Minuto com um Papa: Pio XII

/
1 Comentários

Passamos agora a outro ponto que não é de menor importância ou gravidade; queremos aludir à questão social, que se deve resolver segundo a justiça e a caridade. Enquanto as máximas dos comunistas, que hoje correm por toda parte, enganam facilmente as inteligências simples e incultas, parecem ressoar outra vez aos nossos ouvidos as palavras de Jesus Cristo: "Compadeço-me da multidão" (Mc 8,2). É absolutamente necessário que os princípios justos, ensinados pela Igreja nesta matéria, sejam seriamente aplicados. É absolutamente necessário preservar todos os povos desses erros perniciosos; ou, se já estão imbuídos deles, libertá-los de tais doutrinas funestas que propõem o gozo deste mundo como fim único e necessário desta vida mortal; doutrinas essas que entregam todas as coisas ao poder e arbítrio do Estado, para que as possua e administre diminuindo a dignidade da pessoa humana a ponto de a aniquilar quase totalmente. É absolutamente necessário ensinar a todos, em particular e em público, que tendemos como exilados para uma pátria imortal; e que estamos destinados para uma vida e felicidade eternas, a que havemos de ser levados pela verdade e pela virtude. Só Cristo é o defensor da justiça e o consolador terníssimo da dor humana, inevitável nesta vida; só ele nos mostra o porto da paz, da justiça e do gozo eterno, ao qual todos os que fomos remidos pelo sangue divino devemos chegar, ao fim do caminho desta vida na terra.

Mas, por outro lado, é dever também de todos mitigar, suavizar e aligeirar, quanto possível, as angústias, misérias e dores desta vida que afligem os nossos irmãos.

A caridade, é certo que pode remediar parcialmente muitas injustiças sociais, mas não basta. É preciso, antes de mais, que a justiça vigore, reine, e se aplique.

Pio XII, Evangelii praeconis, 1939-1958.



Você também pode gostar

Um comentário:

  1. Impressiono-me de como a maioria vive no mundo: parece-me que estão aqui, nem sabem bem o porquê, sendo a prova disso elegerem comunistas para os governar e aos domingos indo à Eucaristia, se achando católicos e, quem sabe, digno até de merecer a salvação.
    O contraste: elegem comunistas para os governar, como o PT, inimicíssimo de Deus e da igreja; é uma doutrina satânica, dirigida por satanistas, cujo ideal é descristianizar, instigar uns contra os outros e as desagregar, as dominar e daí as manter sob dura escravidão sob um regime totalitarista, materialista e ateu.
    O PT que ama Cuba e a Coreia do Norte etc. e seus ideais deveria ser objeto de aversão e repulsas totais, ao menos dos que se dizem cristãos, NÃO os elegendo, desaconselhando-o ainda em seu meio.
    O grande Pio XII é um exemplo de resistencia aos nazistas, da mesma estirpe dos comunistas.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.