11 homens e uma sentença ou "Tragam as bacias!"

/
0 Comentários
Pôncio Pilatos: Um juiz de acordo com o espírito do tempo... do NOSSO tempo!


As leis são um freio para os crimes públicos - a religião para os crimes secretos (...)


De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto. (...)

Medo, venalidade, paixão partidária, respeito pessoal, subserviência, espírito conservador, interpretação restritiva, razão de estado, interesse supremo, como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos! O bom ladrão salvou-se. Mas não há salvação para o juiz covarde (...)

A justiça atrasada não é justiça, senão injustiça qualificada e manifesta. (...) 


Rui Barbosa, coletânea de frases diversas

Tragam as bacias com água, vai começar o julgamento do século. Bacias? Façam logo piscinas porque lavar só as mãos é pouco! Vai começar o julgamento do Mensalão... o que espero? Muito pouco. Já em QUATRO ocasiões, aqui, e aqui, e aqui, e aqui eu demonstrei como a Liberação do Aborto de Anencéfalos (o que quer que isto seja, porque nem o Conselho de Medicina sabe definir) tinha me feito perder a fé na capacidade moral, jurídica e intelectual dos membros da Suprema Corte. Ateus militantes, estes delinquentes intelectuais servos da esquerda que fazem o trabalho sujo de emporcalhar a religião para o Partido, dizem que o crucifixo deveria ser retirado da parede do STF, numa concepção totalitária, caricata e falsa de "estado laico". As vezes eu mesmo me pego desejando que retirassem o crucifixo por outro motivo, para poupar a figura de Jesus Cristo de tomar parte, mesmo como expectador silencioso, naqueles julgamentos.

Vejam o caso do Ministro Dias Toffoli... Ele bombou duas vezes o concurso para juiz e foi feito ministro da Suprema Corte por Lula e referendado ao cargo pelo não menos porco Senado, cargo este que exije notório saber jurídico. É como se um homem rejeitado duas vezes para entrar num seminário foisse eleito papa. Canonicamente é possível, mas muito improvável, já há alguns séculos é tradição o papa ser eleito entre os cardeais. E olha que para concurso de juiz há muito objetividade na prova que ser aceito num seminário, que depende dos humores do reitor e de sua linha doutrinária (invariavelmente candidatos a seminaristas conservadores, não-efeminados, moralmente formados e inteirados da doutrina estão em desvantagem na Igreja brasileira. Temos o clero que merecemos!). Certamente se eu me inscrevesse hoje para ser seminarista na maioria das dioceses e arquidioceses brasileiras seria rejeitado na lata (ia citar nomes, mas são tantas!).  Ou seja, compreende-se a rejeição do seminário, mas é imperdoável levar ferro no concurso para juiz. Quem tem "notório saber jurídico" faz a prova do concurso com um pé nas costas... E tome Rui Barbosa: "Como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos!!!". Sem contar o óbvio ululante que ligação de Toffoli com a defesa dos réus o coloca sob suspeição e deveria declarar-se impedido. Assim diz a lei... Aquela mesma lei brasileira que diz ser a vida humana sagrada desde a concepção, mas estes 11 ministros ai disseram que não é bem assim... Ah, a lei...

Lei, que lei? Todos países tem boas leis. Até a constituição Stalinista da URSS era brilhante sobre a defesa dos direitos do homem, foi a mais bela jamais escrita. Perto da constituição soviética, a americana, uma verdadeira fiadora das liberdade individuais, parecia ter sido escrita por analfabetos. Infelizmente em sua vigência a carta soviética jamais foi tornada pública. Ao lado dos artigos que garantiam a liberdade de associação e expressão, havia artigos que diziam que tudo deveria se exercer no interesse do Partido Comunista Soviético.  Explica-se misteriosamente porque só havia liberdade de se expressar a favor do governo na URSS - como na maioria dos jornais brasileiros. Logicamente o que na URSS se fazia por medo da Lubianka, do Gulag e do GPU/NKVD (futura MVB/KGB), nossos jornalistas fazem por gostos de servir. A propósito, Bukarin, o escritor da constituição, também caiu no moedor de carne stalinista. E quem não caiu? Nem Molotov, Mikoyan e Beria iam escapar se o bigodão não tivesse ido antes para o colo do Capeta. Ah, não há nada mais didático do que ler um discurso do Trotsky exilado, e ver - com gosto - como ele mesmo foi picado no ovo da serpente que chocou. Nada mais edificante do que ouvir testemunhos de comunistas leais defendendo o Partido mesmo enquanto estavam sentenciados a 25 anos cortando lenha nos 20 graus negativos do inverno da Sibéria. No Gulag, o dia só terminava quando a cota do dia era atingida.

E como do STF fomos a Moscou, voltemos ao STF. O leitor me perdoe a constante associação, mas ela não me sai da cabeça. O Sistema soviético stalinista não se fez pela vontade do bigodão apenas. Houve anos de sabujisse da Suprema Corte russa apoiando o sistema. Vishinsky, Krilenko e outros homens da lei bem antes do stalinismo rombudo já pavimentavam com sangue e leis a construção do Gulag. O próprio tribunal supremo era revolucionário. O sistema soviético não dependia apenas da bota policial do NKVD, mas tinha um amplo apoio dos tribunais. Não é a toa que o crème de la crème stalinista, os processos de Moscou, foi uma farsa montada num tribunal. O que poucos sabem é que estes julgamentos foram apenas a apoteose de um crescendo de justiça corrompida, não um início. Os próprios comunistas revisionistas querem atirar os cadáveres apenas no colo de Stálin, mas em novembro de 1917 toda a engrenagem estava sendo montada, peça por peça.

Recordem as súmulas dos meretíssimos do STF no caso do aborto dos fetos anencéfalos. NÃO ESQUECEREI A PERSEGUÇÃO CONTRA A IGREJA NAQUELAS PÁGINAS, NÃO SE ESQUEÇAM TAMBÉM! Virtualmente nossos juízes cassaram o direito dos católicos, clero e leigos, defenderem sua moral em políticas públicas. Somos cidadãos de segunda categoria, que devem ser preteridos por nossas "superstições" supostamente anticientíficas. Está lá nos autos! Está lá nos autos! Não acreditem em mim, leiam os autos! Krilenko não faria melhor, nem quando o Partido pelo Pravda e Investia armava sua campanha de difamação para tungar a Igreja católica russa de seus bens e liberdade em 1921-22 (na verdade em apagá-la da história, mas um pouquinho de pilhagem de paróquais ajudavam os cofres do Partido). Não, meus caros, os comunistas não destruiram a Igreja russa sob resistência, foi sob aplausos, foi pisada com raiva e gosto dos cidadãos. E quem consultar a
História, verá lá a Liga dos Ateus Militantes, da mesma maneira como organizam no Ocidente, Brasil incluso. No final das contas, é tudo política. Ateus militantes, servos dos comunas, pelo menos depois de nos destruir vão para o Gulag do mesmo jeito... como o juiz Krilenko foi mais tarde. Mas isto é um consolo, não uma solução. "Amava a maldição: que venha sobre ele. Não gostava de bênção: que se afaste dele. (Sl 108)"

E o mensalão, Frei?
Bom, acho que já demonstrei as minhas baixas expectativas, não?

Só acho diabólico que aqueles mesmos aliados dos réus que reclamam do clamor público por condenação foram os que simularam um clamor público pela liberação do aborto. "Não há salvação para o juiz covarde", ah, meu caro Rui Barbosa, verdadeiramente nesta frase espiastes a caderneta de Deus...  


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.