Não sou Múcio Scaevola...

/
1 Comentários
Enquanto Pôncio Pilatos lavou as mãos para matar, Múcio Scaevola queimou a mão por não ter matado... "estes romanos são loucos", já dizia o sábio Obelix!


Ou seja, cuidado por quem você coloca sua mão no fogo. Tem de tomar muito muito cuidado. Infelizmente, conforme envelheço, concluo que não devemos confiar muito. Uns que eram os grandes defensores da ortodoxia eram pilantras e depravados. Outros era cismáticos, os erros que denunciavam era apenas para atacar o Magistério pós-Conciliar. Outros era frágeis, largam tudo atrás de um rabo-de-saia embriagados de luxúria e querem ter razão conosco. E finalmente os que parecem moles e heterodoxos SÂO moles e heterodoxos... Não dá para confiar em ninguém, não dá para endossar ninguém.  O lema do Frei é "só abro a boca quando tenho certeza". E acrescento desconsoladamente aquele verso de Shakespeare tirado de Plutarco, com uma ligeira adaptação: "Só chame de Bom o homem que desce ao túmulo" (o original era "Feliz"). Em vida ninguém é canonizado.
 
Não confio em ninguém, nem em mim mesmo. Porque não sei quanto tempo perseverarei no Bem. Eu mesmo, basta a graça me faltar, caio nos meus pecados. E como São Paulo clamo a Deus até quando terei os espinhos na minha carne... mas Deus, em sua sabedoria, não nos tira estas pequenas tentações que nos humilham para nos preservar da grande tentação da soberba.
 
Escrevo enquanto Deus e o Superior quiserem. O momento que um deles não quiser, paro. Gostaria que vocês, leitores, aproveitassem.
 
In summa, é isto. Cuidado para não pôr a mão no fogo por outra pessoa. Nem por si mesmo. Mantenham-se humildes e dependentes da Graça Santificante de Deus. Que o Santo Espírito venha em nosso auxílio com seus dons e frutos, porque grande é nossa fraqueza!


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. O sr. está agindo igual S Francisco: quando lhe diziam: o sr. é um santo, isso aquilo, ele lhes respondia:
    "ainda posso ter filhos e filhas; não se pode confiar num homem cujo destino é incerto"!
    E deverá ser o grau de prudência pessoal de cada para si: confiar na graça de Deus, em si confiar, desconfiando, julgando as outras pessoas à medida pessoal disso...

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.