Politica Eclesiástica Para Conservadores Campanha Da Fraternidade Dom Tomás Balduíno No Inferno, uma novela piedosa Grande Biblioteca Sobre Comunismo

Ai no sermão de domingo o pároco, que deve ter titica de Boff na cabeça, diz que Deus não quer jejum e oração e sim amor.. Você em seguida o lembra de que Jesus jejuou e orou - e não foi pouco! - ai ele desconversa.


Rezem. Nem que seja uma ave maria resmungada distraído, mas REZEM!!! E jejum, nem que seja se privar da bala de hortelã oferecia na sala de espera do consultório, mas se privem de algo em mortificação por seus pecados e prática de temperança.


Deus muito provavelmente não pede de você uma vocação como a do Padre Pio. Mas se Pio não és, assuma sua vocação de fraco pintinho e faça algo na medida se suas forças. Porque os pintinhos virarão galos, e os galos, já dizia o velho poeta Aurélio Prudêncio, anunciam a vinda do Sol que é Cristo. 

Tenham paciência comigo! Levo tempo para digerir o que vem do Vaticano neste pontificado! As vezes sufoco de azia. A faca do bom comentário deve ser afiada na lima do tempo e da ponderação. 


Hoje em dia, quando um padre, mesmo na sua paroquiazinha, começa no sermão a reprovar "práticas religiosas superficiais" e "divisão na Igreja", você já sabe que ele vai passar indireta contra a perigosa radical que é aquela menina de quinze anos que gosta de usar véu e receber comunhão na boca.


A esquerda é assim, ela te chama pro roubo, mas quando vcs são pegos, vem o delegado (MP), o juiz (STF), o adEVogado (OAB), o jornalista (o Grobo, a Foia) e até o padre (CNBB) te chamando de ladrão e liberando seu colega vermelho de furto. 


Nos comunas não pega nada, podem atirar velhinhas de escadas e furar olhos de crianças que tudo se deixa pra lá. Mas vá você, mesmo alinhado com eles, roubar um pirulito da venda, cai o mundo em cima. 


A esquerda é satânica por natureza, ela te chama para partilhar do pecado e depois te acusa e condena por ele.

Ao longo dos 2000 anos da Igreja há centenas de relatos de bons católicos se levantando contra a má orientação de maus bispos. Não há algo de mais tradicional e mais conservador que isso. Bispo que não segue Cristo está fora, e tem de ser posto para fora. Assim fizeram os grandes santos.


O problema é que vivemos um tempo de fé efeminada, em que os fiéis estão sem formação, e não sabem erguer a espinha como batizados que são e exigir um clero à altura da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.


Também 100 anos de infiltração esquerdista na Igreja gerou um clero composto de agentes comunistas, não sacerdotes, que exigem obediência bovina como se fôssemos um grande Partido Comunista. Não senhores! Obedecemos Cristo! Obedecemos a Igreja! Não obedecemos a bispos, e sim a Cristo, que os bispos deveriam ser reflexo e transmissores.


A autoridade de um bispo vem de Cristo. Se ele abandona Cristo e trata de assuntos mundanos, de greves para atrapalhar a Justiça e proteger réus, que vá pastar, nesta terra e no mais profundo do Inferno.



Um amigo meu postou essa imagem idiota logo acima. Vamos desmascarar essa mentira.


Em primeiro lugar, a ciência moderna é produto da teologia católica.

Em segundo lugar, esses idiotas acham mesmo que em dois mil anos de Igreja nenhum dos grandes teólogos como São Tomás de Aquino, Santo Agostinho, Duns Scott, São Boaventura, Pedro Abelardo, Santo Alberto Magno, etc., nunca duvidaram, nunca questionaram nada?! Isso só mostra que nunca leram nada sobre história da ciência, filosofia, etc. São papagaios de literatura neo ateísta.

Em terceiro lugar, a Universidade foi criação da Igreja Católica! Nunca existiu universidade no mundo greco-romano. O que existia eram escolas públicas, mas todas isoladas. Historiadores como Edward Grant, Daniel-rops, provam isso em suas bibliografias.

Em quarto lugar, os monges, na Idade Média, eram os maiores cientistas da época.

Em quinto lugar, na época das invasões bárbaras, os monges foram os únicos que copiaram pacientemente os manuscritos do mundo greco-romano, ou seja, você tem Boécio, Santo Agostinho, São Jerônimo, Virgílio, Terêncio, Ovídio, Horácio, etc., graças à Igreja Católica.

Em sexto lugar, o historiador John L. Heilbron, Ph.D de Berkley, historiador da ciência, disse no seu livro The Sun in the Church essas seguintes palavras:

A Igreja Católica Romana concedeu mais apoio financeiro social ao estudo da astronomia ao longo de seis séculos, desde a recuperação de conhecimentos antigos ao longo de finais da Idade Média até ao Iluminismo do que qualquer outra, e provavelmente todas as outras instituições. Pág 3.



Ou seja, a Igreja Católica foi a maior financiadora da ciência durante séculos. Não existe antagonismo entre ciência e religião. Essas mentiras contra a religião nasceram com os iluministas (XVIII) e foram aperfeiçoadas com os historiadores liberais do século XIX. Pretendo escrever um artigo sobre isso mais tarde. Irei citar fontes fidedignas. Meus caros, parem de acreditar em baboseiras postadas por neo ateus e companhia. Esses mitos já foram refutados há muito tempo por historiadores sérios. Procurem ler bibliografias sérias. Abraços!



Hoje é o dia do meu padrinho, São José. Esposo puríssimo da Santa Virgem Maria. 

Grande festividade hoje na Igreja universal, que celebra o seu padroeiro, embora em alguns países este dia não seja mais dia de guarda!
Muitos fiéis festejam o próprio onomástico, pois este nome é dos mais populares em toda Cristandade, de tal modo que se contam dezenas de Santos com o nome de José. Porém o protótipo é o José do Evangelho, o Pai legal de Cristo, o esposo puríssimo da mais nobre e alta de todas as criaturas, a Santíssima Virgem Maria.
O nome José em hebraico significa: "Deus acrescenta ou cumula de bens" e de fato José, o carpinteiro de Nazaré, teve um crescimento contínuo de graças e de privilégios.
Pouco conhecemos sobre a vida de São José; unicamente as rápidas referências transmitidas pelos evangelhos. Este pouco, contudo, é o suficiente para destacar seu papel primordial na história da salvação.
José é o elo de ligação entre o Antigo e o Novo Testamento e o último dos patriarcas.
A missão de José na história da salvação constitui em dar a Jesus um nome, fazê-lo descendente da linhagem de Davi, como era necessário para cumprir as promessas.
A primeira vez que José é nomeado no Evangelho é na cena da anunciação em que Maria é chamada noiva de um homem da casa de Davi de nome José. Depois aparece quando Maria aparentava os sinais de sua divina maternidade e José lhe desconhecia a origem. Ele foi tomado de terrível dúvida, na incerteza de como agir, mas o evangelista diz que, sendo ele "homem justo", não quis denunciar Maria de infidelidade, mas preferiu tomar uma solução que, salvando a honra de Maria, teria provocado certa odiosidade sobre sua própria pessoa. Decidiu sumir do lugar; foi então que, em sonho, um anjo lhe disse: "Não tenhas medo, José, de escolher Maria por tua esposa, pois o que nela foi concebido é obra do Espírito Santo, e o que nascer dela será o Filho do Altíssimo, e tu lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados". José, acordando, fez como o anjo do senhor havia mandado, e casou com Maria, sem ter relações com ela.
Depois deste fato, ainda se fala dele, quando outra vez o anjo lhe apareceu em sonho avisando-o das intenções diabólicas de Herodes que pretendia matar o Menino Jesus, e o manda fugir para o Egito. Pela última vez é nomeado quando recebeu ordem de voltar do Egito porque já tinha falecido o rei Herodes. Depois disso só se fala dele indiretamente.
Os evangelistas não citam uma só palavra de José que aparece como o homem do silêncio, escondido e humilde. Mas em compensação ele o homem do trabalho para sustentar sua família, é o homem reto, obediente, de fé profunda, inteiramente disponível à vontade de Deus; alguém que amou, creu e esperou em Deus e no Messias contra toda a esperança. José profissionalmente era um simples e modesto artesão, um prático no fabrico e conserto das coisas mais necessárias para uma pequena aldeia antiga. No entanto, este pobre trabalhador, pela sua fé, honestidade e retidão, foi escolhido entre todos os homens para ser o Pai oficial de Cristo, o esposo fiel e puro da Virgem Imaculada.
Este é o santo incomparavelmente grande e simpático que veneramos hoje. "Sua figura quase desaparece" nos primórdios do Cristianismo, para que se firme melhor a origem divina de Jesus. Mas já na Idade Média, São Bernado, Santo Alberto e Santo Tomás de Aquino lhe dedicaram tratados cheios de devoção e entusiasmo. Desde então seu culto cresceu continuamente. O Papa Pio IX declarou-o Padroeiro da Igreja e Leão XIII propunha-o como advogado dos lares cristãos. Em nossos dias foi proposto como "modelo dos operários.


Bibliografia:
Dom Servilio Conti, I.M.C., O Santo do dia, Pág. 125 e 126, Ed. Vozes, 1990, RJ

Sua aposentadoria já acabou. Aliás, você nunca teve. É o destino do homem neste mundo de pecado sofrer e trabalhar, não se deixe enganar por um esquerdista que promete "direitos" de aposentadoria: a esquerda quebrou a Previdência e agora usa as reformas para criar agitação social, na melhor estratégia Cloward-Piven: crie o colapso e ascenda após ele. 


Previdência? Meu Deus, parece até que todo aposentado no Brasil vive feio um nababo e o INSS paga bem! O que é a Previdência em nosso Estado senão uma ilusão? O que é o INSS senão uma pirâmide porca? É da natureza do homem morrer trabalhando, neste mundo não há descanso. Não se deixe enganar por esquerdistas que renovam as propostas satânicas de paraíso mundano.