Em 2007 foram 37 homicídios de índios e em 32 casos os autores foram índios.
    2008 foram 35 homicídios e as vítimas eram índios e em 33 casos o crime foi cometido por indígenas.
    Em 2009 foram 25 mortes de índios em Mato Grosso do Sul, com 23 delas cometidas por índios.
    Em 2010 foram 28 assassinatos de índios no Estado e 26 deles foram praticados por índios. Em 2011 foram 27 homicídios de índios em MS e os 27 tiveram como autores os próprios índios. Em 2012 o número de assassinatos de índios em Mato Grosso do Sul ficou em 32 e em 30 casos os autores foram os próprios índios.
    Já em 2013, foram registrados 5 homicídios de 1o. de janeiro a 20 de fevereiro e em todos eles os autores foram índios.
    Estes números comprovam o quanto o CIMI mente preferindo criminalizar quem trabalha para acobertar o verdadeiro problema: os índios brasileiros são escravos da FUNAI e das ONGS internacionais, com predominância de organismos vinculados à ala marxista da CNBB.




    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.