A Srta. Aquino Rego vai a missa

/
5 Comentários

Fui grandemente tentado na missa hoje. No banco da frente, sentou uma menininha, uma delicinha. O folheto dela caiu e ela se abaixou, e vi seu cofrinho por trás do jeans, ela estava com uma camisa bem curtinha e apertada que levantou. E a costura da calcinha rendada branca, até o senhor ira ter gosto de ver! Sabe aquele reguinho macio e dourado, com pelugem? Ai, Frei, fiquei com a consciencia muito pesada e não aproveitei mais a missa. Mas ai pensei que eu não tenho culpa, porque ela deveria se vestir menos sensual

Frei Rojão responde:

Filho, regos estão ai em toda parte, eles aparecem e desaparecem o tempo todo. Se você estivesse olhando para o altar e para a cruz, não veria o rego. Exceto o rego do padre, mas dentre as muitas vantagens da batina, está de proteger nossos fundilhos quando abaixamos. E a missa versum populum minimizou mais ainda estas possibilidades.

Pela riqueza de detalhes, você não deu uma espiada, mas uma profunda contemplação. O problema não estava na "Srta. Aquino Rego" sentada a sua frente, mas em seus olhos. Quem vê regos é que já estava olhando bundas. Tome tento, homem!


Você também pode gostar

5 comentários:

  1. Tudo isso por causa de um cofrinho???

    Putz... Então, imaginem levar nosso amigo onanista - com a sua tentativa miseravel de descrição proustiana de um cofrinho feminino - para uma praia? Estariamos certamente diante do próximo Maníaco do Parque!!!

    VADE RETRO!!!!!

    ResponderExcluir
  2. "Zé Matuto foi à praia/ só pra vê como é que é/ voltou com as bola trocada/ de vê tanta rabichola na cintura das muié".

    ResponderExcluir
  3. FALCÃO, O GRANDE

    Rabichola de Jumento
    Falcão
    Composição: (Falcão / Paraíba / Mução / Robério Soares)

    Eu estou preocupado
    Coisas modernas estão mudando os meus costumes
    E daqui a bem pouco tempo
    Eu vou ser mesmo é do século passado
    Se até lá no interior
    As raparigas não se chamam mais fuampas
    E não se chama masi cueca de ceroula
    E nem os tênis se chamam mais quinapes
    E não tem mais matéria prima
    Pra fabricar as camisas volta-ao-mundo
    E essas coisas do Paraguai
    São mais decentes que uma rabichola de jumento

    Eu que sempre lhe dizia
    Que aquele perfume dava suvaqueira e azia
    Mas você me chamava de cafona
    Dizendo que eu não entendia
    Mas eu sempre insistia
    E comentava junto com Raimunda
    Que usava o talco Rossi nos peitos
    E o sabonete Lever na bunda

    Eu estou preocupado
    Coisas modernas estão mudando os meus costumes
    E daqui a bem pouco tempo
    Eu vou ser mesmo é do século passado
    Se hoje em dia, até quem é doutor
    Não usa mais as calças faroeste
    E ninguém leva mais nada na cacunda
    E nem as beatas usam mais corpete
    Nem se chama mais viado de baitinga
    E gonorréia não é mais esquentamento
    E essas coisas do Paraguai
    São mais decentes que uma rabichola de jumento

    ResponderExcluir
  4. Falcão é um grande filósofo.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.