Similis simili gaudet

/
2 Comentários
Aluízio Amorim - Uma morte, seis pessoas baleadas, doze arrastões, agressões físicas, furtos e esfaqueamentos. Esse é o balanço do primeiro dia da Virada Cultural 2013. De acordo com as últimas informações da Polícia Militar, um homem morreu após levar um tiro na Rua Rio Branco, altura do número 300, por volta das 5h.

Durante toda a madrugada deste sábado (18) para domingo (19), furtos e arrastões assustaram os frequentadores dos palcos mais concorridos: São João, Arouche e Largo de São Francisco. No Arouche, eram muitos os batedores de carteira. Um policial que não quis se identificar afirmou que o uso de drogas era alto no palco do Largo de São Francisco, onde se apresentaram artistas de música eletrônica. (...) 

Uma das primeiras vítimas - anunciadas - da malandragem no centro foi o senador Eduardo Suplicy, ainda no início da noite de sábado. Durante o show de Daniela Mercury, ele teve celular e carteira furtados. Mais de dez minutos depois da apresentação ter se encerrado, Daniela e Suplicy subiram juntos ao palco para fazer um apelo ao bandido. Quinze minutos depois, ele voltou ao palco e disse ter recuperado os documentos, dizendo: "Se puder devolver também o celular, agradeço. Poupou um extraordinário trabalho ter devolvido os documentos".


Você também pode gostar

2 comentários:

  1. ISSO RECORDOU A HOMEOPATIA: SIMILIA SIMILIBUS CURANTUR!
    O PT tem afinidade com tudo quanto incida no 6º mandamento do DECÁLOGO DE LÊNIN, os 10 mandamentos dos comunistas: "Provoque distúrbios e colabore que as autoridades não os coíbam".
    Seria a "Virada Cultural" mas um dos shows estilo "roqueiros muito doidões" patrocinados por forças ocultas cujo intuito primordial seria favorecer a alienação e oportunizar desavenças coletivas?
    Tudo leva a crer que sim, incluindo-se denuncias de que a policia assistiria aos fatos impassível...

    ResponderExcluir
  2. Giuliano Fiorante24 de maio de 2013 19:02

    E não é o nobre senador Suplicy que defende esse tipo de coisa? Que adora passar a mão na cabeça de ladrões e defendê-los??
    Que vem sempre com aquele papo, se fazendo de sonso, socilista, distribuição de renda, etc..
    Pois por que foi ao palco pedir os seus pertences??
    Realmente, aquele velho ditado de "no dos outros é refresco" faz todo sentido.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.