Sinais dos tempos ou já estivemos piores???

/
5 Comentários
Concílio de Constança...
E você acha que só agora nós estamos passando por apertos, hum???



Um leitor me escreve. Como é meu estilo, começo aqui e alí, falo isto, falo aquilo, aí, viaaaajo para longe. Então vamos lá. Eu só lembro que "para Deus mil anos são como um dia", então o Concílio de Constança aconteceu ONTEM em escala de tempo eclesiástica... E ainda tem gente que quer fazer um balanço crítico do Vaticano II... hum... muito cedo. Quem sabe em 2812 dá para avaliar com mais calma... Imprimam e guardem este texto em lugar seco! Só tenho uma certeza, se o mundo ainda não acabar, haverá Igreja católica em 2812. Eu pessoalmente duvido que, do jeito que a coisa ia mal em 1414, algum padre conciliar acharia que este mundo sobreviveria até 2012... E olha nós aqui!!!  Chegaremos em 2812? Com a palavra, o Pai, que sabe a hora...

Caro frei Rojão, sua benção! Estou muito preocupado com o que está acontecendo com a Igreja Católica no Brasil.

Somos dois!

Na região norte as perdas foram fragorosas e há relatos de cidades com quase 50% de evangélicos ou mais. Isso sem falar que os "missionários católicos" que estão na Amazônia sequer converte índios.

Silêncio, temos que apenas bater no peito. "Ai de mim se não pregar o evangelho!" Acho que esta página caiu das Bíblias do CIMI (Conselho Indígena Missionário)

Ao mesmo tempo a "fé" espírita também cresce, isso sem falar nos sem-religião.

Não concordo que o espiritismo esteja crescendo. Quanto aos sem-religião, já vem doutrinados de uma escola infectada por esquerdistas

E os católicos que usam contraceptivos?

Depois reclamam que a Previdência paga pouco! Não há mais jovens na base da pirâmide

Reclamam de ter que ir à Missa todo Domingo,

Isto porque temos Missa aos sábados e domingos a noite, para os dorminhocos!

Que não ajudam financeiramente a Igreja,

Com um governo que estatizou a caridade e a rapina sugando 40% do PIB fica difícil.

Que criticam os erros do passado etc?

Criticam o que não conhecem. E citando o Concílio acima, adianta algo eu criticar algo de SEISCENTOS ANOS atrás? Quem fez já morreu, bem mortinho e seus ossos estão se esfarelando...

Estes são maioria!

De longe!

Me sinto amordaçado por tanta gente em minha volta criticando nossa Fé, pois são tantos que me sinto acuado

Eu também.

E tenho medo em me sentir prejudicado. A pior crítica, a mais dolorosa, é aquela que vem da boca de católicos!

Senhor, perdoai-os, eles nao sabem o que falam.

Sou bem pessimista quanto ao futuro da Igreja aqui nestas terras.

Eu também. Se a Ásia Menor das igrejas do Apocalipe, se a África de Cipriano e Agostinho se descristianizou, imagine aqui. A Igreja sempre sobrevive gobalmente, mas terras se descristianizam!

Já somos minoria mas não desejo que todo o resto se perca e caminhe pro inferno, por causa da omissão do clero. Maldita teologia da libertação!

Mil vezes maldita, maldita no mais profundo dos Infernos!

Você vê alguma saída, caro frei? Porque humanamente não vejo.

Não não vejo.
Mas você colocou bem, humanamente...

Eu só crio coragem para levantar todo dia e prosseguir em minha missão porque a virtude sobrenatural da Esperança me impele. Falamos muito da fé. Falamos muito da caridade. Mas falamos pouco da Esperança. É pela Esperança que esperamos como os hebreus cativos que Deus tenha pena de sua Igreja. 

Quando vejo a história da Igreja, vejo que "nosso declínio" é tudo uma tragédia que vem se desenrolando há mais de dois mil anos, e piorou nos últimos três séculos, e ficou insuportável no último século. Olhando a História da Igreja vemos que ela nunca teve auge, apenas uma crise atrás de crise, perseguição atrás de perseguição. E quando parecia respirar um pouco, mais crise, mais perseguição! 

Exemplifico:

Quando a Igreja católica tinha se espalhado por Israel, vem a Guerra Judaica com todos os males que ocorreram. Quando a Igreja tinha se espalhado pelo Mediterrâneo, a perseguição cruel do Império. Quando a Igreja foi permitida publicamente, vieram os imperadores hereges a perseguindo. Quando o cristianismo se transformou na religião oficial do império, vieram os bárbaros sem deixar pedra sobre pedra. Quando os bárbaros se converteram, vieram os bizantinos e seu cesaropapismo  com heresias diversas (arianismo, monofisitismo, iconoclastia) para pisar e tirar a independência da Igreja. 

Quando os bizantinos se foram, vieram mais bárbaros, francos e lombardos. Quando os francos se converteram e concederam liberdade efetiva ao papado que os bizantinos queriam controlar, veio o século negro, em que os próprios papas deram o mal exemplo. Quando passou esta leva de maus papas, houve o Cisma da Igreja do oriente. Quando veio o renascimento moral dos franciscanos e dominicanos, vieram os cátaros, heresia terrível que ameaçava rachar o cidente. Quando passaram os cátaros, veio o exílio de Avignon com a corrupção do papado como joguete nas mãos do rei da França. Quando os papas voltaram a Roma, explodiu o Grande Cisma, com dois até três papas simultâneos. Quando resolveu-se o Grande Cisma, explodiu ao pecado da Reforma Protestante. Quando a Contra-Reforma conseguiu deter a r(d)eforma e evangelizar as Américas, veio o Iluminismo, coalhado de mentiras e perseguições da Revolução Francesa, que em um ano de laicismo matou mais que quatro séculos de Inquisição. Quando a onda revolucionária passou e tudo lentamente entrou nos eixos, o Concílio Vaticano I punha ordem na casa, veio a Unificação Italiana e o exílio no Latrão. Quando foi criado o Estado do Vaticano curando a falta de independência e a expropriação da patrimônio de Pedro, veio a Grande Guerra, terminando com o comunismo devastador batendo na nossa porta na Guerra Fria. Quando acabou a grande guerra e veio a benção do Concílio Vaticano II ("Agora vai!" pensamos, "Agora vai!") vieram os cismas, a contracepção, a teologia da libertação, o laicismo agressivo, o relaxamento do clero e um varejo de males que vemos até hoje. O comunismo formalmente acabou na Europa, mas ainda pisa na igreja no oriente e nas nossas escolas, estes molestadores intelectuais, servos do Pai da Mentira.

Mal sobre mal, dor sobre dor, fracasso sobre fracasso. Eis a História da Igreja. O pão levedado do reino de Deus sendo sovado implacavelmente pelo Inimigo.



A Igreja prossegue a sua peregrinação no meio das perseguições do mundo e das consolações de Deus, anunciando a cruz e a morte do Senhor até que Ele venha (cfr. Cor. 11,26). Mas é robustecida pela força do Senhor ressuscitado, de modo a vencer, pela paciência e pela caridade, as suas aflições e dificuldades tanto internas como externas, e a revelar, velada mas fielmente, o seu mistério, até que por fim se manifeste em plena luz - Lumen Gentium, 8

É fato dos Evangelhos e do Apocalipse, é ensinado pelos papas ao longo dos séculos, que haverá uma grande perseguição à Igreja no final dos tempos. Não sabemos se esta perseguição será cruenta ou incruenta. Não só no tempo, mas no espaço. Cristãos estão sendo perseguidos cruentamente AGORA na Nigéria e na Índia. Cristãos são perseguidos incruentamente no Brasil e no mundo por mentiras e calúnias, dos seus fantoches voluntários da esquerda (feministas, Gaystapo, neo-ateus, abortistas, teólogos da libertação) e involuntários (liberais, evangélicos, cismáticos negadores de Concílio, maus eleitores e nós mesmos que maltratamos o Corpo Mistico de Cristo com nossos pecados).

Por outro lado, o clima de "Fogo na Floresta!" é espalhado mais e mais pelos cismáticos, que desejam justificar suas desobediências e rompimentos com o magistério. Não, também não é assim. Senão vamos dar razão a Calvino e cairemos nos erros do piedoso Tertuliano. Estudar a História da Igreja é não se surpreender com mais nada. Já estivemos piores, já estivemos melhores. Na minha opinião pessoal, o pior período da História da Igreja foi o Grande Cisma Ocidental. Hoje em dia, por mais que o Mundo ruja e ateste que estamos às vésperas da morte do catolicismo, você segue o papa como o farol na noite escura, como o VOR que conduz o avião voando na névoa. "Sigam a Pedro! Sigam a Pedro! Sigam a Pedro!" repete o telégrafo do Céu. E quando havia DOIS papas brigando e clamando autoridade com argumentos razoáveis e diversos homens de preclara santidade os defendendo??? (E chegou a ter até três!!!) Aquela época foi terrível, terrível, terrível! Preferia ser mil vezes um padre conciliar em Trento que em Constança!

Citando outro exemplo: Houve uma época muito negra na História da Igreja, onde todos os líderes católicos fugiram, onde um papa até chegou a negar a fé em público e 8% do colégio dos bispos apostasiou. Quando? No ano 33 DC, os apóstolos abandonaram Jesus aos soldados, o papa Pedro negou a Cristo publicamente e o apóstolo Judas (1/12 = 8%) traiu Jesus. Ou seja, desde a sua mais tenra formação, desde seu estado embrionário, a Igreja católica está em crise.

Por fim, quando até os apóstolos estavam tentando saber o tempo do fim, os Evangelhos são mais claros que o Sol:

"Quando, então, se sentou no Monte das Oliveiras, os discípulos se dirigiram a ele em particular e perguntaram: "Dize-nos: quando será isso? Qual será o sinal da tua vinda e do fim do mundo?" Jesus tomou a palavra e disse: "Cuidado para que ninguém vos engane! Pois muitos virão, usando o meu nome e dizendo: 'Eu sou o Cristo!' E enganarão muita gente. Ouvireis falar de batalhas, notícias de guerras. Prestai atenção e não vos assusteis, pois é preciso que essas coisas aconteçam. Mas ainda não é o fim. De fato, há de se levantar nação contra nação e reino contra reino. Haverá fome e terremotos em vários lugares. Tudo isso é o começo das dores. "Então vos entregarão à tortura e à morte. E por causa do meu nome sereis odiados por todas as nações. Muitos sucumbirão, trairão uns aos outros e se odiarão mutuamente. Hão de surgir muitos falsos profetas, que enganarão muita gente. A maldade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo..." (Mt 24,3-23)

É Nosso Senhor Jesus Cristo que te responde, leitor e é claríssimo: "A maldade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo..."


Palavras de salvação! Vamos repeti-las: "A maldade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo..."


Não gravou? Mais uma vez: "A maldade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo..."


Parece que estou lendo um livro de História: "A maldade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo..."

Acho que é prudente repetir para quem não prestou atenção: "A maldade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo..."


Guia eterno de Sobrevivência do Católico, seja antigo, seja moderno: "A maldade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo..."


Ou seja, é o começo das dores... o começo do fim... Temos muito pouco poder sobre os destinos da Igreja, mas - sendo partes do todo - temos muito poder sobre nós mesmos! Este foi o segredo de Agostinho, de Francisco, de Inácio, de Pio da Petrelcina, para citar um santo de cada época. E, sem perceberem, eles por se mudarem mudaram a Igreja...


Você também pode gostar

5 comentários:

  1. Uma reflexão cheia de Fé viva e flamejante!!!

    "Temos muito pouco poder sobre os destinos da Igreja, mas - sendo partes do todo - temos muito poder sobre nós mesmos!"

    ResponderExcluir
  2. Frei Rojão, confesso que suas palavras me levaram às lágrimas. As suas, e especialmente as de Nosso Senhor. Quanta certeza podemos ter que Cristo vive, pois ouvimos ainda hoje as suas palavras e elas queimam em nosso coração, como aconteceu no caminho de Emaús! A quem iremos, Senhor? Só tu tens palavras de vida eterna!

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto!!! Instrutivo e muito alentador. Que Deus nos dê a graça de perseverar até o fim!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.