Ode ao Natal de Shopping no dia vinte e seis de dezembro, Tempo Comum

/
3 Comentários
Ah, dia, 26 de dezembro!


Ah, Natal de Shopping!

Eles puseram a decoração antes mesmo do Cristo-Rei.

Puseram a decoração, mas não sabem o significado da palavra Advento.

Eles tiram a decoração antes do dia de Reis.

O Natal vai de Rei a Reis, mas para o Mundo, a conveniência é o rei.

Quão depressivo é dia 26 de dezembro em Natal de Shopping

Com todas aquelas decorações sendo retiradas

Dia 26 o Natal de Shopping vai do ouro ao lodo

Como a fantasia rasgada e suja na quarta-feira de cinzas

Como o livro de estudos depois da prova

Como bandeja de papel depois do lanche

A árvore tão imensa e requintada de vários andares, um pinheiro que rivaliza com os naturais

É desmontada e vai para as caixas

A neve falsa –Deus dê juízo a quem decora com neve falsa no Brasil –

Vai para o lixo mesmo, isopor chato de limpar.

As renas de pelúcia tão fofas e brilhantes

Também vão para suas caixas com as estrelas, guirlandas e velas

Onde ficarão um ano num porão ou numa sala dos fundos abafada e sem circulação de ar

Longe do glamour e limpeza imaculada do saguão.

Até o próximo advento – advento? Dia de finados já é tempo de Natal para o Shopping

Ah, Natal de Shopping! Não cesso de te admirar

E os papais-noel, estes usurpadores de São Nicolau?

Um deles volta a ser caixa de banco

Outro motorista de taxi

Outro é desempregado mesmo.

Nem a criança que tirou foto no seu colo se lembra dele

(Viva o Papai Noel que pode ainda colocar crianças estranhas em seu colo

E não ser preso por pedofilia!)

E se a criança fez – tolinha – uma promessa ou pedido

Dia 26 já se lembrará? Ou estará enjoada de seus brinquedos novos?

Ah, Natal de Shopping!

Quão artificial és! És como tang sabor jaboticaba com lichia

Puxa, abre o arame, tira, e joga na caixa

Menos uma bolinha vai da decoração

Com o tédio de um ator veterano que fez há pouco um rei no palco

Mas que, sendo a peça terminada, é hora de tirar aquele figurino pesado e incômodo.

Até a próxima peça

É isto o Natal de Shopping

É uma imponente cena do Teatro Alla Scala de Milão, do Opera Garnier de Paris

É o palco do afamado Municipal paulistano, ou o Covent Garden londrino

Coloque umas pirâmides, é a Aida

Coloque umas tapeçarias persas, é Turandot

Coloque um salão de festas, é La Traviata

Coloque pinheiros, renas, luzes e Papai Noel, é NATAL!

O saguão é o palco, a decoração são os atores

Bela peça, brilhante figurino, ótima montagem

Texto excelente de São Lucas, mas estas peças minialistas quase não o citam mais.

Aliás, é politicamente incorreto citar Jesus Cristo

Esta festa de aniversário não tem aniversariante

Vai que um neo-ateu modinha leitor de Dawkins se incomode?

Vai que um procurador que tem azia ao ler Deus no dinheiro nos processe?

Vai que um muçulmano se irrite? Vai que um judeu reclame?

Vai que um protestante acuse o presépio de ser idolatria?

Fora com o Menino Jesus, criança incômoda demais!

Como usa Deus se encarnar?

Como ousa nascer de uma virgem?

(“Virgem?!” Dirá alguém com malícia e tecerá considerações ginecológicas que não faria sobre sua própria mãe)

Certo estava o grande rei Herodes, este defensor  – será? - do estado laico,

Mandando matar as crianças de Belém – Messias não!

Isso mesmo! Assim pede a paz pública e a convivência dos povos!

A fé cristã incomoda muito! Ah, Jesus Cristo, como nos incomodas!

Não tens parte neste Natal. Natal é um tempo de “magia”, de “energia”, de “paz”, entendeu?

Ah, Natal de Shopping!

Veja o Shopping Alguma Coisa de Tal, por exemplo,

Que apregoou “O maior Natal do Brasil/Mundo/Galáxia/Universo”

Dia 26 já está sem as decorações. Que coisa!

A oitava de Natal continua, mas para o Mundo é “Tempo Comum” já

Que não diga o comércio, fazendo as famosas trocas de presentes

(Desde que devidamente acompanhada do cupom fiscal e etiqueta intacta, logicamente)

Ou apregoando “saldões” com preços iguais para quem ainda não esfolou a carteira

Dando o que não era necessário a quem não precisa

Ah, Natal de Shopping!

É justa e nobre a atividade do comerciante, e muita gente boa dela se aproveita

Nunca ousaria os criticar, de jeito nenhum, precisamos deles

Mas poderíamos enfatizar menos o Natal estéril de decoração de Shopping, não?

 Afinal, quem compra, compra a despeito do tamanho do pinheiro falso

Ou da casa do Papai Noel com sua neve falsa, uma Lapônia-Bollywood

(com suas assistentes selecionadas para cativar os olhos dos pais e dar inveja às mães)

Ah, Natal de Shopping! Dia 26 não existes mais!

Tomara que eu ganhe aquele carrão no sorteio!

 Citei Herodes, grande Herodes, amigo de César

César, este sujeito tem visão, porque deu o décimo-terceiro em dezembro

(Viva César! Viva o defensor dos trabalhadores!)

E pôs todos os impostos em janeiro

Celebremos não o Natal, e sim “as festas”

Celebrem bem o Ano Novo que o fisco também celebra

Dia 31 de dezembro meia-noite configura-se o momento do fato gerador:

Do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores ao Estado

Do Imposto sobre Propriedade Territorial Urbana ao Município

Do Imposto de Renda e Proventos de Qualquer Natureza à União

E você, tonto, gastou tudo comprando em Natal de Shopping!

Ahahaha, César é um grande sujeito mesmo, é lícito ou não pagar tributo a ele?

Feliz serias se só pagasses em janeiro os impostos. Sabes estas suas compras inúteis?

Tem 18-25% de alíquota (por cima dos outros impostos!) do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços

Tem 10% do Imposto sobre Produtos Industrializados

Tem 40-60% de Imposto sobre Importações neste seu presente importado.

Olha que sua decoração chinesa mais deu dinheiro ao César brasileiro do que ao Sr. Ching Ling, próspero industriário de Pequim!

Um brinde a César! Ele é o verdadeiro Salvador do Mundo

É por isto que os sacerdotes de Jerusalém só se referiram a ele como seu rei.

Ah, Natal de Shopping!

Por que estou falando dele?

É 26 de dezembro, já acabou.

Aguardemos ansiosamente a Páscoa, onde um coelhinho besta botará ovos improváveis de chocolate com o merchandising de famosos...


Você também pode gostar

3 comentários:

  1. ESTÃO ME ACHANDO COM CARA DE PAPEL-TOALHA...
    É o post um xerox de todas as páginas de um auto de Natal, melhor, de natal de qualquer shopping center que atenderia os alienados ou dopados pelas ideologias modernistas ou beneficiarios amantes das ideologias social-comunistas ocas como bolas de pinheiros natalinos: lindas por fora e vazias por dentro.
    Poderiam ser também dos adoradores do sr. deus dinheiro, o qual ocupa o podio na sociedade atual.
    Pior é se a pessoa der uma paradinha e analisar tudo o que obteve de algo mais para sua vida nesse tempo - subtendendo que não seja niilista - nessa de prestigiar anualmente tais eventos à espera sempre do próximo em sua mediocridade, sentirá uma depressão imensa, por não passar de objeto de uso de outros, impondo a si de como deve proceder para ser como os "poderes do alto" mandam, inclusive comprando, exibindo e propagando publicamente a etiqueta da marca do produto.

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto!! Excelentes constatações!!!

    ResponderExcluir
  3. Frei, excelente texto. Tanto o esvaziamento do Natal como das cerimônias de casamento me incomodam.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.