"Nunca votei em corruptos"

/
0 Comentários
Em cima da hora: O Evangelho deste domingo é a conversão de Zaqueu, o corrupto, ladrão e facínora cobrador de impostos, em suma, um homem que - se continuasse impenitente- reuniria as perfeitas características do petismo. Ao ler o Evangelho, durante a missa das vésperas, fui abatido por uma certa tentação em meus pensamentos: 

- Nosso Senhor comia e andava com corruptos... - Ai veio a tentação, soprada por algum demônio que rondava - Não indicaria que deveríamos ser mais indulgentes com os corruptos, e darmos mais chances para eles, e não os julgarmos? Não estaríamos pegando muito pesado com os malfeitos do governo?

Levemente, enquanto era assaltado pela tentação, a leitura do Evangelho ficou mais lenta em meio segundo, não sei se o povo percebeu. Mas reuni as forças do ensinamento moral católico para repelir tal apelo à tibieza e à indulgência com o mal. Em seguida, senti em meu coração a voz poderosíssima, amável e bem-humorada de Nosso Senhor que, com seu natural poder de síntese, enterrou a questão:

- Clemente, sempre andei e comi com os corruptos para a conversão deles. Mas nunca VOTEI neles!!! 

Louvado seja Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo! Eleitor, corruptos não merecem o voto de Deus, nem o seu voto. Aliás, um corrupto que morre sem arrepender-se só tem o voto de Deus para uma coisa: Ser atirado no rio de  fogo do Inferno, de cabeça para baixo e com os pés atados: "Não roubarás"

E mesmo antes de enfrentarem a condenação divina, os homens tem algo a dizer aos corruptos: Negação de voto e cadeia neles!!!


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.