Vazamento seletivo não é vazamento, é espionagem

/
1 Comentários
Mais uma provocação aos leitores para entenderem o tal Vatileaks, que se insere no tal tal Wikileaks, o suposto "vazamento" de documentos confidenciais de Estados.

Julian Assange, mentor dos Wikileaks, está protegido pelo Equador e é amigão da Rússia e também do Irã. 

Vocês já viram algum "Wikileaks" destes países e suas turmas? Não estranharam que só vazam informações constrangedoras para seus desafetos? EUA, Israel, até mesmo o pobre Vaticano... não vi um Wikileak da China, nem da Rússia, nem da Venezuela, nem do Irã... Será que faltam documentos secretos nestes países? 

Quem for tolo o bastante de achar que toda informação secreta/confidencial/restrita deve ser revelada pelo bem da transparência, favor colocar nos comentários sua conta corrente e respectiva senha, para o bem da democratização da informação. Por favor, acrescente também seus dados fiscais, sua declaração de bens do IR. Se puder colocar os últimos exames médicos também será interessantíssimo para o bem maior da transparência pública.



Você também pode gostar

Um comentário:

  1. O Equador seria um dos componentes da futura URSAL acaso o marxismo continuar em ascensão na A. Latina, ideal para se admitirem pessoas como Julian Assange favorecendo os comunistas capitaneados pelo Urso/Dragão & Cia.
    Praticamente tudo que possuem de estratégico obtiveram via espionagem, como projetos em geral.
    São exigentes de transparencias alheias, quando deles se esquivam.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.