Deus quer é o "Natal sem pecado"

/
4 Comentários
É muito mais fácil renunciar do que se moderar. Por isso que é mais fácil para o casado pecar por luxúria que o celibatário, que em tese vive "na seca" como se fala por ai. É mais difícil beber meio copo de água que passar sede ou beber dois copos de água. Temperança, temperança, temperança, virtude cardeal, como és difícil!!!

Vejo com preocupação uma campanha que anda se alastrando pelas paróquias católicas. Uma campanha que, como todo vício, pode se revestir de virtude. Mas é uma campanha bucéfala, é uma daquelas soluções simples, fáceis e erradas em que o Brasil é mestre entre as nações. Refiro-me a campanha NATAL SEM ÁLCOOL.

Fico embriagado de raiva só de ouvir. Dá-me uma ressaca no bom senso.

Meu São Corbiniano! É verdade que o mau uso do álcool gera males inegáveis. Assim como o mau uso de automóveis (especialmente com álcool), armas de fogo, pipas, internet, televisão, dinheiro, sexualidade, pedaços de cano de ferro (bata com um pedaço de cano de ferro na cabeça de alguém e você entenderá meu ponto)... até a liberdade, valor absoluto, é ruim se for mal usada. Satanás e seus anjos estão até hoje em pleno exercício de sua liberdade...

Como é mais fácil proibir que moderar, muitos católicos vem com este papinho: "Natal sem álcool", emulando seitas heréticas (como os hipócritas adventistas, que se abstem de beber álcool, mas não de contar mentiras sobre a Igreja católica).
Esta campanha é especialmente perigosa porque uma bebida alcóolica é material de sacramento, sim, o vinho - alcóolico por natureza - torna-se verdadeiramente o sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, igual em tudo ao mesmo sangue jorrado na cruz, exceto nos acidentes da aparência física e dos fenômenos. Ataque o álcool, e estarás atacando material de sacramento, o Santíssimo Sacramento. Perigoso. Muito perigoso. Será que os distintos sacerdotes que proclamam o Natal sem álcool, na missa do dia 24, não serão chamados de hipócritas???

A Escritura não condena o álcool em si. Condena a bebedeira, não o álcool. Aliás, no Antigo Testamento, beber do fruto de sua vinha era uma bem-aventurança, uma benção do Senhor. Mesmo Israel era a vinha do Senhor. Finalmente, o próprio verbo, Nosso Senhor Jesus Cristo, diz que o vinho é bom, inclusive misturado com água. Como se não bastasse, ele mesmo faz seu primeiro milagre transformando água em vinho. E é difamado pelos fariseus como beberrão. Até a oração na missa comentando as ofertas muitas vezes diz que o vinho alegra o coração.

Se bebida alcóolica é algo intrinsecamente ruim, Jesus Cristo errou transformando água em vinho. Ele não gritou "BODAS SEM ÁLCOOL". Muito pelo contrário, fez da água o vinho, e vinho bom, de excelente qualidade, o vinho do dono da vinha que era Israel. O vinho bom sendo que ele mesmo era a videira, e nós os ramos ligados a ele. Será que houve bêbados nas bodas de Caná? Será que pecaram bêbados? Irão culpar Jesus Cristo por isso?

O abuso do álcool é apenas uma das muitas facetas da gula, o vício capital que é o apego excessivo aos alimentos e o prazer deles. A gula é a irmã gêmea da luxúria, que é o apego excessivo aos prazeres (não só sexuais) e da cobiça que é o apego excessivo aos bens. A cobiça quer coisas, a luxúria quer gozo, a gula quer o prazer de comer e beber, ou de acumular o que comer e beber.

O que Nosso Senhor quer é a campanha NATAL SEM PECADO, porque foi para destruir o pecado é que houve Natal.

Muitas pessoas estarão se abstendo de álcool no Natal, mas estarão invejando seu próximo (INVEJA)

Muitas pessoas estarão se abstendo de álcool no Natal, mas estarão se empanturrando de comer (GULA)

Muitas pessoas estarão se abstendo de álcool no Natal, mas estarão se ardendo de desejos impuros pelos colegas (LUXÙRIA)

Muitas pessoas estarão se abstendo de álcool no Natal, mas estarão se mostrando e se exibindo por suas posses ou talentos (SOBERBA)

Muitas pessoas estarão se abstendo de álcool no Natal, mas estarão maquinando como mais possuir (COBIÇA)

Muitas pessoas estarão se abstendo de álcool no Natal, mas estarão desejando o mal a seu próximo (IRA)

Muitas pessoas estarão se abstendo de álcool no Natal, mas estarão sem tomar parte nos preparativos da festa, nem da limpeza depois (PREGUIÇA)

Sem contar a vaidade, maledicência, hipocrisia, mundanismo, e outros mil pecados que podem haver até mesmo numa festa de Natal.

E vão restrigir um vinho, um champanhe, ou mesmo a cerveja?

Hipócritas!

Há crimes e assassinatos no Natal, como os mais terríveis dos pecados. Vão num pronto socorro no Natal e vejam o lado negro dos festejos. Sim, muitas vezes causado pelo mau uso do álcool. Mas não pelo álcool em si. In suma, uma festa, mesmo uma de Natal, pode ser o compêndio de todos os vícios. Alias, eu queria ver estes padrecos terem culhões (sim, culhões) de propor o CARNAVAL SEM ÁLCOOL. É fácil se abster de um vinhozinho ou uma cidra no Natal. Proibamos é no carnaval a cerveja e a cachaça, vamos lá, novos fariseus! Querem revolucionar o mundo, hein? Querem vencer a cultura? Ótimo, comecem no carnaval. O álcool mal usado mais mata no carnaval que no natal...

Carros matam, proibamos os carros!

Bolachas engordam, proibamos as bolachas!

Fumar dá câncer, proibamos o cigarro!

Hidrelétricas alagam, proibamos as usinas!

Viver polui, proibamos a geração da vida!

Os outros atrapalham o mundo novo e perfeito, proibamos aos outros o direito de existir! (A Solução comunista)

Enfim, Natal sem álcool uma pinóia! Nosso Senhor que é NATAL COM TEMPERANÇA, NATAL SEM PECADO!


Você também pode gostar

4 comentários:

  1. Existem duas formas de destruir a misericórdia: eliminando o pecado e eliminando o perdão. Estas são precisamente as duas atitudes mais comuns nos dias que correm. Numa enorme quantidade de situações não se vê nada de mal. Naquelas em que se vê, não há desculpa possível. As acções do próximo ou são indiferentes ou intoleráveis. O que nunca são é censuradas e perdoadas. O que nunca se faz é combinar o repúdio do pecado com a compaixão pelo pecador.

    ResponderExcluir
  2. CONTINUO EM MINHA CRUZADA CONTRA AS SEITAS. OLHA ESSA ROJÃO: USANDO TUNICA? NUM CULTO? NÃO SAO EVANGELICOS? http://padrebento75.blogspot.com/2011/12/e-minha-impressao-ou-estes-picaretas-da.html

    ResponderExcluir
  3. Esqueceu de dizer: "Proibamos as palmadas", principalmente nos pirralhos "sem dono" que "botam terror" nas missas :// Por falar nisso, domingo passado eu assisti a cena de uma mãe (acho que era a mãe) IMPLORANDO para que filha, duns 5 anos de idade, parasse de correr na igreja.

    Mas, voltando: estou tomando uns "faixa-preta", portanto, NATAL SEM ALCOOL (nesse caso, uma invejazinha pode, neh??? :S )

    ResponderExcluir
  4. Concordo. A liberdade é a capacidade de aderir ao bem. Se somos manipulados por visões fanáticas como não consumir álcool algum como se isso fosse "de per si" a própria virtude abrimos mão de eleger.

    Ora, se ao invés de sermos livremente responsáveis para consumir dentro do que seja o bem preferimos seguir uma fórmula pré-determinada transferimos para os outros a decisão do que devemos ser e fazer abrimos mão da nossa dignidade de filhos de Deus. Viva a liberdade de escolher e a boa doutrina da Igreja Católica que nos ensina a verdadeira sabedoria de Deus e nos faz livres! Muito bem escrito!Vida em Sociedade

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.