De Libero Arbitrio e moções

/
1 Comentários
Quando penso que o senhor pode ser meu pároco, ou até mesmo a minha amiga, Irmã das Graças, freira do Colégio aqui perto, ou até mesmo o coordenador da liturgia, chego a ficar arrepiada...Mas isso não importa, o seu blog é genial! Sou católica, leitora de seu blog, me divirto e me esclarece bastante. Gostaria de ajuda e se poderia responder, ou até mesmo discutir sobre o assunto:

Deus interfere em nosso livre-arbítrio, ou se interferiu já deixou de ser livre-arbítrio?
Através de nossas orações, Deus nos atende porque já se tratava da vontade d´Ele ?

Frei Rojão responde

Deus, os anjos, os santos, os demônios, os homem nos INFLUENCIAM... mas tudo fica na esfera da influência. Deus tem o poder de nos dobrar, mas não quer o fazer. E as vezes não dobra, paralisa. O rei cismático Jeroboão orteve seu braço paralisado sobre o altar idolátrico (uma bela metáfora para a teologia dos pretensos "reformadores" do séc XVI: começou um cisma, logo depois em idolatria, logo depois em paralisia).

Mover o livre-arbítrio? Deus pode, Deus não quer. O querer de Deus é a única limitação de seu poder.

Sofremos o tempo todo a influência sobrenatural em nossas vidas, mas nunca a influência é tal que subjulgue nosso livre-arbítrio. Nem Deus permite que esta influência seja tão convincente que vença nosso arbítrio irresistivelmente Lembram daquela piada?

Homem: Você transaria comigo por um milhão?
Mulher: Claro, por um milhão eu transaria na hora
H: E por vinte reais?
M: Como ousa falar assim comigo? O que pensa que eu sou?
H: O que você é eu já sei, agora é só discutir o preço

Ou seja, Deus não permite que o Demônio nos ofereça um milhão. Mas ele sempre vem com vinte reais, as vezes até cem na mão. O bom e mau espírito nos influenciam, a estas influências chamam-se moções. Temos que acolher as boas moções e repelir as más.

Quando estamos indo bem, o bom espirito nos anima a continuar em paz e sossego, o mau espírito vem com estrondo e força para nos tirar do bom caminho. Quando estamos indo mal, o demônio nos inspira suavidade e calma para prosseguir no Mal, o Espírito Santo nos age com remorsos e dor na consciência para abandonarmos esta trilha.

Quanto as orações, Deus só atende se for de sua vontade. Por isto que o Pai-Nosso inclui o verso: "Veja feita a vossa vontade". Pedimos muita bobagem a Deus. Quando são coisas intrinsecamente más, ele balança a cabeça e faz ouvidos de mercador. As vezes são coisas objetivamente boas, mas que Deus em sua presciência sabe que não redundará em bem futuramente. Neste caso Deus não nos atende - e nunca teve a obrigação de nos atender. Ele nos atende por imensa liberalidade e bondade.

Em outros momentos - talvez sejam os mais complicados de se entender - pedimos que Deus nos livre de um mal, em que o Altíssimo em sua presciência inescrutável sabe que devemos passar. O maior exemplo é o Horto das Oliveiras, em que Jesus angustiado com sua vontade humana pedia que o Pai lhe livrasse da Paixão... mas com sua vontade divina sabia que aquele mal resultaria num bem.


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. Frei, já que o senhor tocou no assunto, quando Jesus pede "afasta de Mim este cálice" ele se refere à própria Paixão ou ao sofrimento humano (dor, medo, angústia, etc.) que Ele estava sentindo na hora, e que viria a sentir depois?? Pergunto porque ja vi esta interpretação em algum lugar.

    Obrigado

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.