Politica Eclesiástica Para Conservadores Campanha Da Fraternidade Dom Tomás Balduíno No Inferno, uma novela piedosa Grande Biblioteca Sobre Comunismo


Um amigo meu postou essa imagem idiota logo acima. Vamos desmascarar essa mentira.


Em primeiro lugar, a ciência moderna é produto da teologia católica.

Em segundo lugar, esses idiotas acham mesmo que em dois mil anos de Igreja nenhum dos grandes teólogos como São Tomás de Aquino, Santo Agostinho, Duns Scott, São Boaventura, Pedro Abelardo, Santo Alberto Magno, etc., nunca duvidaram, nunca questionaram nada?! Isso só mostra que nunca leram nada sobre história da ciência, filosofia, etc. São papagaios de literatura neo ateísta.

Em terceiro lugar, a Universidade foi criação da Igreja Católica! Nunca existiu universidade no mundo greco-romano. O que existia eram escolas públicas, mas todas isoladas. Historiadores como Edward Grant, Daniel-rops, provam isso em suas bibliografias.

Em quarto lugar, os monges, na Idade Média, eram os maiores cientistas da época.

Em quinto lugar, na época das invasões bárbaras, os monges foram os únicos que copiaram pacientemente os manuscritos do mundo greco-romano, ou seja, você tem Boécio, Santo Agostinho, São Jerônimo, Virgílio, Terêncio, Ovídio, Horácio, etc., graças à Igreja Católica.

Em sexto lugar, o historiador John L. Heilbron, Ph.D de Berkley, historiador da ciência, disse no seu livro The Sun in the Church essas seguintes palavras:

A Igreja Católica Romana concedeu mais apoio financeiro social ao estudo da astronomia ao longo de seis séculos, desde a recuperação de conhecimentos antigos ao longo de finais da Idade Média até ao Iluminismo do que qualquer outra, e provavelmente todas as outras instituições. Pág 3.



Ou seja, a Igreja Católica foi a maior financiadora da ciência durante séculos. Não existe antagonismo entre ciência e religião. Essas mentiras contra a religião nasceram com os iluministas (XVIII) e foram aperfeiçoadas com os historiadores liberais do século XIX. Pretendo escrever um artigo sobre isso mais tarde. Irei citar fontes fidedignas. Meus caros, parem de acreditar em baboseiras postadas por neo ateus e companhia. Esses mitos já foram refutados há muito tempo por historiadores sérios. Procurem ler bibliografias sérias. Abraços!



Hoje é o dia do meu padrinho, São José. Esposo puríssimo da Santa Virgem Maria. 

Grande festividade hoje na Igreja universal, que celebra o seu padroeiro, embora em alguns países este dia não seja mais dia de guarda!
Muitos fiéis festejam o próprio onomástico, pois este nome é dos mais populares em toda Cristandade, de tal modo que se contam dezenas de Santos com o nome de José. Porém o protótipo é o José do Evangelho, o Pai legal de Cristo, o esposo puríssimo da mais nobre e alta de todas as criaturas, a Santíssima Virgem Maria.
O nome José em hebraico significa: "Deus acrescenta ou cumula de bens" e de fato José, o carpinteiro de Nazaré, teve um crescimento contínuo de graças e de privilégios.
Pouco conhecemos sobre a vida de São José; unicamente as rápidas referências transmitidas pelos evangelhos. Este pouco, contudo, é o suficiente para destacar seu papel primordial na história da salvação.
José é o elo de ligação entre o Antigo e o Novo Testamento e o último dos patriarcas.
A missão de José na história da salvação constitui em dar a Jesus um nome, fazê-lo descendente da linhagem de Davi, como era necessário para cumprir as promessas.
A primeira vez que José é nomeado no Evangelho é na cena da anunciação em que Maria é chamada noiva de um homem da casa de Davi de nome José. Depois aparece quando Maria aparentava os sinais de sua divina maternidade e José lhe desconhecia a origem. Ele foi tomado de terrível dúvida, na incerteza de como agir, mas o evangelista diz que, sendo ele "homem justo", não quis denunciar Maria de infidelidade, mas preferiu tomar uma solução que, salvando a honra de Maria, teria provocado certa odiosidade sobre sua própria pessoa. Decidiu sumir do lugar; foi então que, em sonho, um anjo lhe disse: "Não tenhas medo, José, de escolher Maria por tua esposa, pois o que nela foi concebido é obra do Espírito Santo, e o que nascer dela será o Filho do Altíssimo, e tu lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados". José, acordando, fez como o anjo do senhor havia mandado, e casou com Maria, sem ter relações com ela.
Depois deste fato, ainda se fala dele, quando outra vez o anjo lhe apareceu em sonho avisando-o das intenções diabólicas de Herodes que pretendia matar o Menino Jesus, e o manda fugir para o Egito. Pela última vez é nomeado quando recebeu ordem de voltar do Egito porque já tinha falecido o rei Herodes. Depois disso só se fala dele indiretamente.
Os evangelistas não citam uma só palavra de José que aparece como o homem do silêncio, escondido e humilde. Mas em compensação ele o homem do trabalho para sustentar sua família, é o homem reto, obediente, de fé profunda, inteiramente disponível à vontade de Deus; alguém que amou, creu e esperou em Deus e no Messias contra toda a esperança. José profissionalmente era um simples e modesto artesão, um prático no fabrico e conserto das coisas mais necessárias para uma pequena aldeia antiga. No entanto, este pobre trabalhador, pela sua fé, honestidade e retidão, foi escolhido entre todos os homens para ser o Pai oficial de Cristo, o esposo fiel e puro da Virgem Imaculada.
Este é o santo incomparavelmente grande e simpático que veneramos hoje. "Sua figura quase desaparece" nos primórdios do Cristianismo, para que se firme melhor a origem divina de Jesus. Mas já na Idade Média, São Bernado, Santo Alberto e Santo Tomás de Aquino lhe dedicaram tratados cheios de devoção e entusiasmo. Desde então seu culto cresceu continuamente. O Papa Pio IX declarou-o Padroeiro da Igreja e Leão XIII propunha-o como advogado dos lares cristãos. Em nossos dias foi proposto como "modelo dos operários.


Bibliografia:
Dom Servilio Conti, I.M.C., O Santo do dia, Pág. 125 e 126, Ed. Vozes, 1990, RJ

Sua aposentadoria já acabou. Aliás, você nunca teve. É o destino do homem neste mundo de pecado sofrer e trabalhar, não se deixe enganar por um esquerdista que promete "direitos" de aposentadoria: a esquerda quebrou a Previdência e agora usa as reformas para criar agitação social, na melhor estratégia Cloward-Piven: crie o colapso e ascenda após ele. 


Previdência? Meu Deus, parece até que todo aposentado no Brasil vive feio um nababo e o INSS paga bem! O que é a Previdência em nosso Estado senão uma ilusão? O que é o INSS senão uma pirâmide porca? É da natureza do homem morrer trabalhando, neste mundo não há descanso. Não se deixe enganar por esquerdistas que renovam as propostas satânicas de paraíso mundano.

No futuro penso que o instituto da Infalibilidade Papal precisa ter cláusulas canônicas para o caso do papado ser tomado por um crápula com o único intuito de destruir a Igreja. É verdade que houve papas crápulas no passado, mas jamais tiveram um programa de destruição da Igreja católica, eram carrapatos que engordavam sugando sangue, debilitavam mas jamais matariam a vaca. O que temos agora é um piloto traidor que deliberadamente se tranca na cabine e atira a nave contra as montanhas.


Alguém argumentará sobre o Espírito Santo. Ora, Deus não nos salva de nossa imprevidência, quando ação humana pode perfeitamente evitar uma catástrofe Deus permite que sejamos castigados por nossa negligência. O Antigo Testamento, e mesmo o Novo, mostram que Deus atira seu Templo ao fogo e aos pagãos quando seus reis e sacerdotes são indignos. O fato de eu ter um anjo da guarda não me priva de usar cinto de segurança. O fato de ter unção dos enfermos não me tira a necessidade de tomar remédio. Quis Deus que para os homens os meios materiais fossem aplicados antes dos espirituais. Como disse Santo Agostinho, saiba que Tudo depende de Deus, mas aja como se nada dependesse. Aliás, você agindo é Deus agindo através de você. 


Quanto às Portas do Inferno, de fato elas não prevalecerão. Mas eu garanto que Deus vai cobrar muito caro dos pastores que deixaram 99,99999% do rebanho se perder, mesmo que no final por força da Misericórdia Divina as Portas do Inferno não prevaleçam e um restinho se mantenha. Se Deus vai manter um resto, isso é com ele. A nós, Jesus mandou ir batizar a todos, pôr TODO MUNDO para dentro da Igreja. Tem que crescer. Tem de a Igreja ser forte. A função do fermento é crescer. Não podemos deixar a Igreja ser quase completamente arrasada, milhões de almas se perderão. Se você pensar na Igreja institucional e abstratamente, até se conforma. Mas pense numa alma em concreto se perdendo. Pense nos seus filhos, netos, bisnetos se perdendo... terrível. Uma alma que se perde é uma catástrofe pior que o saque de Roma.

Ao aceitarem que santos católicos fizessem parte do Carnaval formal das Escolas de Samba, a hierarquia católica permitiu a folclorização deles, ao mesmo pé dos deuses tupis e do candomblé: Nossa Senhora Aparecida está nas referências carnavalescas como Ogum, Iansã, Oxalá, Exu, Tupã, Jaci, Curupira e Saci-Pererê. 

O problema é ocorre porque quando algo é folclorizado é porque já não tem penetração devocional: Na Sapucaí se fala mais de macumba que se faz nas encruzilhadas e nos terreiros, porque quase ninguém mais segue a Macumba como religião. O folclore vira um "Aquário", um "Zoológico", que conserva cuidadosamente espécies que não sobreviveriam em habitat natural. Tem graça falar de Curupira no Carnaval porque ninguém teme nem acredita mais no Curupira. De maneira análoga, o Cristianismo destruiu de vez as últimas crenças pagãs celtas ao permiti-las de maneira caricata na festa de véspera do dia de todos os Santos, All-Hallows-Eve. As bruxas não só não existem, como são satirizadas como folclore.

O que vimos na Avenida do Anhembi não foi um desrespeito, foi o atestado definitivo de óbito da Devoção à Nossa Senhora Aparecida no Brasil, indo para a mesma latrina em que foi a Umbanda e os cultos indígenas, pisada por Evangélicos hereges que apenas antecedem a Islamização do Brasil: O Sagrado Nome de Jesus será rapidamente jogado no esterco pelos neopentecostais quando se converterem definitivamente a Maomé e à deusa-Lua Allah. Já tem ocorrido e muçulmanos tem brotado de ex-evangélicos.

Ai, meus amigos, nem mais Carnaval haverá. Primeiro porque o Islã, cioso de seu domínio, não aceita folclorização. Segundo, porque Carnaval ainda é a véspera da Quaresma, um tempo cristão. Neste dia, a Sharia reinará na Terra de Santa Cruz, sem Sapucaí nem Anhembi, e diante de um povo tolo que desprezou a Santa Mãe de Deus os louvores subirão dos minaretes à Deusa Lua Allah e seu profeta.
Este artigo corrobora com uma conclusão que cheguei há algum tempo: os Cleaners usam hiper-lealdade islâmica pública ao papado nas Redes Sociais para compensar a TREMENDA CONFUSÃO ESPIRITUAL e patológica em que vivem seu catolicismo. Uma pessoa equilibrada entende as estocadas e ironias num assunto delicado porque ela mesmo não tem problemas internos sobre isso.

Mas se sua religião é um caco, sua fé é superficial, seu entendimento é pouco e sua fortaleza é papel de seda, qualquer risco na imagem do Macho Alpha em Roma (não um homem, não um pontífice, mas um Superman para eles) você fica histérico, como projeção de suas dúvidas e patologias.

http://www.sciencealert.com/dark-humour-could-be-a-sign-of-superior-intelligence

Nenhuma lei é abstrata e desce das núvens. Ela sempre vem atuar numa situação concreta. 


Por exemplo, toda legislação eleitoral super-restritiva para propaganda veio beneficiar aos donos do poder. Quem está no governo já tem o governo para se divulgar. Mas quem está fora conta apenas com propaganda. Menos propaganda, menos chance para a oposição. E renovar pra quê, se a esquerda já está no poder? Como disse Lênin, a democracia é um bonde em que você salta dele ao chegar em seu destino.