Salomé - XV

/
0 Comentários
Continuando nossa blog-novela desde o Capítulo XIV.
Escrita pelo grande Oscar Wilde.



 
A VOZ DE JOÃO BATISTA
Ah! A prostituta! A meretriz! A filha de Babilônia com seus olhos dourados e com  pálpebras maquiadas! Assim diz o Senhor Deus: Deixe que vá a ela uma multidão de homens. Deixem o povo lapidá-la!

HERODÍADES
Ordene-o que fique em silêncio!!!

A VOZ DE JOÃO BATISTA
Deixe que os capitães a furem com suas espadas, deixem-nos a esmagarem sob seus escudos!

HERODÍADES
Não, isto é infamante!

A VOZ DE JOÃO BATISTA
Assim que Eu vou varrer o pecado da terra, para todas as mulheres aprenderem a não imitar suas abominações.

HERODÍADES
Você ouve o que ele diz contra mm? Vai aceitar que ele ofenda sua esposa?

HERODES 
Ele não disse o seu nome...

HERODÍADES 
De que importa? Você sabe bem que ele quer me insultar. E sou sua mulher, não sou?

HERODES 
Claro, querida e nobre Herodíades, tu és minha mulher, e antes disto eras mulher de meu irmão.

HERODÍADES
Foiu você que me tirou de seus braços.

HERODES 
De fato, eu era mais forte... mas não falemos deste assunto. Não desejo falar disto. É a causa das palavras terríveis do profeta. Se continuar nisto, alguma desgraça virá.  Não falemos disto. Nobre Herodíades, não estamos sendo atenciosos com nossos convidados. Encha meu copo, minha amada. Encha com vinho as grandes taças de prata. Vou beber em honra a César. Há romanos aqui. Devemos brindar a César.

TODOS
César! César!

HERODES 
Você não viu quão pálida está sua filha?

HERODÍADES
De que é da sua conta se ela está pálida ou não?

HERODES 
Nunca a vi tão pálida!

HERODÍADES
Pare de olhar para ela!

A VOZ DE JOÃO BATISTA
Naquele dia, o Sol ficará negro como um saco de carvão, a lua será como sangue, as estrelas do ceú cairõa osbre a terra como os figos maduros caem da figueira, e os reis da terra sentirão medo.

HERODÍADES
Ah aha! Queria ver este dia do qual ele fala, quando a lua ficar ensanguentada, quando as estrelas cairem na terra como figos maduros. Este profeta fala como um bêbado... não suporto mais nem o som da sua voz. Odeio esta voz. Ordene-o que se cale!

HERODES 
Não! Não entendo o que é o que ele diz. Mas pode ser um augúrio...

HERODÍADES
Não acredito em presságios. Ele fala como um bêbado.

HERODES 
Talvez ele esteja bêbado do vinho do Senhor!

HERODÍADES (irônica)
Uh, que vinho é este, este tal "vinho do Senhor"? Em que vinhedos é fabricado? Em que vinícola se acha???

HERODES  (olhando para Salomé)
Tigelino, quando você esteve em Roma, o Imperador falou sobre... sobre...

TIGELINo
Sobre o que, senhor?

HERODES 
Sobre o quê? Ah... estava lhe perguntando algo, não? Até esqueci o que ia falar!

HERODÍADES
Você está olhando de novo para minha filha. Você tem de parar de olhar para ela. Eu já disse isto!

HERODES 
Você só diz isto!

HERODÍADES
E direi de novo.

HERODES
Ah, a restauração do Templo da qual falam tanto. Vai ser feito algo? Eles dizem que a cortina do santuário desapareceu, não?

HERODÍADES
Foi você mesmo quem a roubou. Você fala a toa. Não vamos ficar mais aqui. Vamos entrar.

Oscar Wilde

(... continua ...)

Tradução bêbada de Demerval Bagres


Continua


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.