O que não entende o que lê, também fala do que não entende

/
31 Comentários
Nada melhor que chutar o traseiro arrogante de um herege para coroar um domingo cheio de celebrações da Santa Missa. E este veio a calhar.

Sou protestante
 
Tadinho. Tome tento na vida, homem e converta-se logo ao catolicismo, o cristianismo original!

e acho que o Vaticano II da Igreja do Papa
Lá vem...

Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Igreja católica e apostólica. E Igreja do papa também, porque Nosso Senhor deixou São Pedro e sucessores para a pastorear. Tá lá na Bíblia, mas não cres na Bíblia, e sim em Satanás, que espalha cisma e divisão contra a Igreja católica de Nosso Senhor Jesus Cristo.

só acertou em anular a esquizofrenia antibíblica que era a Missa do Papa

Tem nada de "Missa do Papa" não, este termo não existe. Vai ver ele viu um CD de música do Palestrina - algum "Missa do Papa Marcelo" - e com seus profundos conhecimentos históricos-exegeticos de protestante achou que era teologia...

que diziam ser um tal de "sacrifício incruento" para ser um - com todo realismo bíblico ou cristão - memorial, banquete e comemoração da rendenção dos pecadores mediante o sacrifício do divino Filho Deus Jesus Cristo.

Esquizofrenia bíblica é esta salada russa de conceitos que você está fazendo. Que raios é realismo bíblico? É exegese escrita por Zola, Machado ou Flaubert? E o que é "bíblico ou cristão"???. Se é bíblico não é cristão na opinião dele. E nós que somos esquizofrênicos bíblicos... Não se mudou UMA VÍRGULA SEQUER da doutrina da Santa Missa no Vaticano II. Nem mesmo o mais empedernido teólogo herético ou cismático que distorce as palavras conciliares chegou nesta afirmação estúpida.

No mais, acho que é temeroso você apoiar um conciliábulo como o Vaticano II, caro Frei,

 
"Conciliábulo"... ui, quanto desprezo. Dormirei na pia hoje

E não tem que apoiar ou não. TEM QUE OBEDECER. Não só aos Sacrossantos Concílios, mas ao Magistério da Igreja, desde os tempos apostólicos!

o qual simplesmente, pelo que sei, desfigurou a sua instituição eclesiástica multissecular

 
Nosso amigo "esquizofrênico bíblico" é também hábil em neologismos. "Instituição Eclesiástica Multissecular"... que bela combinação de palavras. E se aplica a tudo! A Santa Casa de Santos, a primeira do Brasil - "Instituição Eclesiástica Multissecular". A catedral de Notre Dame - "Instituição Eclesiástica Multissecular". A matriz do Pilar - "Instituição Eclesiástica Multissecular".

Só que este multissecular, acrescente ai "bi-milenar" que cai melhor, ok? Santo Inácio de Antioquia se dizia membro da Igreja católica, assim como São Clemente e Policarpo. Eu sei lá de que seita protestante ele pertence, mas muitas são mais novas que o uísque do supermercado. São "Instituição Eclesiástica Infra-Monosseculares" em sua linguagem...

Quem desfigurou a "Instituição Eclesiástica Multissecular" meu caro, foi a Reforma Protestante. Desfigurou tanto que as diversas "Instituições Eclesiásticas Não-tão-multisseculares" que saíram das heresias calvino-luteranas não se entendem nem concordam em nada de nada de doutrina entre si.  Eu nem vou perder meu tempo defendendo a doutrina católica da missa porque nem sei qual dentre as milhões de versões protestantes do ensinamento ele segue. Dá a entender que ele não crê na eucaristia - mas vai saber - a despeito das palavras de Jesus claríssimas "Meu corpo é uma verdadeira comida, meu sangue é uma verdadeira bebida"

O que esperar de um protestante? Eles seguem o "Sola Scriptura", mas nem entre eles se entendem. Vai agora falar de Concílios... O que não entende o que lê na Bíblia, também fala do que não entende e só ouve falar.


Você também pode gostar

31 comentários:

  1. HAHAH...! Caro "Frei" que a Paz do Senhor Jesus seja com você, caro eleito do Pai e com os outros mais que vitoriosos eleitos de nosso Deus, aí de sua família. Saiba que sou seu fã, você é uma figuraça! Gostaria de dar um primeiro esclarecimento aqui de que sou protestante histórico: calvinista. Também, fica aqui um segundo esclarecimento de que, não sou nenhum especialista em língua portuguesa, mas a palavra "ou" quer dizer uma explicação em outras palavras a respeito de qualquer coisa e não só um termo para expor alternativas entre uma coisa "ou" outra. Por fim, quanto a sua instituição eclesiástica multissecular (risos...) ser a verdadeira Igreja de nosso Senhor, bem, deixo a você um desafio de provar de se até o ano 1000 os cristãos reconheceriam a sua igreja do Ocidente como a única Igreja de Cristo e o Papa como chefe dos bispos do mundo todo e pastor universal. Prove, isso caro irmão! Você não vai conseguir, porque talvez a verdadeira Igreja de Cristo seja a Ortodoxa e não a sua cismática Igreja do Papa vinda das trevas, como escreveu São Fócio! Quanto a doutrina da Eucaristia "transubstanciosa" de certas comunidades cristãs como a sua, caro irmão, essa eu não creio por não ser realmente algo bíblico e o que não é bíblico é zero como algo teológico, zero como algo cristão: não passa de preceitos humanos, obra da carne ou heresia. Veja, talvez mesmo, de forma integral as igrejas protestantes não sejam verdadeiramente a Igreja de Cristo. Mas quanto a pregação de que Cristo é Salvador, tal pregação só quem é calvinista é quem sabe bem provar com todo realismo ou factualismo bíblico, de fato e de direito.

    Deus o abençoe e ABRAÇOS!

    ResponderExcluir
  2. Deixai, pois, porque a caravana passa, Frei, a caravana passa!!!

    ResponderExcluir
  3. "...se até o ano 1000 os cristãos reconheceriam a sua igreja do Ocidente como a única Igreja de Cristo..."

    Como se Deus dependesse do "reconhecimento" humano. Você provaria que não, pela Bíblia? Aliás, você prova somente pela Bíblia? Então AGRADEÇA à Igreja Católica ter FORMADO a Bíblia, sem tirar "nem um jota nem um til", como aliás hoje os protestantes querem tirar a Carta de Tiago porque NEGA a tese da -salvação somente pela fé-, que vocês tanto alardeiam.

    Que "Bíblia" é essa que vocês seguem, da qual se pode tirar um pedaço aqui, outro ali, conforme a CONVENIÊNCIA???

    Aliás, qual Bíblia vocês seguiam antes do Concílio de Jamnia???

    Até parece que não sabe do que fala..

    ResponderExcluir
  4. Ai, ai... Não sou lá uma apologeta brilhante, mas na minha área eu não podia deixar passar! O amigo escreve ali:
    "Também, fica aqui
    um segundo esclarecimento
    de que, não sou nenhum
    especialista em língua
    portuguesa, mas a palavra
    "ou" quer dizer uma
    explicação em outras
    palavras a respeito de
    qualquer coisa e não só um
    termo para expor
    alternativas entre uma coisa
    "ou" outra. "
    Bem, ainda bem que ele assume não ser um especialista! De fato, a palavra OU é uma conjunção coordenativa alternativa, que exprime uma relação de alternância entre dois termos OU duas orações (viu o exemplo?). Nem mas mentes dos idiotas, digo, linguistas mais renomados da minha universidade, ela poderia ser usada para exprimir explicação. It's Impossible, honey, ok? Faz uma coisa: junto com uma Bíblia completa, pra estudar de verdade e parar de falar bobagem, compra também uma gramática do português brasileiro, tá?

    ResponderExcluir
  5. "Quanto a doutrina da Eucaristia "transubstanciosa" de certas comunidades cristãs como a sua, caro irmão, essa eu não creio por não ser realmente algo bíblico e o que não é bíblico é zero como algo teológico, zero como algo cristão: não passa de preceitos humanos, obra da carne ou heresia."

    Então do que trata o Evangelho João, 6
    51. Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo.
    52. A essas palavras, os judeus começaram a discutir, dizendo: Como pode este homem dar-nos de comer a sua carne?
    53. Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos.
    54. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.
    55. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida.
    56. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.
    57. Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a minha carne viverá por mim.
    58. Este é o pão que desceu do céu. Não como o maná que vossos pais comeram e morreram. Quem come deste pão viverá eternamente.
    59. Tal foi o ensinamento de Jesus na sinagoga de Cafarnaum.

    ResponderExcluir
  6. João do Milho,

    O senhor é calvinista. Aqui neste blog católico, damos a você apenas um adjetivo – que pode ser atribuído também a luteranos, não tem problema -, que é o de herege. Não se contenta somente em sê-lo, mas também em defender e espalhar estes terríveis erros contra a fé.

    Quanto ao “ou” que quer dizer explicação, não vou nem falar nada porque uma pessoa já entendida na área de língua portuguesa tratou de responder sua demonstração de desconhecimento.

    Vamos agora às porcalhadas teológicas do João do Milho:

    "Deixo a você um desafio de provar de se até o ano 1000 os cristãos reconheceriam a sua igreja do Ocidente como a única Igreja de Cristo e o Papa como chefe dos bispos do mundo todo e pastor universal. Prove, isso caro irmão!"

    O desafio era pro frei Rojão... Mas eu me intrometo e faço questão de participar da festa. Desde o ano 30 até hoje a verdadeira Igreja é católica, apostólica e romana meu filho. A primazia do bispo de Roma sobre os demais bispos começa com S. Pedro e seus sucessores foram, através de documentos magisteriais, mostrando a superioridade da Sé de Roma.

    Vamos às provas documentais? Está lá: Inácio de Antioquia (séc. II) chama a Igreja de Cristo de “católica”, em carta aos fiéis de Esmirna (carta com exclusividade para você, João do Milho, no meu blog: http://beinbetter.wordpress.com/documentos/cartas-de-santo-inacio-de-antioquia/epistola-aos-esmirnenses/).

    São Clemente Romano (séc. I-II). Essa é tão fácil que tá no Wikipédia. Vai lá dar uma conferida: http://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Clemente_I

    Destaco pra você: “O Bispo de Roma Clemente I pede para que recebam os bispos que tinham sido expulsos injustamente dizendo: ‘Se algum homem desobedecer às palavras que Deus pronunciou através de nós [plural majestático], saibam que esse tal terá cometido uma grave transgressão, e se terá posto em grave perigo’. E São Clemente incita então os coríntios a ‘obedecer às coisas escritas por nós através do Espírito Santo’ (São Clemente, “Epístola aos coríntios” Ep.59).”

    Bom, eu não acho que precisamos de mais...

    ResponderExcluir
  7. Mas vamos a mais um documento!

    Depois do papa Júlio I e alguns outros falarem da primazia de Pedro, Bonifácio I, do século V, (http://beinbetter.wordpress.com/2010/02/03/a-igreja-foi-fundada-sobre-pedro/) declara:

    “E, com efeito, Pedro sabe, por testemunho do Evangelho (cf. Mt 16, 18), que a Igreja foi fundada sobre ele. E jamais sua honra pode se sentir livre de responsabilidades, afinal, o governo da Igreja está dependente de suas decisões. Tudo isso justifica que a nossa atenção se estenda sobre esses lugares do Oriente, que, em virtude da missão a nós encomendada, tudo seja feito sob o nosso olhar.”

    E ele vai além: “A Deus se chega mediante a aceitação da primazia de Pedro, em quem, como antes temos recordado, foi fundada a Igreja de Deus.”

    Precisamos dizer mais alguma coisa?


    "Quanto a doutrina da Eucaristia "transubstanciosa" de certas comunidades cristãs como a sua, caro irmão, essa eu não creio por não ser realmente algo bíblico e o que não é bíblico é zero como algo teológico, zero como algo cristão: não passa de preceitos humanos, obra da carne ou heresia."


    Um calvinista zombando da transubstanciação... E diz que o milagre não é bíblico. Uno minha voz à do Leandro Lopes (vá ao capítulo 6 do Ev. de S. João):

    55. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida.
    56. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.
    57. Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a minha carne viverá por mim.
    58. Este é o pão que desceu do céu. Não como o maná que vossos pais comeram e morreram. Quem come deste pão viverá eternamente.

    A MINHA CARNE É VERDADEIRAMENTE COMIDA... VERDADEIRAMENTE. VERDADEIRAMENTE. Eu poderia repetir este “VERDADEIRAMENTE” mais um tantim, mas como sei que não é a força das palavras que converte, mas sim o poder do Espírito Santo, paro por aqui.

    Quanto às doutrinas “não” bíblicas, por assim dizer, serem consideradas por vc como “coisas de homens”, seria muito bom que você explicasse o fato desta Igreja dos Papas e tudo mais ter reunido seus bispos para decidir os livros que fariam parte das Sagradas Escrituras.

    Tipo assim: uma coisa de Deus feita por homens... Será que ia dar certo? Bom, pelo menos vc assume que a Bíblia é coisa de Deus, o que quer dizer alguma coisa.

    Só é incoerente negar a assistência do Espírito Santo a essa Igreja que fez a Bíblia e que você fala que é “vinda das trevas”.

    Vamos rever os conceitos e fazer uma boa aula de Catecismo...? Heim, João do Milho?

    Graça e paz.
    Salve Maria Santíssima!

    ResponderExcluir
  8. Quanto ao desafio 2, o Leandro já provou que a Eucaristia é o Corpo e o Sangue do Senhor Jesus. E bastaria ler os Evangelhos, e especialmente o capítulo 6 de São João, para se confirmar a doutrina. Estranho que alguém que diga que só vale a Escritura duvide disso.

    Mas quanto ao desafio 1, segue:

    "Sigam todos ao bispo como Jesus Cristo ao Pai; sigam ao presbítero como aos Apóstolos. Respeitem os diáconos como à lei de Deus. Ninguém faça sem o bispo coisa alguma que diga respeito à Igreja. Por legítima seja tida tão somente a Eucaristia celebrada sob a presidência do bispo ou por delegado seu. Onde quer que se apresente o bispo, ali também esteja a comunidade, assim como a presença de Cristo Jesus também nos assegura a presença na Igreja Católica. Sem o bispo não é permitido nem batizar, nem celebrar o ágape".
    Carta de Santo Inácio de Antioquia aos Esmirnenses 8, 1s. (+- 107 d.C.).

    Pela primeira vez na literatura cristã aparece aqui a expressão "Igreja Católica".

    Ano 100 e não ano 1000!

    Tem mais de onde veio esse... E então, senhor calvinista, argumentei. Agora é sua vez... aguardamos.

    ResponderExcluir
  9. Agora até deu pena do João... Tome tenência, moço, e volte pra Igreja, assim, com I maiúsculo. Ou, fique na sua, nos dois sentidos.

    ResponderExcluir
  10. "mas a palavra
    "ou" quer dizer uma
    explicação em outras
    palavras a respeito de
    qualquer coisa"

    GENIAL!!!!! Em mais de 40 anos NUNCA os professores me ensinaram isso... Deve ser alguma conspiração do ensino.

    ResponderExcluir
  11. Alguns documentos a mais, só para complementar a refutação dos comentadores acima:

    Carta "Quantam sollicitudinem" ao bispo Cipriano de Cartago, no ano 251:
    “Nós sabemos que Cornélio foi eleito bispo da santíssima Igreja Católica, por Deus, Senhor nosso; confessamos o nosso erro, fomos vítimas de uma impostura, fomos envolvidos num palavrório pérfido e capcioso. De fato, embora parecesse como se tivéssemos certa ligação com esse homem cismático e herege, o nosso coração contudo ficou sempre na Igreja; pois não ignoramos que há um só Deus, um só Senhor, o Cristo, o qual confessamos, um só Espírito Santo; que deve haver um só bispo [preposto] na Igreja Católica."

    Carta nº 54 de Cipriano de Cartago a Cornélio:
    "Depois de tais coisas como estas, ainda se atrevem – tendo sido nomeado para eles um falso bispo pelos hereges - a embarcar e levar cartas de pessoas cismáticas e profanas ao trono de Pedro, e à Igreja principal onde a unidade sacerdotal tem a sua fonte; e a não considerar que estes foram os romanos cuja fé foi louvada na pregação pelo Apóstolo, aos quais a falta de fé não podia aceder"

    Carta "ἈΝΕΓΝὮΝ ΣΑ ΓΡΆΜΜΑΣΑ" do Papa Júlio I, aos antioquenos, ano 341:
    "Se de todo, como dizeis, houve uma certa falta em relação a eles, o juízo devia acontecer segundo o cânon eclesiástico e não desse modo. Devia haver-se escrito a todos nós, para que fosse assim estabelecido por todos o que é justo. Os afetados, na verdade, eram bispos, e as Igrejas afetadas não eram quaisquer, mas aquelas que os próprios Apóstolos dirigiram pessoalmente. Por que motivo, principalmente no tocante à Igreja de Alexandria, não foi escrito a nós? Por acaso ignorais que o costume era este: que se escreva primeiro a nós e daí venha a ser estabelecido o que é justo? Se, portanto, se suspeitava alguma coisa do gênero a respeito do bispo de lá, devia haver-se escrito à Igreja daqui."

    Sínodo de Sérdica, Carta Quod Semper, ao Papa Júlio I, ano 343:
    "Esta, de fato, parecerá ser a coisa melhor e mais apropriada: que os sacerdotes do
    Senhor de todas as províncias recorram à cabeça, isto é, à sé do Apóstolo Pedro."

    Procure ver também o IV Concílio de Constantinopla, 10ª Sessão, do ano 870.

    ResponderExcluir
  12. Resposta, em globo, para os irmãos separados:

    1) Dona Isabela, reafirmo que sou, digamos, naïf em gramática da língua portuguesa, mas, parece a mim que você fez uma análise sintática da palavra "ou", já eu fiz uma análise semântica da mesma. Você mudou de gênero, cara irmã, não falou da mesma coisa que eu. "Ou", segundo algumas ainda que pouquíssimas fontes que consultei e que considero honestíssimas, dizem as mesmas que "ou" serve por explicação em outras palavras a respeito de qualquer coisa que esteja ligando. Veja, o próprio Jorge Amado que a despeito de ter sido um maníaco de esquerda a vida toda, todavia, ele mesmo usa em obras importantes dele para nossa Literatura Brasileira o termo "ou" para introduzir sinônimos para explicar melhor o que quis dizer ao leitor. Amado não é nada naïf ou é uma grande autoridade também para nossa gramática, não acha?


    2) Sr. Ewerton, por causa de seu desnecessário desrespeito para comigo ao deturpar o meu próprio nome como se ser calvinista ou crer que nada pode nos separar do amor de Cristo, fosse algum crime... Por isso, vou considerar aqui o seu catolicismo de brasileiro como mera estupidez ou vontade de ter alguém que mande você fazer o que você deve fazer por ser o bem, já que desde criança a INcultura brasileira de sua família e de nossa sociedade talvez nunca ensinaram nada de bom para você.


    3) Com relação aos outros irmãos separados papistas, bem, eu só teria a dizer que a talvez verdadeira, original e legítima Igreja de Cristo, a Ortodoxa, tem a dizer que sempre honrou o Bispo de Roma, mas que depois do Cisma e de certos dogmas monstruosos modernos como o Filioque, a Imaculada Conceição e a Infalibilidade Papal, tais decisões tornaram inviáveis que ainda houvesse a mesma consideração que se tinha pelo papado antigo. Os cismáticos são só vocês, os papistas.

    Deus abençoe a todos os eleitos de Deus, ainda que hereges aduladores papais, e ABRAÇOS!

    ResponderExcluir
  13. E nenhum argumento contrário apareceu, senhor Emiliano??? Apenas acusações?? E aquilo de que a Igreja Católica surgiu apenas no século X??? Você pediu, nós provamos. Prove o senhor, agora, que sua religião vem dos apóstolos.

    Sobre a Igreja Ortodoxa ser a original, eu sugeriria aguardar uns dias e ler o post do nosso site, que trará novidades sobre o diálogo católico-protestante. Talvez com a confissão dos ortodoxos da primazia papal seu discurso mude.Pois se até os "verdadeiros" cristãos - como o senhor os chama - dizem que o bispo de Roma tem a primazia entre os bispos, o que se dirá, não é?

    Acho que todos nós, amantes do Papa, aguardamos, então, as suas provas de que a Igreja de Cristo surgiu no século XVI e não no I.

    ResponderExcluir
  14. Mas o curioso mesmo é um caboclo suspeitar que a Igreja de Cristo é a Ortodoxa e dormir tranquilamente no calvinismo...

    Eis a coerência protestante!

    ResponderExcluir
  15. Não sei se há em mim sangue indígena ou se em alguém de minha família, há o sangue indígena, suspeito que não. Logo, creio que não sou um caboclo. Mas, em que medida que um argumento racista como esse seu, caro irmão separado fascinado pelo suposto primado da vontade de poder papal, pode com o fato de que talvez a Ortodoxa seja a Igreja de Cristo, verdadeira, e o Calvinismo dar aquele descanso pela fé em Deus preconizada pelo autor da carta aos hebreus? Nada pode, caro amigo, eu presumo. Não fiz simplesmente acusações, argumentei com, por exemplo, questões importantes como a cláusula Filioque e você não respondeu. Quanto as tratativas ecumênicas entre certos setores que se dizem ortodoxos e a seita do Papa, bem, um ecologista fanático como Bartolomeu I já fiquei sabendo que não representa importantes setores fiéis ortodoxos.

    ResponderExcluir
  16. Carissimo João,

    O termo calvinista,já se entrega por ter sido proveniente de um homem, Calvin, ou melhor JOÃO CALVINO!

    Como podes considerar a sua tal A igreja de Jesus Cristo? Se foi criada por um mero mortal E também retirou coisas que nao o agradavam da igreja católica, fazendo assim a sua religião, tão confortavel para si, que provém da outra, criada por Lutero.

    Ah, se for para corrigir meu português, aceito, com prazer.

    ResponderExcluir
  17. Onde se lê católico-protestante, leia-se católico-ortodoxo... desculpe nossa falha.

    ResponderExcluir
  18. Falha mesmo é o catolicismo-romano. O Ocidente está um pau de galinheiro só, muito culpa do lixo romanista que é todo baseado em uma falsa teologia: tomismo ou uma mera filosofia da razão natural humana... Pelos frutos os conhecereis, ensinou nosso Senhor!

    Que esmaguemos a infame ICAR!

    ResponderExcluir
  19. Pessoal... pessoal... a argumentação caiu muito.
    Mais uma vez entraram pelas acusações mútuas sem discutir o que realmente importa. Os argumentos do Calvinista já foram debatidos e refutados por séculos pela Igreja (a com letra maiúscula).
    As questões dogmáticas tão caras a Igreja Católica e tão desprezadas pelos protestantes são ponto de discórdia há tempos. Na verdade quando os protestantes entenderem o que significa dogma verão que a religião deles está cheia delas.

    O senhor João Emiliano se faz de desentendido em alguns momentos para colocar o olhar dele. Deixe isso para lá e concentrem-se nos argumentos de fato, como fizemos com o saudoso Eleutério - que Deus tenha pena de sua alma.

    Argumentos para defesa dos dogmas, que não faltam por tratarem-se de entendimentos da Escritura ou da Tradição Apostólica. Os dogmas só explicam aquilo que a fé já aderira. Os dogmas só tornam-se indiscutíveis por tratarem-se da Verdade. Não se discute a Verdade clara e límpida revelada pela Escritura e a Tradição.

    ResponderExcluir
  20. Não precisava lembrar, mas por questão óbvia o post em que o senhor João Emiliano clama pelo esmagamento da Nossa Una Santa Mãe, a Igreja Católica Apostólica Romana, deveria ser deletado ou por intolerância ou provocação clara.

    ResponderExcluir
  21. Quando crescer quero ser como o Leandro: calmo e com pena de veludo... Estou mais para marreta!

    ResponderExcluir
  22. "O Ocidente está um pau de galinheiro só, muito culpa do lixo romanista que é todo baseado em uma falsa teologia".

    R:Não burro! O pau de galinheiro que se encontra o ocidente, é culpa da revolução sexual, da intronização da mediocridade, e do indiferentismo religioso.

    "Pelos frutos os conhecereis, ensinou nosso Senhor!".
    R:Pensando assim, que fruto nos troxe o Calvinismo? Capitalismo selvagem.


    "Que esmaguemos a infame ICAR!".
    R:Você e as outras postestades?

    ResponderExcluir
  23. Índios e mestiços destemperados como o são, respectivamente, os meus caros irmãos separados e Alex e Robson Oliveira só mostram que a seita do primado do bispo de Roma é uma ideologia mais que fracassada...

    ResponderExcluir
  24. Caro João Emiliano.
    O seu comentário foi um pouco racista.

    De novo as acusações Ad Hominen.

    Sobre o único e-mail que o João Calvino colocou suas suposições, vamos lá:

    Que a Igreja Ortodoxa sempre honrou o Bispo de Roma isso é parcialmente verdade. O Grande Cisma não foi um processo estanque, mas um processo de cunho não só religioso mas político que degradou as relações entre Contantinopla e Roma por séculos. A raiz do problema estava no Cesaropapismo, na subjugação do poder religioso ao poder temporal do Cesar. No caso o Papa não aceitava que o Cesar comandasse a Igreja e por isso o rompimento e a tentativa de elevar Constantinopla à honra do Trono de Pedro.
    Como o caro Calvino pode ver foi bem diferente de suas denominações protestantes que quando viram o caos formado pelas centenas de igrejas protestantes colocou a regulação delas sobre as mãos do estado para evitar a guerra civil. Por isso o nascimento das denominações nacionais.

    Sobre os dogmas monstruosos modernos eu recomendo a leitura da história desses dogmas. Você os chama de modernos porque foram declarados dogmas nos séculos modernos, mas eles remontam crenças, comemorações, atos de fé dos primeiros séculos da Igreja. Logo eles não tem nada de moderno. O que há de moderno é o entendimento e a explicação do que se tratam essas crenças, comemorações e atos de fé. Como tudo isso está baseado além das Escrituras, na Tradição e no Magistério é claro que o protestante não consegue entender pois ele sofre da falta dessas fontes de ensinamento.
    Numa outra hora pretendo escrever sobre esses dogmas mas agora o dia está apertado e eu dei uma parada pois eu fiquei com comichões.

    Grande Abraço a todos.
    E parem de bate-boca inútil.

    ResponderExcluir
  25. Eu tenebroso pecador chamo-me, ainda, que eu saiba: João Emiliano, nome de meu avô paterno. É um nome entre tantos outros, não é grande coisa, se comparado ao do meu semi-xará ilustríssimo, o meu querido verdadeiro pai na fé, o Reverendíssimo Santo Pastor João Calvino. Também não me chamo João do Milho. É inútil, aí sim, ficar de bate-boca através de trocas e emporcalhamento dos nomes alheios e logo contra os nomes dos irmãos na fé. Com relação ao meu racismo, bom, acho que não fui racista, ó irmãos, não, apenas indiquei que os rudes aduladores romanos, acima, são o que são racialmente e mais nada. Racista, mesmo, parece-me que foi o caro irmão separado, também pela adulação romana compulsiva dele, mais acima, que chamou-me de caboclo achando que isso seria capaz de cegar-me ao ponto de eu ser papista como muito do resto da caboclada de meu pobre País que são muitos deles formados por gente desgarrada que facilmente se agarram - por ânsia de segurança primeiro meramente financeira, mas também psicológica - no primeiro auto-proclamado todo-poderoso que surja no século.

    Vamos as questões. Bem apesar do, por graça de Deus, quase nada que sei da História Grande Cisma, o papado até o ano 1000 era algo desconhecido dos cristãos. Na verdade, a real História do Cristianismo é bastante desconhecida aqui nas trevas ocidentais por causa dos Papas e por causa de vocês áulicos desse usurpador romano... Em suma, o papado é heresia, é essencialmente um emporcalhamento da fé. O papado é um grande trocadilho. Ora, como pode os bispos de cada parte do mundo todo serem menos sucessores dos apóstolos se, por exemplo, na última sessão do primeiro concílio da Igreja que foi o de Jerusalém, quem tomou a decisão final foi Tiago e não Pedro? Com relação aos dogmas, ora, tirando a monstruosidade absurda que é o dogma da Infalibidade Papal que só se justifica como mecanismo de se legitimar uma antiga ânsia pelo poder por parte do Bispo de Roma. Vejam, refletia, hoje, a respeito do dogma da Imaculada Conceição de Maria e cheguei, acho que por graça de Deus, à conclusão de que uma correta compreensão do termo grego usado por Gabriel ao saudar Maria pode fazer concluir que ele quis dizer que a Bem-aventurada era sem pecado original, de fato. Uma mulher, segundo Gabriel, cheia de graça, de fato, é alguém imaculado.

    É isso.

    Que Deus nos abençoe e perdoe a nós que somos a mais que vencedora eleita Igreja por quem Esse mesmo Deus morreu. Amém. ABRAÇOS!

    Sola gratia! Ecclesia reformata et semper refomanda est.

    ResponderExcluir
  26. Boa Noite Caro João.

    Sobre chamar de caboclo, eu não sei do RGS, mas uma gíria que usamos para generalizar uma pessoa é chamá-lo de "caboclo". Poderia ter-se usado "guri", ou "cara", ou "cabra",... Não é uma tentativa de denegrir nem o senhor ou os caboclos como algo menor. Resolvido esse mal entendido passemos a diante.

    Sobre o Papado ser desconhecido antes do ano 1000, não é bem assim.
    Desde o início, e ainda é assim, cada Bispo (os primeiros apóstolos e seus sucessores) realmente agem de acordo com o Espírito Santo e de acordo com a formação reta que receberam. Eles não podem decidir somente de suas cabeças em desacordo com o que a Igreja prega desde os tempos apostólicos. Eles também se reunem (como o I Concílio de Jerusalém) para decidir sobre assuntos que necessitam de uma UNIDADE de pensamento e ação, principalmente quando se trata de assuntos de fé e moral.

    Porém quando Bispos divergem entre si, é normalmente ao Bispo Sucessor de São Pedro, aquele que possui o poder de desligar e ligar, a quem se recorre para resolver a questão. E é assim desde muito tempo conforme foram postadas inúmeras cartas e pronunciamentos sobre essa questão. Uma das mais famosas e que muito gosto é de Santo Agostinho do séc IV/V: "Roma locuta, causa finita est", "Roma falou, o caso está terminado". Isso bem antes do ano 1000.

    O Bispo de Roma durante os séculos ganhou muitas alcunhas (Servo dos Servos de Deus por exemplo). Um termo carinhoso que ganhou força foi o de Papa que virou termo comum, não me lembro em que período. Então a função do Bispo de Roma e o respeito que lhe cabe sempre existiu, mas o nome Papa é muito posterior de fato.

    Sobre a Infalibilidade Papal isso só se refere quando o Papa se pronuncia em assuntos de fé e moral. E não costumamos ver o Papa se pronunciando sem o apoio do colégio dos Bispos.
    Então é a Igreja, com seus Bispos, na figura do Papa que é infalível, pois as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja, tudo o que ele ligar na terra será ligado no céu, e tudo que ele desligar na terra será desligado no céu.

    Isso cabe um comentário enorme mas volto em outra hora. Já fico muito feliz em ver que o irmão separado começou a dar os pequenos passos que deram nossos teólogos quando meditaram sobre a Imaculada Conceição. É isso aí João!!!!! Uma outra dica em forma de pergunta é: Deveria o Nosso Senhor encarnar (entrar em nosso mundo) através de uma mulher com pecado? Isso explicaria a saudação do anjo, a profecia de Izabel e o hino que Santa Maria canta sobre a sua ventura (Magnificat).

    AMDG

    ResponderExcluir
  27. "Índios e mestiços destemperados como o são, respectivamente, os meus caros irmãos separados e Alex e Robson Oliveira só mostram que a seita do primado do bispo de Roma é uma ideologia mais que fracassada...".

    R: Que bobagem! Que besteira! O destempero é reação a burrice, não costumo chamar herege de irmão nem premiar estupidez com educação, a teologia católica e sem frescura me ensina a colocar os pingos nos is e hereges no lugar seu lugar.

    ResponderExcluir
  28. Senhor Emiliano,
    não fui racista. É uma gíria que uso muito, sem qualquer objetivo de denegrir os caboclos. É só uma generalização.

    Mas quanto aos questionamentos: o senhor continua a afirmar sem provar. Enquanto todos damos datas, textos, documentos, o senhor sempre pede de nós que confiemos na sua inspiração íntima e pessoal (como no recente caso da exegese sobre o texto da anunciação) ou se refere a temas desconexos e generalistas, como a frase: "Na verdade, a real História do Cristianismo é bastante desconhecida aqui nas trevas ocidentais por causa dos Papas e por causa de vocês áulicos desse usurpador romano..."

    Como assim? Como o senhor admite que o ocidente está nas trevas e, estando no ocidente, reconhece a luz? Diga-nos, para também nós sairmos das trevas.

    Será que são trevas a invenção das universidades? Será que são trevas o apoio irrestrito às artes? Será que são trevas a criação das ciências modernas (astronomia, biologia, física)? Os princípios da Economia são trevas? A revolução arquitetônica proporcionada pelas Catedrais são trevas? Os princípios do direito foram universalizados pela Igreja e isso é treva? Sem falar da cerveja... rsrsrsrs... A lista é grande e não para aqui.

    O ocidente seria melhor sem esses elementos, senhor Emiliano. Antes de responder, olhe para o oriente - lá onde o cristianismo não entrou - e responda.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.