Um pequeno martírio

/
1 Comentários
Frei, chamaram um pastor evangélico para abençoar a fábrica num culto, provavelmente não ecumênico. Como bom católico, sinto-me no dever moral de não ir, porque estaria endossando estas crenças heréticas. Mas se não for, o pessoal vai perceber e tenho medo de me queimar, até mesmo com o chefe.


Frei Rojão responde:

NÃO VÁ. Temos de agradar a Deus, não aos homens. Eles tem todo o direito sagrado e constitucional de expor quaisquer crenças. E você tem o direito de não participar. Caso for obrigado, você pode recorrer a justiça.

"Ah, Frei, mas é por tão pouco! É só participar, você pode fazer sua oração pessoal" - Nã nã ni na nã... Assim também milhares de cristãos morreram "por tão pouco". Afinal, era só dar umas florzinhas para Apolo, ou tomar parte nos banquetes rituais. Era só o sábio Eleazer comer carne falsa de porco para agradar Antíoco Epífanes. E era carne falsa! Mas Eleazer sabia do poder do exemplo.

Hoje em dia, é nos oferecida ainda poucas oportunidades de martírio (quer dizer, vai pra Índia ou pro Iraque e você terá amplas oportunidade de ser mártir). Pelo menos no Brasil ainda não dá para ser mártir, mas dependendo das nossas esquerdas isto pode mudar. Você se prejudicar por suas convicções religiosas é um martírio incruento, sacrifício agradável a Deus.

Não é para vestir-se de preto e denunciar a fé ímpia e errada. Afinal, todos tem direito de propagar "fés" ímpias e erradas. Mas fique na sua, não vá como quem se esqueceu, ou quem teve outra coisa. Também não queira fazer "dicksizing" (este termo em inglês é feio, mas bem apropriado para a fogueira de vaidade) chamando um sacerdote católico. Eles tem o direito de pregar, você tem o direito de não ir nesta pregação, e sua fé exige que você não vá. Perigoso será se a empresa abrir a caixa de Pandora deixando cada religião ter sua vez. Todos os shoppings centers do mundo não teriam espaço se cada loja fosse ocupada por cada crença.

E se fosse um culto ecumênico? Neste caso pode ir. Até o papa vai a cultos ecumênicos. Se a empresa tivesse bom senso, seria um culto ecumênico. Cultos ecumênicos ocorrem em toda parte, em diversas cerimônias. Querem minha opinião pessoal? São uma porcaria, mas é o espaço de encontro, teologica e moralmente justificado. Deve haver diálogo inter-religioso, claro. Mas deve ser conduzido por gente preparada, senão vira briga de feira.

Ninguém pode proibir a expressão de qualquer religião. Mas a tomar parte em cultos, ah, isto ninguém te obriga. Se te virarem a cara depois, ofereça a Deus. Assim viraram a cara aos mártires, a Estevão, a Inácio, a Policarpo, a Clemente, a Lino, a Anacleto, a Expedito, a Cecília, a Anastacia, a Cosme e Damião, a Sebastião, a Lourenço, a Sisto, a João e Paulo... todos sofreram coisas muito mais graves por amor à fé católica. Por que não podemos sofrer um pouquinho também se daremos testemunho da fé?

E se alguém vier dizendo que "és inimigo de Cristo" por não participar, recite o credo niceno-constantinopolitano. Vai calar a boca do fulano. Quem é mais amigo de Cristo que um católico, que come o verdadeiro corpo do Senhor e é fiel a todos seus ensinamentos?


Você também pode gostar

Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.