As verdadeiras cores vermelhas do Passe Livre (para a Revolução de Outubro)

/
1 Comentários

Via Coturno - Após uma série de atos de hostilidade contra militantes de partidos durante o ato que comemorou a revogação do aumento nas tarifas dos transportes, realizado na noite de quinta-feira (20) na avenida Paulista, região central de São Paulo, o MPL (Movimento Passe Livre) - que vinha convocando os atos desde a semana retrasada - anunciou em entrevista à rádio CBN que não irá mais fazê-lo. 

"O MPL não vai convocar novas manifestações. Houve uma hostilidade com relação a outros partidos por parte de manifestantes, e esses outros partidos estavam desde o início compondo a luta contra o aumento e pela revogação", afirmou Douglas Beloni, do MPL. Além disso, o aumento no número de manifestantes que propõem 'pautas conservadoras' também motivou a decisão. "Nos últimos atos pudemos ver pessoas pedindo a redução da maioridade penal e outras questões que consideramos conservadoras. Por isso suspendemos as convocações". (UOL) 

*** 

Via Reinaldo Azevedo, textos diversos - Mesmo dizendo que o MPL não é contra a participação de legendas nos protestos, Mayara (do Movimento Passe Livre) criticou diversas faixas e slogans gritados durante as manifestações dos últimos dias. 

"Tem gente que não consegue nem mobilizar dez pessoas e leva uma faixa com dizeres horríveis, como coisas contra a legalização do aborto e outras. O MPL é anticapitalista e contra qualquer forma de opressão. Repudiamos várias das reivindicações feitas nos atos.". Nos protestos desta semana, alguns manifestantes levaram faixas pedindo a redução da maioridade penal e contra o aborto. 

Que coisa bonita! Para vagabundo que sai roubando pela cidade, ela quer ajuda. Mas não perdoa quem não pode correr: os fetos, por exemplo. Notem: ela é contra até mesmo a que alguém erga um cartaz se manifestando contra o aborto. Acha isso "horrível". 

(outro post) O Movimento Passe Livre se fortaleceu em São Paulo em 2011, embora seja mais antigo, com o apoio entusiasmado do PT. Foi o partido que ajudou a lhe dar visibilidade nas redes sociais. Petistas que agora estão lastimando a difícil situação em que acabou ficando o prefeito Fernando Haddad discursaram, então, em defesa do movimento e contra Gilberto Kassab por conta do reajuste da passagem naquele ano. Escrevi muitos textos então, procurem em arquivo, apontando que vários de seus militantes eram jovens que estudavam nas mais caras escolas privadas de São Paulo. Num post do dia 25 de janeiro de 2011, depois de essa gente promover uma bagunça danada na reabertura da Biblioteca Mário de Andrade, destaquei num texto o ideário do Passe Livre, que está na página do movimento. Muita gente se esqueceu dele, mas eu lembro: 

"O MPL deve ter como perspectiva a mobilização dos jovens e trabalhadores pela expropriação do transporte coletivo, retirando-o da iniciativa privada, sem indenização, colocando-o sob o controle dos trabalhadores e da população. Assim, deve-se construir o MPL com reivindicações que ultrapassem os limites do capitalismo, vindo a se somar a movimentos revolucionários que contestam a ordem vigente." 

Assim, a suposição de que o Movimento Passe Livre pudesse ou possa ser, de algum modo, útil a causa da alternância de poder no país é uma bobagem. Sua visão de mundo, já escrevi aqui algumas vezes, é o do petismo primitivo. "E por que tantos jovens?" Porque o movimento é mais organizado do que parece. Trata-se de uma piada tosca essa história de que não passam de idealistas movidos pela espontaneidade e pelo espontaneísmo. O grupo tem "representantes" em várias escolas particulares do ensino médio de São Paulo — curiosamente (ou nem tanto), praticamente inexiste nas públicas. Na campanha de 2012, a turma do Passe Livre e outros movimentos de esquerda organizados nas redes sociais apoiaram, claro!, Fernando Haddad, que só conhecia, até estes últimos dias, a mobilização das redes a favor. Agora experimentou o que é estar do outro lado do linchamento virtual.*** 

Frei - Que os católicos aprendam... aprendam. Bastou os conservadores entrarem - seja como tolos iludidos - que os esquerdistas não suportam. Eles se diziam apartidários, mas reclamam quando falamos contra as bandeiras de seu partidos. Apartidários uma pinóia! É Movimento Passe Livre para a Revolução de Outubro! Tão dodoizinhos porque sentaram o pau no PT e na CUT, os padrinhos. Agora que o feitiço virou-se contra o feiticeiro, e o PT toma pelas manifestações que incitou, o Passe Livre tão valente contra Alckmin está de mimimi. 

Eis, meus caros, true colors! Um leitor nos comentários coloca uma frase de Olavo de Carvalho. Não achei as referências de onde falou. Mas aprendi a ouvir atentamento ao filósofo: "O que a massa sente e imagina não conta. O que conta é: quem comanda? Quem planejou? Quem subsidia? Qual a estratégia geral em que se insere o movimento? A massa, se surgir de dentro dela uma liderança antagônica aos organizadores iniciais, pode, é claro, mudar o curso das coisas, mas cadê essa liderança? Como ela não existe, os anticomunistas que participam dos protestos são a massa de idiotas úteis mais solícita que já existiu." 

Em tempo, a catedral de Brasília foi apedrejada, e olha que ela é um ícone da arquitetura eclesio-esquerdista-niemeyriana. Escrevi no facebook que não iria demorar e iriam queimar uma igreja, com a imprensa aplaudindo. Senhor Deus, quero estar errado, por favor!


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. AGORA É A ETAPA DOS "IDIOTAS-ÚTEIS, MASSA-DE-MANOBRA" DE QUE FALA LÊNIN!
    AS REIVINDICAÇÕES GERAIS SEM COMANDO E OBJETIVOS DEFINIDOS A SE ATINGIREM NAS MANIFESTAÇÕES, PERDEM-SE!
    Nem mais nem menos; são exatamente os idiotas-úteis de que se serve o regime comunista de forma sutil nessa fase – haveriam veladas ameaças de Dilma – para nessa etapa dar inicio para radicalizar o regime comunista e o implantar de forma absolutizada e dentro dos rígidos padrões marxistas repressivos, bem ao estilo cubano.
    O pior é que infiltrariam pessoas para promoverem o banditismo e o caos nas pacíficas manifestações, mas depois as reprimirão; passarão a ideia de que agiram na verdade foi contra os promotores de violência - os infiltrados fascistas - e tiveram que se enrijecer, mas eles mesmos camuflada e sutilmente seriam os promotores dos baderneiros; que farsa muito bem montada!
    Observe como o M Passe Livre, por ex., tem a sua ideologia calcada sobre o marxismo, como contra os latifúndios rurais e urbanos e fazer do Estado o provedor de tudo, o estatismo; as manifestações que atrapalham a vida dos outros cidadãos não envolvidos e aparecem pessoas de grupos do próprio Estado a agitarem caracterizam-se como claramente de origem marxista para provocar o caos total, embora não pareçam pois para os comunistas, quanto pior, melhor e fabricam os culpados nessa hora como causa de arrocho às manifestações.
    De igual forma, movimentos apresentando muitas reivindicações gerais, esparsos, difusos, sem um comando delineado a instruir nos objetivos e sem participação de todos no mesmo ideal, seria como que dentro de uma numerosa família cada um querer que funcionasse do seu jeito.
    Cuidado para, além de se arriscarem, não serem transformados em mais um dos “idiotas-uteis, massa-de-manobra” necessários nessa etapa de radicalização comunista!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.