Politica Eclesiástica Para Conservadores Campanha Da Fraternidade Dom Tomás Balduíno No Inferno, uma novela piedosa Grande Biblioteca Sobre Comunismo

Existem grandes Cias. Aéreas árabes, como a Emirates, Ethiad, Qatar Airways. Elas são donas de ações das Cias. Aéreas ocidentais até como a Alitalia, que leva o papa. Seus donos são os mesmos nababos (literalmente nababos!) que tem muitas empresas ocidentais e até times, como o infame Real Madrid que tirou a cruz do escudo para não desagradar a Qatar Airways. E estes mesmos nababos são que financiam imprensa e entidades ocidentais para espalharem a islamofilia, há gente muito bem paga no Ocidente para falar bem do Islã e negar as evidências (penso que talvez até deputados brasilieros). Não é impossível que estas mesmas fontes irriguem linhas distintas de grupos radicais sunitas ou xiitas.

Enfim, penso que atentados aéreos sejam maus para os negócios. 

Por outro lado, atentados aéreos podem ser maus para os negócios do sheik rival...


- Ai o piloto alemão da nave largou o leme. Quem assumiu, trancou ele para fora e jogou tudo contra o chão para destruir, de propósito.

- O senhor está falando do vôo da Germanwings, não?

- Bem... 


A causa do sucesso de um escritor é sua sinceridade. De maneira misteriosa, o leitor percebe quando quem escreve está com o coração na mão, sem máscaras. O sucesso de todo grande escritor está justamente nisso, ser ele mesmo. O estilo é o homem, e o homem é a sinceridade de seus sentimentos.

O blog e esta página fazem tanto sucesso porque aqui sabem que vai um homem sincero. Escrevo bem porque escrevo com o coração, escrevo certo porque escrevo com a Igreja. As outras pagininhas macaqueiam estilos, fingem o que não são, caem num proselitismo barato cuja linguagem é o mesmo de comercial de iogurte pros intestinos ou programa político. Ou caem numa carolisse anedótica que nem mesmo o mais carola dos carolas seria assim, parecem beatas de um romance de Eça de Queirós, mas que se levassem a sério.

E como eles se levam a sério! Meu Deus! Nem mesmo os mulás decapitadores de cristãos em Mosul se levam tão a sério como eles! Ah, e a ignorância oceânica que orgulhosamente têm, meu Deus, como são ignorantes! Sabem rastrear o que um papa do século XIII disse, mas faltam os conceito mais básicos de direito, economia, ciências. Temo o homem de um livro só, disse São Tomás. A protestantização do pensamento católico universalista é forte, mesmo que formalmente se ataque o Sola Scriptura.

Sei que padres, bispos e cardeais me lêem. Os bons sabem que apesar da minha fama de mau, percebem o carinho sincero e a preocupação tremenda com o bem da Igreja que vai em cada palavra. E muitos leigos lêem, graças a Deus! Sei que muitos não entendem, outros entendem de maneira espiritual. Sei que muitos me invejam, muitos em sua arrogância não conseguem compreender como há inteligência e ortodoxia fora de seu grupelho.

Eu barrocamente vou da seriedade ao esculacho, do sublime da doutrina à lama da política porque sou um homem, enquanto minha alma quero o Céu, meu corpo está no material a terra e meus pecados me puxam aos Infernos. Muitos podem escrever páginas, eu escrevo o que eu penso. Eu sou o que eu escrevo. Página no facebook, página no twitter, página no blog, tudo isso não existe, o que existe é o homem.

Sinceridade! Deus sabe de mim. Deus sabe o que se passa em meu coração. Deus sabe o que escrevo até quando desisto de escrever. E a Ele eu respondo. Não temo intriga paroquial. Não temo patrulha ideológica católica na internet. Não temo as politicagens em Roma ou na CNBB. Temo sim aquele a quem devo santo temor.

Acusam-me de fake, mas sou um "fake" com credibilidade própria, com uma legião de leitores e influência como poucos. Isso me dá um terror tremendo, mas Deus me suporta. Aqui há um homem. Aqui há uma alma. Aqui há um ser. Os leitores percebem artificialidade. Os leitores não compram publicidade disfarçada de religião. E se cansam rápido. É por isso que estas pagininhas nascem e morrem. Enquanto o Frei Rojão está ai... e toda semana eu juro que vou acabar com tudo, como Jeremias, e toda semana Deus me dá a lição de Jonas e a mamoneira.

Vocês que me atacam, um conselho: Sejam sinceros. Parem com as aparências, parem de fingir o que não são. Não queiram colocar sobre os ombros das pessoas cargas que nem mesmo o catecismo coloca.

E respeitem a saudável e ortodoxa diversidade católica.
Como milagres foram elevados á política eclesiástica
lança-te daqui para baixo para que os anjos te peguem!
Fariseus disfarçados de católicos tem me caluniado no facebook. Aqui vai a justa resposta, já que é difícil um homem combatendo cento e cinquenta moleques de uma vez:

Eu exponho um fato, um sujeito que nem conheço me ataca marcando a minha página, lança a Inquisição Cleaner contra mim, faz acusações, eu dou uma retrucada na boa, de leve, na manha, mais para dar vergonha e fazê-lo se converter, ele volta a me marcar e diz que "está me dando ibope". É a regra de Lênin, acuse-os do que fazemos.

Mimimi, auto-proclamados doutores da Igreja de facebook! Inquisição cleaner! Podem muito contra quem pode pouco na Igreja, mas beijam a bunda dos poderosos de plantão. Meter a borduna em quem está fora é fácil, duro é falar dos poderosos em Roma e Aparecida, né? No fundo, ó pensamento Cleaner é o mesmo pensamento petista. A diferença é que os petistas ainda ganham para defender os poderosos, os Cleaners fazem apenas por confusão mental e espiritual. Não devo satisfações a eles, apenas ao Altíssimo. E eles que não me ousem por nas costas uma obrigação que nem mesmo a Lei da Igreja me obriga.

Mimimi...

O sujeito diz que não quer polemizar comigo nem me dar ibope mas marca minha página para me chamar para a briga. (Mas fica desapontado que não cito seu nome).

É tipo assim: Davi não queria fazer adultério com Betsabá, apenas estava olhando a mulher pelada tomando banho... Salomão não queria jogar o reino na Idolatria, mas deixou que fizessem santuários pagãos...

Eta hipocrisia... Depois não entendem porque seu "apostolado" tão bonzinho não rende frutos. A figueira não dá espinhos!

Mimimi, auto-proclamados doutores da Igreja de facebook! Inquisição cleaner! Podem muito contra quem pode pouco na Igreja, mas beijam a bunda dos poderosos de plantão. Meter a borduna em quem está fora é fácil, duro é falar dos poderosos em Roma e Aparecida, né? Pensam ser valentes falando mal dos coitados dos Rad-Trads, as genis do catolicismo, enquanto nas suas paróquias a listinha da Reforma Política Bolivariana corre solta! Sepulcros caiados! Novos fariseus! Enfrentem bispos e cardeais se são tão bons! Ninguém precisa de licença para falar bem, se fala bem do governo a vontade em Roma, em Brasília ou em Pequim!

No fundo, o pensamento Cleaner é o mesmo pensamento petista. A diferença é que os petistas ainda ganham para defender os poderosos, os Cleaners fazem apenas por confusão mental e espiritual. Não devo satisfações a eles, apenas ao Altíssimo. E eles que não me ousem por nas costas uma obrigação que nem mesmo a Lei da Igreja me obriga.

Querem falar pela Igreja que enfrentem um seminário, vençam os pensamentos mundanos influentes e ordenem-se! Vençam a perseguição da teologia da libertação, da ditadura gay, do episcopado vermelho, do bom-mocismo, daqueles que pensam que ser padre é ser assistente social! Depois cavem a política eclesiástica até chegarem a bispos e cardeais - mas sem perderem a alma! Ai falarão pela Igreja!

Condenar pelo facebook suposta heterodoxia é para covardes. Pronunciar condenações religiosas pela internet é digno dos mulás do Estado Islâmico. Criem suas igrejolas facebookianas apostólicas das curtidas, sejam a regra da lealdade à cátedra de Pedro, sejam os professores de São Tomás, sejam os advogados do papa Francisco, fariseus! Fariseus de facebook! Fariseus beijando o traseiro dos saduceus do esquerdismo, os carreiristas na Igreja e os bajuladores! Encham-se orgulho e vanglória como Herodes e depois não se surpreendam que sua alma caia roída por vermes.

Humildade! É o que vocês precisam!

A verdade é que apostolado de facebook ultimamente só está servindo para inflar egos adolescentes, pouco se aproveita em crescimento espiritual. Ah, vaidade das vaidades, disse Coélet!

Mimimi...

Passei a vida inteira aqui falando dos documentos do Vaticano II, elogiando atos de JPaulo II e Paulo VI, e quase canonizando em vida a Bento XVI, tietagem que o próprio Bento XVI reprovaria. Ai quando falo um ai discordando de uma atitude do polêmico papa Francisco eles me chamam de "RAD-TRAD"!!!

Francamente, até os Rad-Trads não merecem tamanha desonestidade intelectual sendo comparados a mim.

Ai que preguiça! Tem gente que precisa rever sua posição na Igreja!!!


O papa Francisco é um homem muito humilde, o mais humilde que já existiu. Todos nós sabemos como ele odeia falatórios, é um homem de silêncio e prudência no falar. Todos nós sabemos como ele odeia multidões e a louvação do público, como ele abomina os repórteres, como proíbe que se fale bem dele, como detesta aparecer nos jornais e nas capas de revista, como segue rigidamente os costumes de seus antecessores no Vaticano para que não falem que ele é diferente ou melhor que eles. Todos nós sabemos que a maneira mais rápida de ofender o papa Francisco é o bajulando.

Imagino como deve ter sido para ele, que odeia aparecer e odeia que falem bem dele, ter sido obrigado, forçado, impelido, compelido, a fazer o tal milagre do sangue de São Januário em suas mãos. Certamente que foi! Porque ele não buscaria a vaidade, mãe de todos os vícios, de querer fazer um milagre com as próprias mãos! Não, não Francisco! Quem sabe um dos papas venais do passado, mas não nosso papa Francisco, homem humilíssimo, de vida oculta, recluso em suas dores e penitência.

Imagina, todos agora falando que o tal milagre - se milagre é mesmo, porque várias substâncias na natureza apresentam aquela característica natural de se liquefazerem com o movimento, a tixotropia - é um milagre feito por suas mãos! Como ele deve estar detestando! Como ele deve estar lamentando que o mundo o louve! Como ele deve estar aplicando a si as mais terríveis penitências para não deixar crescer a vaidade, vício que ele considera abominável acima de todos e se policia ao máximo para não cair nela. Como ele deve estar se torturando em sua humildade dizendo: "Não é meu o milagre, é de Deus, eu sou um homem indigno de qualquer deferência especial!!! Não falem bem de mim! Não coloquem meu rosto nas revistas! Não mostrem nos telejornais! Eu não mereço, eu sou indigno, o mais indigno dos pontífices!"

Eu não gostaria de estar na pele do simples papa Francisco agora. Ele deve estar detestando toda a atenção que obteve. Pobre homem. Dura é a vida de um santo vivo.


No século XX vimos dois fenômenos, um bom e outro ruim. O bom foi que os avanços de comunicação permitiram que a hierarquia da Igreja esteja presente e se faça sentida em todos os pontos. O ruim, ajudado pelo bom, é a infiltração do comunismo na Igreja, corrompendo a hierarquia. No passado nacos da hierarquia já foram usados para ajudar esta ou aquela dinastia, este ou aquele cisma, mas tudo muito pontual e local, este poder era efêmero e nunca atacava a doutrina. Hoje em dia a coisa está bem mais infeccionada.

O desafio do catolicismo nos próximos séculos será como manter a hierarquia e a integralidade do governo da Igreja, ao mesmo tempo em que cria mecanismos contra a cooptação desta hierarquia e anticorpos para enfrentar formalmente as apostasias não declaradas, nem que sejam no topo. Os leigos sempre têm papel fundamental nisso, até porque a hierarquia não tem poder sobre eles. No passado a plebe romana ia jogar lixo na porta dos maus papas, algum rei mais ambicioso dava uma bem mundana sova num papa ou bispo, um formidável santo surgia comandando um renascimento na vida eclesiástica, ou no pior caso uma grande heresia explodia fazendo, pelo bem ou pelo mal, a hierarquia acordar. Hoje em dia estes processos erráticos não mais se aplicam.

Penso que para já poderíamos tomar algumas medidas, como os leigos se negarem a contribuírem financeiramente a paróquias e dioceses cujos líderes sejam, que os campos de doutrinação marxista das CEBs sejam completamente ignorados e reconhecidos como o lixo que são, e que o que a CNBB ordena e recomenda seja ignorado completamente, até para o bem da nossa vida espiritual (até porque a CNBB não é parte da hierarquia da Igreja).