Salomé - VII

/
0 Comentários
 
 
 
SALOMÉ
(se aproximando da beirada da cisterna e olhando)Como é escuro lá embaixo! Deve ser terrível estar preso num poço tão escuro! É como uma tumba... (aos soldados) Não me ouvem? Tragam o profeta! Eu quero o ver!

SEGUNDO SOLDADO
Princesa, eu a imploro para não nos pedir isto!
 
SALOMÉ
Não me deixe esperando!
 
PRIMEIRO SOLDADO
Princesa, nossas vidas pertencem à senhora, mas não podemos fazer o que nos pede. De fato, não é a nós que deve pedir isto!

SALOMÉ
(olhando ao jovem sírio)Ah!
 
PAJEM DE HERODÍADES
Oh! O que acontecerá?! Estou certo que alguma desgraça vai acontecer!
 
SALOMÉ [indo até o jovem sírio] Você fará para mim, não, Narraboth? Você fará para mim. Eu sempre fui gentil com você. Você fará pára mim. Só quero dar uma olhada neste profeta estranho. Falam tanto dele! Sempre ouço o Tetrarca falando dele. Acho que o Tetrarca tem medo dele. E você também tem medo dele, Narraboth?

JOVEM SÍRIO
Eu não o temo, Princesa; não há homem que eu tema. Mas o Tetrarca formalmente proibiu que qualquer homem tire a tampa do poço
 
SALOMÉ
Mas você fará para mim, Narraboth, e amanhã quando passar com minha liteira no portão do mercado vou deixar cair para você uma florzinha, uma florzinha verde.
 
JOVEM SÍRIO
Princesa, eu não posso, eu não posso!
 
SALOMÉ [sorrindo]
Ah, você fará para mim, Narraboth, você sabe que fará para mim.E amanhã quando passar com minha liteira pelo portão do mercado, eu olharei para você por entre meu véu, eu olharei para você, Narraboth, e vou até sorrir! Olhe para mim, Narraboth, olhe para mim! Ah, você sabe que fará o que peço! Você sabe... Eu sei que fará!
 
JOVEM SÍRIO
[acenando a um terceiro soldado] Deixe o profeta João sair!... A Princesa Salomé deseja o ver.
 
SALOMÉ
Ah!
 
PAJEM DE HERODÍADES
Oh! Quão estranha parece a lua. Pensaria que ela é a mão de uma defunta que quer se cobrir com seu manto mortuário.
 
JOVEM SÍRIO
A lua parece estranha! Ela é como uma princesinha de olhos cor de âmbar. Por entre seu véu está está sorrindo como uma princesinha.
 
 
Oscar Wilde
Tradução cultural de Demerval Bagres



Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.